Caldos e Cremes Receitas

Vichyssoise

vichyssoise

A Vichyssoise, uma sopa clássica e simples, esconde uma surpresa: é servida fria e pode ser uma deliciosa opcão para dias frescos!

A versão mais confiável sobre a origem da Vichyssoise indica o chef francês Louis Diat como seu criador. Em entrevista ao The New Yorker, Diat afirmou que havia inventado a Vichyssoise em 1917, quando era o chef do Ritz-Carlton em Nova York. Durante a mesma entrevista, Diat também contou que sua receita derivava de uma tradicional sopa francesa de batata e alho-poró que ele preparava com a avó em sua cidade natal, Bourbon-Lanchambauld, perto de Vichy. Em homenagem a esta cidade, ele chamou a sopa de creme Vichyssoise Glacèe.

A receita tradicional é simples, leva poucos ingredientes e tem um sabor suave. Ela pode por exemplo ser servida como entrada e, se você não for um purista, pode até arriscar algumas variações.

CEBOLA OU NÃO?
A receita original usa somente alho-poró mas há quem prefira adicionar uma parte de cebola para obter um creme de sabor mais acentuado.

LEITE OU CREME DE LEITE?
A tradição exige creme de leite, mas isso também pode ser negociado se você tiver apenas leite integral à mão. Há também a possibilidade de usar meio a meio e, assim, obter um equilíbrio entre sabor e leveza.

FRIA OU QUENTE?
Seguindo a tradição, há apenas uma resposta certa: fria! No entanto, Vichyssoise à temperatura ambiente pode ser uma surpresa agradável.

O CALDO
Usar um saboroso caldo de galinha é essencial para uma Vichyssoise preparado com perfeição, não subestime esse ingrediente!

Mãos à obra!

vichyssoise-ingredientes

INGREDIENTES

2 batatas
2 talos de alho-poró
1 cebola
1,5 litro de caldo de frango
2 colheres (sopa) de manteiga
½ xícara (chá) de creme de leite fresco gelado
sal e pimenta-do-reino moída na hora
cebolinha francesa fatiada a gosto

MODO DE PREPARO

1. Lave, descarte as folhas e corte a parte branca do alho-poró em rodelas finas. Descasque e pique fino a cebola.

CONFIRA NOSSA SELEÇÃO PARA CORTAR E FATIAR

2. Lave e descasque as batatas. Sobre um prato (ou assadeira pequena) passe as batatas na parte fina do ralador – assim elas desmancham ao cozinhar e engrossam a sopa. Reserve as batatas raladas com o líquido.

3. Coloque a manteiga numa panela média e leve ao fogo médio. Assim que derreter, acrescente a cebola, tempere com sal e refogue por cerca de 3 minutos até ficar bem murcha. Junte o alho-poró e refogue por mais 3 minutos, até murchar.

4. Regue com o caldo de frango, acrescente as batatas raladas (com o líquido) e misture bem. Tempere com sal e pimenta-do-reino a gosto e aumente o fogo para alto. Deixe cozinhar até ferver.

5. Assim que ferver, diminua o fogo para baixo e deixe cozinhar por 30 minutos, até a sopa engrossar, mexendo de vez em quando para não grudar no fundo da panela.

6. Desligue o fogo e transfira a sopa para uma tigela. Leve para a geladeira e deixe por, no mínimo, 40 minutos para esfriar.

7. Na hora de servir, retire a sopa da geladeira, divida em 4 pratos fundos (ou tigelas) e salpique com cebolinha francesa fatiada. Sirva a seguir.

Fonte: Panelinha

A Vichyssoise nas palavras de Antony Bourdain:
Minha primeira indicação de que a comida era algo além de uma substância para matar a fome […] veio depois da quarta série do ensino fundamental. Foi durante as férias de família na Europa, no Queen Mary, na cabine de jantar. […] Foi uma sopa. Estava fria.
Isso foi uma descoberta para um curioso aluno da quarta série cuja experiência inteira de sopa até aquele momento consistia no creme de tomate e macarrão de frango de Campbell. […] Foi a primeira comida que gostei e, mais importante, me lembrei de gostar. Perguntei ao nosso paciente garçom britânico o que era esse líquido deliciosamente fresco e saboroso. “Vichyssoise” veio a resposta […] Lembro-me de tudo sobre a experiência: a maneira como nosso garçom o levou de uma sopeira de prata para a minha tigela; o barulho de cebolinha picada que ele servia como enfeite; o sabor rico e cremoso de alho-poró e batata; o choque prazeroso, a surpresa de que estava fria.
(Anthony Bourdain, Cozinha Confidencial)

Previous Post
16 de abril de 2020
Next Post
16 de abril de 2020

Os comentários estão desabilitados.

Related Posts