Categoria

Dicas

Dicas

5 dicas para o churrasco perfeito

dicas para churrasco

Nada como um churrasco para reunir a família e os amigos e garantir, além de uma refeição muito saborosa, horas agradáveis em torno da brasa. Mas para se certificar que o churrasco fique perfeito, separamos algumas dicas rápidas que podem te ajudar.

dicas para preparar churrasco

1. Quantidade de carne

Essa é uma grande dúvida de diversos churrasqueiros amadores – qual a quantidade de carne por pessoa para um churrasco?
Se houver outros acompanhamentos, em geral são indicados de 300 a 400 gramas de carne por pessoa. Se for servido apenas carnes, considere de 500 a 600 gramas por pessoa.
Tendo em vista o número de participantes do churrasco, basta dividir o volume total de carne calculado entre os tipos de peça que pretende comprar.

dica para preparar churrasco

2. A brasa

Acender a churrasqueira corretamente já garante grande parte do sucesso do seu churrasco. Isso porque o ponto da brasa é essencial para grelhar as carnes com perfeição.
Em geral, o carvão para chegar ao ponto correto leva cerca de uma hora – quando ele ganha uma coloração branca ou cinza clara é sinal de que está pronto.
Portanto, na hora de planejar seu churrasco, leve em conta o tempo para o preparo da brasa e mais o tempo que cada carne leva para chegar no ponto correto para determinar o momento de servir.

3. Ponto da carne

Aqui o que vale é a preferência de cada um. Em geral, a carne ao ponto é que tem mais chance de agradar o maior número de pessoas. Portanto, se você vai preparar um churrasco sem conhecer o gosto pessoal de todos os convidados, a dica é optar pela carne ao ponto.

pontos da carne

Para preparar carnes ao ponto (como o centro rosado), use a tabela de tempos abaixo como guia. O número de minutos é para um lado da carne. Passado o tempo, vire a carne e deixe por um minuto a menos do outro lado.

3 minutos
Carnes mais finas (como assado de tira fino e fraldinha).

4 minutos 
Bifes largos de carnes mais magras (como bombom da alcatra e baby beef).

5 minutos
Bifes largos de carnes com mais gordura (como bifes de picanha, chorizo, ancho, bife de tira).

Entre 5 e 6 minutos
Bifes largos de carnes com osso (como prime rib, t-bone, chuleta, prime steak).

Entre 15 e 20 minutos
Peças inteiras de carne (como picanha, maminha, baby beef, contrafilé).

4. Acompanhamentos

A estrela do churrasco pode ser a carne, mas nada impede que você capriche também nos acompanhamentos. Prefira aqueles que não vão “brigar” com o sabor das carnes, mas sim acompanhá-los perfeitamente, como o carboidrato por exemplo. Arroz, farofa e pão são opções certeiras, assim como a batata.

As saladas também são perfeitas para garantir um toque de leveza à refeição, principalmente para cortes de carne mais gordurosos. Uma caprichada salada verde sempre fará sucesso no seu churrasco.

Outra dica é disponibilizar alguns tipos de molhos que acompanham bem carnes em geral, como o chimichurri, o vinagrete e o barbecue, que é uma ótima opção para cortes suínos.

dicas para preparar churrasco

5. Acessórios

São eles que tornam a vida do churrasqueiro mais fácil e prática e garantem a possibilidade de diversificar preparos e acertar os pontos corretos. Listamos abaixo os principais itens que não podem faltar na sua churrasqueira.

E não esqueça, a churrasqueira também faz toda diferença! Portáteis, elétricas, a bafo… são diversas as opções de modelos disponíveis, basta escolher aquela mais apropriada ao seu espaço e seu estilo preferido de churrasco.

itens indispensaveis para preparar churrasco

Dicas

Escolhendo sua faca

tipos de facas

Nem todas as facas são iguais. Usar a faca certa para o trabalho certo não melhora apenas a qualidade dos seus cortes, mas é também uma medida de segurança na hora de cozinhar. Se você sabe qual tipo utilizar para diferentes tarefas, você evitará lesões e economizará tempo e esforço na cozinha.

faca do chef

Do Chef

A faca do chef é uma das ferramentas mais utilizadas e versáteis na cozinha. A ponta ligeiramente curvada permite que a faca deslize na tábua enquanto corta o alimento. Elas têm normalmente entre 20 e 25 centímetros e são usadas durante toda a preparação dos alimentos, em diversas etapas – um utensílio indispensável em qualquer cozinha!

De Legumes

De menor polegada, descasca vegetais e frutas e é perfeita para cortes que exijam mais precisão.

De Carne

Com lâmina rígida e ponta curvada, é ideal para cortar carnes cruas, assadas ou cozidas.

Para desossar

Longa, fina e forte, é usada para remover a carne do osso. A sua finura permite deslocar-se com as curvas e dobras do osso e separar a carne de forma eficaz, deixando o mínimo para trás. Ao usar uma faca para desossar, não tente cortar ossos.

De Pão

O fio serrilhado proporciona o corte da camada mais dura de maneira uniforme, sem amassar.

De Queijo

São especialmente projetadas para cortar queijos densos e duros e são encontradas em uma variedade de modelos que combinam com tipos específicos de queijos.

faca santoku

Santoku

Santoku significa “três virtudes”, uma alusão à versatilidade desta faca de origem asiática que serve para cortar, fatiar e picar. As facas Santoku têm lâminas longas e levemente afiladas com um ponto de queda para permitir um trabalho de corte mais preciso e intrincado. Elas geralmente têm ondulações ao longo da lâmina para evitar que os alimentos grudem no metal.

Manutenção

A manutenção regular é importante para mantê-la afiada e segura. Uma faca afiada é mais segura de usar do que uma que ficou cega, pois requer menos pressão para cortar, o que significa que é menos provável que ela escorregue e seja mais fácil de controlar. Também é menos cansativa e faz cortes mais limpos e precisos.

Existem três maneiras de afiar – usando uma chaira, uma pedra de amolar ou um afiador manual ou elétrico.

manutencao de facas de cozinha

Dicas para conservar

Use um pano ou esponja macios e um pouco de detergente para limpar a faca na torneira quente. Nunca use lã de aço ou superfícies abrasivas. Segure o cabo e limpe-a pela parte de trás – nunca coloque o fio cortante em direção à sua mão. Enxágue, seque e guarde com segurança. Nunca deixe uma faca em uma pia cheia de água e outros utensílios, pois você pode se cortar ao pegar outros objetos.

manutenção facas de cozinha

Corte na superfície certa

Sempre use uma tábua de corte de madeira, bambu ou plástico. Elas ajudam a proteger o fio cortante da lâmina, o que significa que ela manterá seu fio cortante por mais tempo.

faca ideal

Veja também:
– Dicas para o uso correto da faca de cozinha

Dicas

Qual a taça certa?

tipos de taças para vinho

Você sabia que além das temperaturas adequadas para servir, cada tipo de vinho requer um estilo diferente de taça para servir? Quer seja doce ou seco, branco ou tinto, robusto ou leve, o vinho requer procedimentos de serviço específicos para atingir todo o seu potencial de sabor – a taça certa valoriza e influencia na degustação dos distintos estilos, tirando o melhor de cada um deles.

Parece complicado? Fique tranquilo, a regra é simplificar. Comece abastecendo sua adega com os modelos que não podem faltar em sua casa, ou seja, aqueles para os vinhos que você mais gosta de beber ou bebe com maior frequência. Também vale a dica de ter em casa uma peça coringa, a chamada taça ISO (International Standards Organization), uma taça desenvolvida para degustações técnicas e que serve para qualquer vinho.

A anatomia das taças

Uma taça de vinho é composta por quatro partes – a base, a haste, o bojo e a borda. A base é o que dá estabilidade. A partir daí, a haste alonga o copo e oferece algo em que se segurar, sem aumentar a temperatura do vinho dentro da taça. Também evita que as impressões digitais fiquem no copo. No topo da haste está o bojo, indiscutivelmente a característica mais importante da peça. Deve ser grande o suficiente para girar confortavelmente o vinho sem derramar ou respingar e deve ser afunilado para reter e concentrar o aroma do vinho. A parte superior do bojo é onde fica a borda, mais afunilada para concentrar a dispersão dos aromas.

Vidro ou Cristal?

Você pode optar pelo cristal, cristal de vidro ou vidro. Em geral, o teor de chumbo do vidro determina se ela é classificada como vidro ou cristal. As taças de cristal tem até 24% de chumbo, o cristal de vidro vem com cerca de 10% e o vidro não tem. É o chumbo que garante taças mais finas, com mais leveza, delicadeza e sonoridade. O cristal também produz taças mais porosas, o que ajuda e melhora a experiência da degustação.
Ao decidir entre cristal e vidro, considere o ambiente em que a taça será usada e a dinâmica da lavagem – nada impede que você tenha as duas opções e use-as de acordo com a ocasião.

taças schott
Você conhece as taças Schott Zwiesel?
Confeccionadas em Tritan, cristal sintético de altíssima resistência e qualidade, são ideais para uso no dia a dia ou em ocasiões especiais. A alemã Schott Zwiesel é referência mundial em taças e copos feitos em Tritan®. Todas as peças oferecem os melhores resultados para os mais exigentes públicos: enólogos que buscam o máximo a transparência do material, comensais que valorizam a finura e o toque de cristal da peça e badalados restaurantes e hotéis, que necessitam utensílios que resistam a choques, uso contínuo e à máquina de lavar louça. Toda esta tecnologia e performance estão aliadas a um design inteligente, que alia beleza e performance em uma linda peça. Para completar, a tecnologia Tritan® é ecologicamente correta: a substituição do chumbo por titânio e zircônio promove não apenas uma peça mais resistente como também causa menos impacto no planeta.

TAÇAS DE VINHO TINTO

Por serem mais complexos em aroma e sabor, os tintos demandam espaço para respirar – daí o motivo de o corpo da taça ser maior. Separamos os dois modelos principais, Bordeaux e Borgonha – a denominação se deve ao estilo consagrado das regiões francesas.

Bordeaux

Mais alta, com bojo largo. A altura do copo cria distância entre o vinho e a boca, o que permite que o etanol se dissipe no nariz, permitindo que mais oxigênio amoleça os taninos (os taninos contribuem para o amargor do vinho). Direciona o vinho para o fundo da boca, minimizando o amargor e maximizando o espectro de sabor.
Tipo de vinho: vinhos tintos encorpados e mais pesados ​​com taninos elevados, como os blends de Bordeaux, Syrah, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc e Malbec.

Borgonha
Mais larga do que o modelo Bordeaux, com a parte superior mais estreita direciona o vinho para a ponta da língua, permitindo que se detecte nuances de sabor. O bojo largo permite que aromas de vinhos delicados se acumulem e a borda fina torna mais fácil beber.
Tipo de vinho: vinhos tintos mais leves e delicados, como Pinot Noir, Beaujolais, Tinto Borgonha.

TAÇAS DE VINHO BRANCO

Os vinhos brancos são normalmente servidos em taças menores, em forma de “U” e mais estreitas do que uma taça de vinho tinto. Isso dá ao vinho espaço suficiente para que os aromas sejam liberados, mas também ajuda a manter a temperatura mais fria dos vinhos brancos. Os modelos também atendem o serviço para os rosés.
Tipo de vinho: Chardonnay, Riesling, Sauvignon Blanc.

TAÇAS DE VINHO PARA SOBREMESA

Devido ao alto teor de álcool dos vinhos de sobremesa, intensos e concentrados, são consumidos em pequenas quantidades, exigindo portanto taças menores onde não há necessidade de aeração. A borda estreita direciona a bebida diretamente para a ponta da língua, para que o dulçor característico seja percebido mais facilmente.
Tipo de vinho: Porto e Sherry.

TAÇAS PARA ESPUMANTES

Bojo reto e estreito para preservar a carbonatação e o sabor.
O formato flûte (flauta, em francês) permite a observação da evolução das bolhas, a chamada perlage, um dos indicadores de qualidade desse tipo de vinho.

O formato tulipa tem a base fina que se abre ligeiramente para um bojo mais largo, em seguida, estreita para a abertura. O grânulo na base faz as bolhas subirem, enquanto a largura permite que as complexidades do sabor se abram. A parte superior mais estreita evita que o excesso de carbonatação escape enquanto direciona os aromas para a língua, em vez de subir pelo nariz.
Tipo de vinho: espumante jovem ou champanhe, incluindo Cava, Prosecco e Asti.

TAÇAS PARA ÁGUA
A maior delas. Como a água não sofre alteração de sabor, sua taça precisa apenas mantê-la gelada ou em temperatura ambiente e sua degustação é essencial para a experiência do vinho, mantendo o organismo hidratado.

guia rápido do vinho

Para finalizar, existem muitos fatores que podem afetar sua experiência de beber vinho, e escolher a taça de vinho certa é apenas uma maneira de obter o máximo que seu rótulo tem a oferecer. Invista nos seus modelos favoritos e aproveite!

seleção de taças de vinho

Dicas

Panela de pressão sem mistério

como usar panela de pressão

Você tem uma panela de pressão em casa? Não? Então, confira nossas dicas e inclua este poderoso utensílio em seu dia-a-dia.

As panelas de pressão são projetada para acelerar os pratos de cozimento lento. Elas são econômicas na quantidade de energia que usam e também são ideais para amaciar alguns cortes de carne mais baratos e ingredientes mais duros, como grãos. Elas podem reduzir o tempo de cozimento em até 50%, principalmente em receitas que pedem cozimento lento, como cozidos e ensopados, além de reter bem os nutrientes, tornando-se um método de cozimento saudável. Se você nunca usou uma antes, agora é uma boa hora para começar.

Leia as instruções

As panelas de pressão modernas têm vários recursos de segurança e isso é por um bom motivo. O calor gerado pelo vapor pode ser perigoso se não for manuseado de maneira adequada. Siga sempre as instruções para o seu modelo específico e você não precisará se preocupar com isso.
Não esqueça de exigir o selo do INMETRO na hora de adquirir a sua panela de pressão. Isso garante que o modelo está em conformidade com as normas de segurança.

Faça manutenção

É importante manter sua panela de pressão limpa e em boas condições de funcionamento. Ocasionalmente será necessário substituir peças desgastadas, como por exemplo a borracha que garante uma boa vedação. Use peças originais de preferência. Certificar-se de que as válvulas estão livres de detritos também é fundamental.

Líquido na medida

Panelas de pressão cozinham com vapor. Sem líquido = sem vapor. Você não pode e não deve usar sua panela de pressão a menos que tenha adicionado líquido suficiente. As instruções permitirão que você saiba a quantidade mínima e algumas até dirão quanto usar para diferentes itens.

A maioria, senão todas, as panelas de pressão têm uma marca de mínimo e máximo no interior da panela. Não os exceda. Uma panela de pressão não deve ultrapassar mais do que 2/3 da capacidade. Com líquidos, evite encher mais da metade. Lembre-se que é preciso espaço na panela para que o vapor se acumule para facilitar o cozimento.

De olho no tempo

Com o tempo de uso você saberá exatamente quanto tempo seu modelo leva para cozinhar determinado ingrediente. Cortar os ingredientes em tamanhos semelhantes os ajudará a cozinhar uniformemente. Adicione itens que precisarão de um tempo de cozimento maior logo no início e aqueles que precisarão de menos mais tarde (certificando-se de que o vapor foi liberado com segurança no processo). Por exemplo, para um cozido de carne, adicione a carne no início e as batatas no meio para o final, para evitar que elas se desmanchem. Se você não tiver certeza sobre os tempos de cozimento, cozinhe menos ao invés de demais. Você sempre pode colocar a comida de volta sob pressão e continuar, mas uma vez que cozinhou demais não há como voltar atrás!

Liberando a Pressão

A coisa mais importante nesta etapa: respeite as instruções do fabricante. Qualquer que seja o modelo da panela, sempre espere o pino baixar e sair toda a pressão. Só depois é possível abrir a panela com tranquilidade e segurança.
Se for preciso acelerar a abertura, coloque a panela sob um fraco jato de água da torneira e aguarde a liberação da pressão. E mesmo quando for seguro abrir a tampa, faça-o longe do seu rosto, pois os alimentos ainda estarão soltando vapor quente.

Na dúvida, consulte sempre as instruções do fabricante!

Pronto, agora é só escolher seu modelo favorito e começar a usar todas as vantagens da sua panela de pressão.

veja modelos de panela de pressão

Dicas

#MesaPosta – Marcadores de lugar

como fazer marcadores de lugar

Eles podem não ser obrigatórios em uma mesa formal, mas os marcadores de lugar são uma maneira diferente e cheia de charme para marcar lugares à mesa. Seja uma ocasião festiva e especial ou mesmo um encontro entre amigos em casa, aposte nesta ideia e demonstre um cuidado especial na preparação deste encontro. Seus convidados vão se encantar!

Os marcadores de lugar podem estar em harmonia com a decoração de sua mesa, mas nada impede que você inove e use sua criatividade para personalizá-los. Separamos diversas inspirações para você marcar os lugares à mesa com muito estilo e praticidade.

como fazer marcadores de lugar
Use frutas, folhas, fitas coloridas, rolhas de vinho
como fazer marcadores de lugar
Ervas, pequenos vasinhos, prendedores

Quer colocar a mão na massa? Uma ideia simples e elegante para fazer marcadores de lugar é utilizar materiais de papelaria, como tags, papel cartão, etiquetas. É possível personalizar em programas de edição de imagem ou escrever em cada um deles. Capriche na finalização – um ramo de erva fresca, uma pequena flor, folhas, barbantes, fios de sisal. Utilize o guardanapo e os talheres para fazer uma composição simples e elegante.

como fazer marcadores de lugar
como fazer marcadores de lugar

Mesas temáticas também ganham um charme extra com os marcadores de lugar. A simplicidade dá o tom – com pouco esforço é possível produzir um marcador divertido. Use a paleta de cores da mesa para criar uma composição harmoniosa e elegante.

como fazer marcadores de lugar
itens para mesa posta

Você também vai gostar:
– Dicas para Mesa Posta

Dicas

5 passos para reduzir o lixo doméstico

lixo doméstico zero

Reduzir o lixo doméstico pode parecer uma tarefa difícil, mas isso está longe de ser verdade. Já sabemos que uma vida sem resíduos não é mais uma utopia, ela não é apenas melhor para o meio ambiente, mas também melhora a saúde e economiza tempo e dinheiro. E para começar a colocar esta atitude em prática, vamos te apresentar os 5Rs da sustentabilidade:

  • Repense – tudo começa por aqui
  • Recuse o que não é sustentável e você não precisa
  • Reduza o que você precisa (e não pode recusar)
  • Reutilize o que você consome (e não pode recusar ou reduzir)
  • Recicle o que você não pode recusar, reduzir ou reutilizar

Repensar

Refletir sobre os nossos hábitos de consumo é o primeiro passo para reduzir o lixo doméstico. O consumo sustentável leva em conta diversos fatores e é feito de reflexões sobre processos de produção e de matéria prima daquilo que compramos e de como isso será descartado lá na frente. Buscar estas respostas pode ser um bom passo inicial. Leia as embalagens, informe-se sobre as políticas ambientes dos fabricantes.

Recusar

Aqui você pode pensar em duas frentes:
Recuse produtos que tenham um significativo impacto ambiental e dê preferência por adquirir produtos e serviços de empresas que tenham compromisso com o meio ambiente. Por exemplo, você já pensou em utilizar utensílios de bambu na cozinha? A fibra de bambu é resistente, acessível, sustentável e super elegante. Aposte também nos potes de vidro, que são ótimas opções para armazenamento e nos itens produzidos a partir de papel atóxico lavável de floresta cultivada, como a linha Cria Casa, disponível na Utilplast.

Além disso, comece a recusar aquilo que você definitivamente não precisa, como brindes de conferências, feiras e festas, folhetos e panfletos de produtos ou serviços que você não utiliza e nem tem intenção de adquirir. Todo esse material consome energia para ser produzido e muitas vezes é completamente descartável.

Reduzir

Organize sua casa. Pode parecer simples, mas este é um passo importante para reduzir o consumo e evitar desperdício – quantas vezes você comprou algo que já tinha e nem se lembrava mais? Além disso, na hora da compra opte por itens que tenham maior durabilidade, ainda que sejam um pouco mais caros mas que serão substituídos apenas no longo prazo.

Algumas sugestões práticas para reduzir o lixo doméstico incluem usar lâmpadas econômicas, pilhas recarregáveis, sacolas retornáveis, comprar a granel, usar garrafas ou canecas no lugar dos copos plásticos, são outros ótimos exemplos fáceis de adaptar no dia a dia sem, necessariamente, mudar o seu padrão de vida.
Ao sair para as compras leve sempre uma lista. Lembre-se: quanto menos você levar para casa, menos lixo terá produzido.

Reutilizar

Aqui sua criatividade pode ser colocada em prática! Que tal dar uma nova utilidade para um item já usado e assim estender sua vida útil para evitar um novo processo de produção? Aumentando a sua vida útil é possível produzir menos resíduos, impactando de forma positiva no meio ambiente.
Doe roupas que não usa mais ou dê a elas um novo visual (o upcycling está super em alta no mundo da moda!), use as folhas impressas e não utilizadas em rascunhos, transforme garrafas em vasos… basta treinar o seu olhar e você descobrirá que dá para estender a vida útil de diversos itens da sua casa.

Reciclar

Separe o seu lixo, sempre! A coleta seletiva é fundamental para o processo de reciclagem de diversos materiais. Conheça as políticas e locais de reciclagem da sua cidade – mas pense na reciclagem sempre como último recurso. Você recusou, reduziu ou reutilizou primeiro?

Além das práticas que listamos acima, nunca se esqueça de reduzir o desperdício de alimentos. Planeje suas refeições com antecedência e compre alimentos de acordo com a sua lista. Evite comprar embalagens enormes só porque estão em oferta e cozinhe ou congele vegetais e frutas antes que eles estraguem. Se você quer dar um passo adiante, invista em uma composteira doméstica. O meio ambiente agradece 😉

Dicas

Como usar a Aromaterapia em sua casa

aromaterapia

A aromaterapia existe há milhares de anos e a cada dia ganha mais adeptos. Usados ​​historicamente para promover sensações de equilíbrio, calma e harmonia, as funções dos óleos essenciais permaneceram praticamente inalteradas há milênios! Mas, embora a tradição tenha milhares de anos, existem muitas maneiras modernas de obter os benefícios dos óleos perfumados, incluí-los em sua vida cotidiana e ajudar seu bem-estar físico e psicológico.

O que você precisa saber…

Óleos Essenciais

São extraídos da natureza e podem incluir folhas, casca, raízes, resinas e flores de plantas. Estes óleos vegetais são voláteis e bastante concentrados.
Obtidos através de diferentes métodos de extração, eles penetram em nosso organismo através da pele ou inalação, são absorvidos pela corrente sanguínea e metabolizados pelo corpo.

Difusores

A difusão de óleos essenciais é uma das formas mais populares, eficazes e seguras de aproveitar os benefícios da aromaterapia. Você pode utilizar um difusor elétrico, queimadores com velas ou ainda com palhetas.

Velas

As velas de aromaterapia são maravilhosas para meditação e relaxamento. Certifique-se de que a vela é feita com óleos essenciais puros, cera de abelha natural ou soja orgânica. Velas feitas de cera sintética tendem a fazer fumaça e liberar toxinas indesejáveis ​​no ar.

Sprays e Sachês

Encontrados em diversas fragrâncias, eles perfumam o ambiente, armários ou gavetas e são facílimos de usar.

Confira aqui nossa seleção de sprays e sachês.

Onde usar
Os usos são os mais diversos e praticamente não há restrições.

Repelentes
Por exemplo, use óleos essenciais como repelentes naturais de insetos e faça seu próprio repelente de aromaterapia: os óleos essenciais oferecem uma alternativa sem produtos químicos aos sprays comerciais. Os óleos de capim-limão, citronela, lavanda e eucalipto são todos inseticidas naturais.

Na limpeza da casa
Os óleos essenciais são mais do que apenas fragrâncias em produtos de limpeza; muitos óleos também são desodorizantes naturais e anti-sépticos eficazes. Óleos como limão, pinho e hortelã-pimenta removem bactérias e adicionam um aroma fresco às soluções de limpeza doméstica.

No quarto
Nada como encontra a calma no lugar onde você pode relaxar. Muitos óleos essenciais são conhecidos por suas qualidades relaxantes, por isso faz sentido começar no quarto. Estudos que exploram a relação entre óleos essenciais e repouso costumam citar um perfume em particular: lavanda. Diz-se que ela reduz a frequência cardíaca e o sistema nervoso do corpo, ajudando você a dormir. O mesmo vale para tangerina, bergamota e ylang-ylang – um perfume doce que é nativo da Índia. Todos os três são conhecidos por aliviar a ansiedade. Quanto ao uso, se você está procurando óleos essenciais para ajudá-lo a dormir, é melhor evitar o uso de velas ou difusores elétricos enquanto estiver dormindo. Em vez disso, opte por um difusor de palheta ou spray de travesseiro.

Na sala
Os óleos essenciais são, antes de tudo, uma escolha pessoal, e em nenhum lugar sua personalidade costuma ser mais exposta do que na sala de estar. É nela que você pode experimentar diferentes cheiros dependendo do tempo, do dia da semana ou do seu humor. Se você precisa de um estimulante, hortelã-pimenta ou um perfume cítrico podem dar o toque de que você precisa. Da mesma forma, se você estiver se sentindo esgotado ou estressado, sabe-se que a melaleuca é tradicionalmente usada como um descongestionante natural. Como é provável que você passe mais tempo acordado na sala de estar, uma vela perfumada e um difusor elétrico são mais do que adequados.

No banho
Existem duas maneiras de abordar os óleos essenciais no banheiro. O primeiro é usar um difusor de palheta que não requer eletricidade ou energia. A segunda é optar por produtos com óleos de coco, jojoba e semente de uva para sua rotina de spa.

Na cozinha
Até na cozinha? A resposta é sim! Se sua cozinha é propensa a cheiros de cozinha ou gordura e você não quer borrifar um ambientador com cheiro artificial, os óleos essenciais podem ser uma boa alternativa. Novamente, uma palheta ou vela são as melhores opções e aromas como limão ou óleo de cravo, são perfeitos para quebrar toxinas e neutralizar odores gordurosos. Assim como nos outros ambientes, o ideal é experimentar até encontrar um perfume que te agrade.

Dicas

Como montar uma tábua de queijos

como montar tábua de queijos

Queijo é quase uma unanimidade e uma tábua de queijos bem montada é uma saborosa opção para receber os amigos – e dá para impressionar também! Seguindo algumas dicas básicas, você pode montar uma tábua de queijos inesquecível, que vai proporcionar uma incrível experiência gustativa aos seus convidados.

Planejamento
Procure comprar os queijos o mais próximo possível do dia em que pretende servi-los e, de preferência, prefira uma loja onde você possa degustá-los.

Criatividade
Use e abuse dela. Não existem regras muito específicas, o importante é manter um padrão e seguir algumas orientações básicas.

Seleção
Varie de três a cinco tipos de queijos de famílias diferentes, com sabores e texturas distintas, dos suaves aos mais fortes. Retire os queijos da geladeira pelo menos 30 minutos antes de servir para que estejam em temperatura ambiente e, assim, recuperem sua textura e sabor.

QUEIJOS AMARELOS:
como ementhal e gruyère

QUEIJOS SEMI DUROS:
como pategras e provolone curado

QUEIJOS DUROS:
como parmesão, parmentino, reggiano, grana, sardo e reino

QUEIJOS DE MOFO BRANCO:
como brie, camembert e bleu de bresse

QUEIJOS DE MOFO AZUL:
como gorgonzola e roquefort

Quantidade
Identifique a quantidade de queijos necessários conforme o número de pessoas e a ocasião:

COMO PRATO PRINCIPAL: 170g/pessoa
COMO ENTRADA: 110g/pessoa
PARA HAPPY HOUR: 90g/pessoa
COMO APERITIVO: 60gr/pessoa

Cortes
Utilize uma faca para cada tipo de queijo para não misturar sabores e aromas, facilitando o serviço.
Corte previamente algumas fatias para orientar os convidados.
Evite que os queijos fiquem todos do mesmo formato, procure cortar em formatos irregulares ou distribuir em cubos, fatias e cilindros.

ACOMPANHAMENTOS
Não se esqueça deles! Os acompanhamentos ajudam a aguçar o paladar dos convidados e a realçar o sabor dos queijos.

Variedade de pães:
baguete, italiano, ciabatta, pão preto… eles ajudam a limpar o paladar entre um queijo e outro.

Frutas frescas:
uva (refresca) e maçã (para limpar o paladar na degustação), frutas vermelhas (clássica harmonização para o brie) e pera (para os azuis).

Frutos desidratados:
damascos secos, ameixas, tâmaras e passa de uva são deliciosos e vão bem com quase todos os tipos de queijos.

Nuts:
nozes, castanhas, amêndoas, avelãs – invista em um mix.

Geleia de frutas vermelhas:
para os mofo branco e mel para os azuis.

Apresentação
As tábuas de madeira, ardósia ou granito são ideias pois não influenciam no aroma ou no sabor dos queijos. Estimule seus convidados a fazer a degustação seguindo uma ordem crescente de complexidade. Para isso, organize os queijos dos mais suaves para os mais fortes, e dos macios para os mais duros. Lembre-se que os queijos são os protagonistas da tábua, dê a eles o merecido destaque. Os acompanhamentos, como o nome sugere, funcionam como coadjuvantes. Capriche na ornamentação. Distribua galhos de ervas, frutas vermelhas e nuts para adicionar um toque de frescor à sua tábua.

CONFIRA NOSSA SELEÇÃO ESPECIAL PARA QUEIJOS.

Inpire-se nas mais diversas maneiras de montar sua tábua de queijos.

como montar tábua de queijos
como montar tábua de queijos
como montar tábua de queijos
como montar tábua de queijos
como montar tábua de queijos
como montar tábua de queijos
como montar tábua de queijos
itens para montar uma tábua de queijos

Você também vai gostar
– Camembert, a celebridade francesa

Dicas

Misturas para limpeza

dicas de limpeza

Quando o assunto é limpeza doméstica, uma coisa é certa – pode ser que nem todo mundo goste de limpar, mas todo mundo adora uma casa limpa, não é mesmo? Com algumas dicas, a ajuda de materiais encontrados no supermercado e algumas misturas caseiras, dá para aproveitar ao máximo seu tempo, limpar a casa rapidamente e evitar qualquer trauma! 😉

Confira nossa seleção de luvas

Limpeza do dia-a-dia

Dica de mistura:
1 colher sopa de detergente neutro
500ml de água

Usar para:
Cubas, metais, bancadas, fogão, eletrodomésticos, pisos de cerâmica, mármore, porcelanato.

Limpeza do piso

Sugestões com produtos de supermercado:
Destac Madeira – pisos de madeira
UAU Limpa Pizo – porcelanato, cerâmica e laminados
Mr. Músculo – limpador perfumado para usar em azulejos e superfícies laváveis
Lysoform Lavanda – azulejos e superfícies laváveis

dicas para limpeza

Limpezas especiais? Confira os itens que não podem faltar?

Limpeza de móveis

Laca: pano umedecido com água e detergente neutro.
Madeira: lustra móveis
Fibras naturais: aspire e use pano seco
MDF: 1 colher de sabão de côco líquido diluído em 500ml de água e use vinagre de álcool para a parte interna do móvel.

Limpeza com desengordurantes

Produtos: Veja X14, CIF, Mr. Músculo.
Usar para: fogão, bancada de cozinha e banheiro, geladeira, eletrodomésticos e box do banheiro

Limpeza de vidros

Dica de mistura:
500ml de água, 1 colher (sopa) de detergente neutro e 2 colheres (sopa) de álcool.

Usar para:
Espelhos, portas e janelas.

Limpeza de geladeira

Dica de mistura:
500ml de água com 5 gotas de detergente neutro.

Mistura antibacteriana: 1 copo de vinagre e 1 copo de água.

Mistura desodorizadora:
1 colher (sopa) de bicarbonato de sódio em 1 litro de água.

ITENS PARA LIMPEZA

Veja também:
Dicas para limpeza de aço inox

Dicas

Aproveitamento integral de alimentos

aproveitamento do abacaxi

Um dos grandes desafios da humanidade é combater o desperdício de alimentos e uma das regras fundamentais para isso é o aproveitamento integral daquilo que consumimos. O Banco Mundial estimou que, anualmente, de um terço a um quarto dos alimentos produzidos para o consumo humano é perdido ou desperdiçado, uma triste estatística que pode ser modificada adotando o Aproveitamento Integral dos Alimentos (AIA).

Mas o que isso quer dizer?
Ao utilizar um alimento é preciso estar atento à sua utilização completa e isso inclui folhas, cascas, entrecascas, talos e sementes, que possuem alto valor nutricional. Assim, além de garantir o aproveitamento total sem desperdício – do alimento e da energia que foi utilizada para produzi-lo, também muitas vezes evita-se o descarte de resíduos e lixo que, se não tratado adequadamente, causa poluição.

Muitas vezes inclusive, o nutriente do alimento se encontra na casca ou na folha e por que descartar justamente a parte mais nutritiva? Cascas de frutas ficam deliciosas quando agregadas a chás, talos e folhas de legumes rendem deliciosos bolinhos e ficam ótimos quando incluídos nas sopas, os talos de agrião e brócolis que costumamos descartar viram um ingrediente bacana para risotos… o que importa é pensar antes de descartar e tentar descobrir uma maneira de desperdiçar!

Quer começar agora mesmo a praticar este consumo consciente e muito saboroso? E que tal começar pelo abacaxi?

Quase sempre é difícil escolher o abacaxi na hora da compra e quando o fruto não está doce muitas vezes é descartado ou acaba virando apenas suco (com muito açucar!). Mas um abacaxi, ainda que não super doce, pode ser utilizado em diversas receitas e modos de preparo – sorvete, geleia, salada, vinagrete, grelhado, chutney, em tortas e receitas de sobremesa. Sua casca é decorativa e depois pode virar chá ou ainda uma bebida mexicana fermentada, o Tepache. Aproveitamento total!

chutney de abacaxi

Chutney de Abacaxi

1 1/2 xícara de vinagre de maçã
1 xícara de açucar
6 cravos
1 pau de canela
3 xícaras de abacaxi picado
1 colher de sopa de gengibre ralado
1 colher café de pimenta do reino branca
pimenta dedo de moça a gosto

Em uma panela antiaderente coloque o vinagre e o açucar mexendo até que o açucar se dilua, sem deixar que a mistura ferva. Acrescente o restante dos ingredientes e, ao estarem todos incorporados, abaixe o fogo e deixe cozinhar por aproximadamente 45 minutos, mexendo de vez em quando.
O ponto certo é quando o fundo da panela fica aparecendo o abacaxi ganha uma cor dourada. Se começar a queimar no fundo e ainda não estiver no ponto certo, pode acrescentar um pouquinho de água.

Chá com cascas de abacaxi

cha abacaxi

1 abacaxi
1 litro de água
mel ou açúcar mascavo a gosto

Lave bem e descasque o abacaxi. Pique as cascas em pedaços pequenos e despeje em uma panela, juntamente com 1 litro de água. Se não for consumir, aproveite também o miolo do abacaxi. Leve ao fogo, espere ferver, reduza o fogo, tampe, e deixe cozinhar por 15–20 minutos. Apague o fogo e deixe descansar por mais 5 minutos.

Adoce a gosto (experimente com mel ou com açúcar mascavo). Sirva quente ou gelado.

Rendimento: 1 litro.

tepache

Tepache

1 abacaxi
2 litros de água
½ a 1 xícara de açúcar branco ou mascavo
canela em pó a gosto

Lave bem e descasque o abacaxi. Pique as cascas em pedaços médios e reserve. Se não for consumir, aproveite também o miolo da fruta.

Misture de ½ a 1 xícara de açúcar branco ou mascavo em 2 litros de água, de acordo com o seu paladar. Com menos açúcar, o resultado será mais ácido e um pouco mais frisante; com mais açúcar, ficará mais doce e mais equilibrado.

Coloque a água com açúcar em uma jarra grande ou duas médias. Despeje as cascas e o miolo do abacaxi e cubra com filme-plástico. Deixe à temperatura ambiente, mas protegido de luz do sol direta, por 24 horas. Você vai notar bolhas se formando a partir da casca e uma espuma na superfície. Prove e veja se está do seu gosto. Se desejar, retire a espuma, cubra e espere mais 24 horas. Coe e leve à geladeira. Sirva bem gelado, com um pouco de canela em pó.
(Fonte: Cozinha do Clube)

Outras sugestões

Antes de virar chá, use a casca do abacaxi para servir picolés da fruta!