Categoria

Você Sabia?

Nossas Marcas Você Sabia?

#DicasDeUso: Panelas de ferro Le Creuset

cuidados_com_panela_le_creuset

Cada peça da marca francesa Le Creuset foi projetada para a versatilidade e facilidade de uso. Ao comprar uma panela de ferro fundido Le Creuset você tem a certeza de estar adquirindo um utensílio de alta qualidade e extremamente durável. Seguir algumas orientações de cuidados e uso antes de usar sua Le Creuset pela primeira vez lhe ajudarão a alcançar os melhores resultados de cozimento possíveis.

COZINHAR COM FERRO FUNDIDO

cuidados_com_panela_le_creuset

O ferro fundido esmaltado é um material excelente que funciona bem para as mais diversas necessidades da cozinha moderna. Para qualquer tipo de cozimento, seja fritar, refogar, cozinhar lentamente, selar uma carne ou assar um bolo, esta categoria possui um formato apropriado. O ferro fundido funciona bem desde para o cozimento lento em baixas temperaturas até grelhados em altas temperaturas.

O ferro fundido pode ser usado de forma confiável em qualquer fonte de calor, incluindo, forno ou grelha. Possui uma incrível capacidade de reter o calor de forma eficiente, o que permite o seu uso em configurações de calor mais baixas no fogão e no forno a gás. Na mesa, um utensílio coberto pode manter a comida quente por muito mais tempo.

O ferro fundido também pode ser usado para manter os alimentos frios. Por conta da capacidade de reter temperaturas altas e baixas, um utensílio gelado pode ser usado para servir pratos frios, ideal em um dia quente de verão. Utensílios de ferro também podem ser colocados no congelador para armazenamento de alimentos ou para o preparo de pratos avançados.

ANTES DE USAR
Remova todas as embalagens e etiquetas. Lavar a panela com sabão neutro e água quente, depois de enxaguar e secar completamente, sua panela agora está pronta para ser usada e não requer nenhuma preparação adicional, como a cura, por exemplo.

RECOMENDAÇÕES DE TEMPERATURA
O utensílio de cozinha de ferro fundido Le Creuset pode ser usado em todas as fontes de calor, incluindo gás, placa elétrica, anel radiante, placa vitrocerâmica, indução, fornos a gás, óleo, carvão ou madeira. Ao usar qualquer fogão coberto de vidro, levante sempre o utensílio ao movê-lo; nunca o deslize, pois isso pode danificar o fogão ou a base do utensílio.

Combine sempre o tamanho da base da panela com o tamanho da zona de calor do fogão para maximizar a eficiência e para evitar o superaquecimento dos lados da panela e danificar as alças.

As chamas do fogão devem sempre ser destinadas à área de base do utensílio e nunca devem se estender pelas paredes laterais da panela. Os cabos mais longos devem ser posicionados de forma segura, onde estes não fiquem pendurados na frente do fogão ou em outras zonas de calor intenso.

TEMPERATURAS DE PREPARO
O calor médio ou baixo proporcionará os melhores resultados para cozinhar, incluindo frituras e selagens. Deixe a panela aquecer gradualmente para resultados de cozimento equilibrados e uniformes. Uma vez que a panela estiver quente, o cozimento pode continuar em temperaturas mais baixas.

Temperaturas mais elevadas só devem ser utilizadas para ferver água para legumes ou massas, ou para reduzir a consistência de caldos e molhos. O aquecimento rápido nunca deve ser usado para pré-aquecer uma panela antes de baixar o calor para cozinhar. O ferro fundido retém o calor de forma tão eficiente que o superaquecimento causará queimaduras ou colapso no esmalte.

cuidados_com_panela_le_creuset

ÓLEOS E GORDURAS
Com a exceção das grelhas, a superfície do esmalte não é ideal para cozinhar a seco.

Sua escolha de líquido, óleo, gordura ou manteiga deve cobrir completamente a base antes do aquecimento começar. Não deixe a panela sem vigilância e não deixe secar a panela, pois isso pode danificar permanentemente o esmalte.

Para fritar, o nível máximo de óleo não deve exceder 1/3 da capacidade. Esta profundidade permite uma altura segura para que o óleo aumente quando os alimentos forem adicionados. Um termômetro deve ser usado por medidas de segurança e uma tampa deve estar sempre prontamente disponível em caso de superaquecimento ou queima.

ARMAZENAMENTO DE ALIMENTOS E MARINADOS
A superfície do esmalte vitrificado é impermeável e, portanto é ideal para armazenamento de alimentos crus ou cozidos e para marinar com ingredientes ácidos, como o vinho, por exemplo.

ACESSÓRIOS
Para seu conforto e proteção de superfície, recomenda-se utensílios de silicone da Le Creuset. Também podem ser utilizados utensílios plásticos, de madeira ou resistentes ao calor. Os utensílios metálicos, colheres ou fouets também podem ser usados, mas requer cuidado, não se deve raspar ou bater na superfície do esmalte ou na borda da panela.

Os batedores, sejam elétricos ou a bateria não devem ser utilizados. Suas lâminas certamente danificarão o esmalte. Facas ou utensílios com bordas afiadas também não devem ser usados para cortar alimentos dentro de uma panela.

cuidados_com_panela_le_creuset

ALÇAS E PUXADORES
As alças de ferro fundido, os puxadores de aço inoxidável e os puxadores fenólicos ficarão quentes durante o uso no fogão e no forno. Sempre use um pano seco ou luvas de forno para levantar a tampa ou o utensílio.

PANELAS QUENTES
Coloque sempre a panela quente em uma placa de madeira, rechaud ou suporte de silicone da Le Ceuset, nunca em uma superfície desprotegida.

USO NO FORNO

Os puxadores fenólicos pretos da tampa na nossa linha Signature de ferro fundido esmaltado suportam até 250 °C. Os puxadores pretos fenólicos da tampa na nossa linha tradicional de ferro fundido esmaltado suportam até 190°C. Os produtos com alças de ferro fundido embutidas ou com puxadores de aço inoxidável podem ser utilizadas a qualquer temperatura no forno. As panelas com alças ou puxadores de madeira não devem ser levadas ao forno.

Nunca coloque nenhum produto no assoalho dos fogões com interior de ferro fundido. Isto aumentará a temperatura no interior do forno, resultando em um aumento na taxa de cozimento o que pode alterar a qualidade da receita. Não arraste os utensílios dentro do assoalho revestido do forno para não danificá-los. Para melhores resultados coloque sempre os utensílios sobre uma grelha.

DICAS PARA GRELHADOS
É importante pré-aquecer as grelhas para obter uma superfície quente para grelhar e caramelizar. Este conselho não se aplica a nenhum dos outros produtos.

Para grelhar de maneira correta, é importante deixar a superfície da grelha aquecida antes do início do preparo. As linhas de cozimento não aparecerão nos grelhados se a superfície da grelha estiver muito fria ou se o alimento estiver muito úmido. Coloque a grelha vazia no fogo médio e deixe-a aquecer durante alguns minutos. Não adicione óleo na grelha vazia caso contrário, ele poderá ficar muito quente e com fumaça.

Pegue um pouco de água em seus dedo e espalhe pela superfície quente. Se a água evaporar imediatamente, significa que a panela está pronta para o uso. Caso contrário, aqueça a panela um pouco mais e repita o teste com a água. Quando a superfície estiver quente, adicione pouco óleo utilizando um óleo em spray ou pincele o óleo utilizando um pincel de silicone da Le Creuset. São recomendados óleos vegetais e de milho. O azeite poderá causar uma fumaça excessiva, porém é um produto seguro de ser utilizado. Para as camadas cozidas, deixe a comida descansar por vários minutos na superfície. Se a comida for removida rapidamente, as camadas ficarão finas e o vapor da comida poderá ser liberado para a superfície. A comida vai soltar naturalmente quando estiver pronta para ser virada ou removida.

Qualquer alimento para grelhar deve estar bem seco antes de ser colocado na superfície quente. Os alimentos molhados não obterão boas linhas e podem resultar em aparência sem sabor. Use papel toalha para reduzir o excesso de umidade dos alimentos. O óleo pode ser espalhado com um pincel sobre o alimento se desejado. Os alimentos que foram marinados também devem ter excesso de umidade removida com papel toalha.

DICAS PARA FRITAR E SALTEAR
Para fritar e saltear, o óleo ou gordura deve estar quente antes de adicionar os alimentos. Coloque a panela e gordura/óleo na temperatura correta juntos.

Para verificar se o óleo está quente o suficiente, verifique se há uma ondulação suave na sua superfície da panela. Para manteiga e outras gorduras, a presença de bolhas ou espuma indica a temperatura correta. Se em algum momento ocorrer a presença de fumaça, ou se a manteiga começar a dourar, é um sinal de que está muito quente e a temperatura deve baixar um pouco antes de prosseguir. A maneira mais rápida de fazer isso é remover a panela da fonte de calor por alguns instantes. Para uma fritura mais longa, uma mistura de óleo e manteiga oferecem excelentes resultados.

cuidados_com_panela_le_creuset

CUIDADO E LIMPEZA

CUIDADOS GERAIS
Sempre espere a panela esfriar para poder lavar.

Não mergulhe uma panela quente em água fria. Embora o esmalte da Le Creuset seja projetado para ser o mais durável do mercado, ainda pode ocorrer choque térmico, resultando em rachaduras ou perda de esmalte, o que não é coberto pela garantia vitalícia.

Se houver resíduos de alimentos no momento da limpeza, encha a panela com água morna e deixe agir de 15 a 20 minutos antes da lavagem. Uma escova pode ser útil para remover pequenos depósitos de alimentos ou para limpeza entre as linhas da grelha. Não use esfregões ou produtos abrasivos na superfície do produto. Os pincéis de nylon ou soft abrasivos podem ser usados para remover resíduos persistentes. Para evitar danificar o esmalte, não use palha de aço ou outros abrasivos mais agressivos.

Manchas de luz ou marcas de metal causadas por ferramentas metálicas podem ser removidas com o limpador de panelas Le Creuset. Uma limpeza ocasional com este produto também manterá a nova aparência de suas panelas. Infelizmente este produto não está disponível neste site, mas há produtos similares no mercado.

Nunca guarde as panelas enquanto ainda estiverem úmidas. Guarde-as sempre em um armário seco ou em um espaço arejado longe de vapor ou qualquer umidade.

Mantenha o aperto de todas as alças e puxadores ao verificá-los e apertá-los regularmente.

O ferro fundido esmaltado Le Creuset é extremamente resistente, mas pode ser danificado se cair acidentalmente ou derrubado contra uma superfície dura, ocasiões que não estão cobertas pela Garantia vitalícia da marca.

cuidados_com_panela_le_creuset

LAVA-LOUÇAS
Todas as panelas com ferro fundido com alças fenólicas ou puxadores de aço inoxidável podem ser lavadas na máquina de lavar louça. No entanto, a lavagem de louça constante pode levar a um apagamento do acabamento do esmalte. Isso não prejudica o desempenho do produto. Ao usar a máquina de lavar louça, sempre permita que o ciclo termine antes de abrir a porta. Isso garantirá que as panelas estejam completamente secas.

As panelas com alças de metal podem ser lavadas na máquina de lavar louça, mas isso reduz muito o desenvolvimento de uma pátina; Como resultado, grelhas e frgideiras exigirão a cura por mais vezes. As panelas com alças de madeira não são laváveis em lava-louças.

cuidados_com_panela_le_creuset

ESMALTE NEGRO
O esmalte negro pode ser encontrado em frigideiras, grelhas, skillets, woks, tagines e uma série de caçarolas redondas e ovais. O esmalte negro tem uma camada suave, mas não é tão brilhante como outros acabamentos de esmalte interior de cor de areia. Ele foi especialmente projetado para resistir uma maior temperatura na superfície, o que não é o mesmo que simplesmente usar uma peça em fogo alto.

Com ferro fundido, as temperaturas superiores da superfície podem ser alcançadas, permitindo que qualquer peça aqueça completamente em uma configuração média. Isso torna o interior de esmalte negro ideal para frigideiras, grelhas e outros utensílios para cozimento em alta temperatura.

O esmalte negro manterá sua boa aparência e permitirá que uma patina se construa em sua superfície com uso contínuo. Uma pátina é o resultado dos óleos e gorduras naturais de alimentos que cozinham na superfície quente. A pátina não deve ser removida, pois ela aumenta o desempenho dos preparos impedindo que os alimentos grudem com frequência. Também reduz a necessidade de lubrificação superficial.

Com as temperaturas mais altas da superfície alcançadas durante a fritura, grelhado e selagem, os açúcares e algumas enzimas presentes nos alimentos serão caramelizados durante o processo. Isso não só ajuda na retenção de umidade e sabor, mas também ajuda a produzir belas linhas em carnes grelhadas.

A LINHA COMPLETA LE CREUSET VOCÊ ENCONTRA NA UTILPLAST. CLIQUE PARA VER TODOS OS PRODUTOS.

Dicas Você Sabia?

Caprese, uma combinação perfeita

caprese

Um dos pratos mais deliciosos encontrados em toda a culinária italiana é a salada Caprese ou a Insalata Caprese. Este prato combina alguns dos ingredientes mais notáveis ​​da cozinha italiana, incluindo tomate, azeite, queijo mozzarella fresca e manjericão. O prato tem sido popular por muitas décadas, mas de onde veio realmente?

A origem

A primeira história de origem da salada Caprese remonta à Itália pós-Primeira Guerra Mundial. Um pedreiro patriótico queria fazer um prato que fosse uma verdadeira homenagem à Itália e que incorporasse visualmente suas cores na apresentação. A primeira menção impressa da salada Caprese foi em um menu no Hotel Quisisana.

Após a resposta positiva inicial, a salada Caprese foi apreciada por muitos, mas não conseguiu realmente emplacar. O Rei Farouk, na década de 1950, pediu ao seu chefe um lanche leve à tarde e o mesmo serviu um sanduíche Caprese. Nesse ponto, o resto é história! Os turistas começaram a se reunir na região e a salada Caprese logo se tornou conhecida como alimento básico da cultura e cultura de Capri. Com o tempo, a receita foi refinada e melhorada com a adição de mussarela de búfala no lugar da tradicional.

Menos é mais

Como muitos pratos de cozinha italiana, a salada Caprese é tão popular porque é mesmo muito fácil de preparar. Para fazer sua própria salada Caprese, junte o seguinte:

Mussarela fresca em uma grande bola para cortar em pedaços deliciosos.
Tomates que devem estar perfeitamente maduros (não muito moles e não tão firmes que são difíceis de cortar) e com uma cor vermelha brilhante.
Uma pequena quantidade de suco dos tomates para manter o prato inteiro úmido.
Folhas de manjericão fresco, polvilhadas por cima.

Estes são os ingredientes que fazem uma verdadeira e autêntica Caprese!

Versátil

Não só um prato incrivelmente simples, mas também muito versátil. Há salada Caprese – a original e sua variação em sanduích, igualmente deliciosa. A mistura clássica também aparece em lasanhas, pizzas, aperitivos, sopas e mais. Há também muitas variações diferentes, como a substituição de tomates por pimentões vermelhos, tomates secos, radicchio e até mesmo uma invencionice moderna mas com fãs: a salada Caprese de melancia!

Quer preparar uma deliciosa salada Caprese? Clique para conferir todos os itens indispensáveis.

caprese

A salada montada de um jeito diferente, com os ingredientes sobrepostos.
caprese
Uma versão perfeita para uma entrada elegante e saborosa.

caprese
Versão aperitivo – os ingredientes vão para o palito!

caprese
Em versão Salada no Pote, com adição de quinoa – prático e nutritivo.
(confira nossos modelos de potes para salada)

caprese
Sai o tomate e entra a melancia – uma opção leve e refrescante para dias quentes.

caprese
Um clássico em versão sanduíche, que ganha ainda mais sabor com adição de um pesto rápido com os ingredientes:
50 gramas de manjericão,
25 gramas de parmesão ralado (confira nossos modelos de raladores!),
1 dente de alho,
15 gramas de castanhas,
e 100 mililitros de azeite, tudo processado (ou amassado em um pilão) ligeiramente, Perfeito!

Você Sabia?

Rosa, suave e adorável

rosa

Doce e delicado, chocante e kitsch. Do masculino ao feminino, a cor rosa é o tom do charme e da gentileza. Esta cor intuitiva e perspicaz mostra ternura e gentileza e, na psicologia das cores, é um sinal de esperança. É uma cor positiva que inspira sentimentos calorosos e reconfortantes e aquela sensação de que tudo ficará bem. A cor rosa acalma e reafirma nossas energias emocionais, aliviando sentimentos de raiva, agressão, ressentimento, abandono e negligência. Estudos confirmaram que a exposição a grandes quantidades de rosa pode ter um efeito calmante, pois coloca as pessoas em contato com o lado carinhoso de si mesmas.

O rosa, rosáceo ou rosado, é uma cor intermediária entre magenta e vermelho, sendo assim uma cor quente. Existem, porém, muitas nuances diferentes desta cor e um mundo de curiosidades em torno dela.rosa_pantone

  1.  São 50 tons de rosa catalogados pelo homem, entre eles, nomeados e conhecidos como quartzo rosa, magenta, antigo, bebê, rosa choque, pink, fúcsia e outros;
  2. Existe uma cor chamada Baker-Miller Pink ou Drunk Tank Pink (RGB: R: 255, G: 145, B: 175) que é muito usada nos Estados Unidos para acalmar detentos na cadeia. No final de 1960, depois de estudos, ficou comprovado que a escolha do tom, que coloriu as celas, refletia alterações correspondentes no sistema endócrino, o que produz hormônios, deixando os presos relaxados, já que o rosa reduziria a taxa cardíaca, o pulso e respiração;
  3. O jornal financeiro mais famoso do mundo, Finantial Times, é desde 1888 impresso em papel cor de rosa. Isso porque antigamente, a cor era masculina, e o jornal, era exclusivamente lido por homens;
  4. Madame de Pompadour (1721 – 1764), símbolo do estilo Rococó, era amante da arte e com um gosto altamente sofisticado. Ela trouxe à moda a combinação do rosa com azul-claro, uma mistura difícil de ser preparada. Por causa dela, uma fábrica de porcelanas criou o “Rosa Pompadour“, um tom com nítidos traços de azul, um pouco de preto e de amarelo;
  5. Para muitos, o Magenta pode parecer uma mistura de rosa e violeta, mas ele é na verdade, o vermelho mais puro: não pode ser obtido pela mistura de qualquer tom, porque ele não contém nenhuma outra cor. Por isso que no design, ele é utilizado como cor básica;
  6. O Magenta foi batizado com esse nome pelos químicos franceses em 1858, quando conseguiram produzi-la como cor de anilina. Magenta é uma cidade no norte da Itália, onde, pouco tempo antes, os austríacos haviam sido derrotados pelos franceses, na chamada batalha (sangrenta) de Magenta;
  7. Segundo a NASA existe um planeta rosa que orbita uma estrela bem parecida com o Sol, a 57 anos luz da Terra. A origem desse planeta, de cor que varia de um cereja escuro a um magenta, porém, é um mistério. Os pesquisadores conseguiram capturar uma imagem dele usando o telescópio Subaru, no Havaí. Sua cor rosada indica que ele tem menos nuvens encobrindo do que outros exoplanetas observados, o que significa que os estudiosos conseguem investigar mais a fundo a sua atmosfera e especular sobre quais são os componentes dela;
  8. Fúcsia é a denominação para um cor-de-rosa intenso e purpúreo, que existe nas flores da planta do mesmo nome. Foi dado em homenagem a Leonard Fuchs, botânico sueco do século XVI.
  9. Para o Feng Shui, rosa representa a união da terra e do céu, do material e do espiritual. A cor também é considerada uma variação do vermelho, contendo uma forma suave de energia yang (masculina) expressando alegria e jovialidade. Nos ambientes é uma boa cor para halls de entrada, dormitórios e salas de estudo.
  10. Desde 2015, magenta é a cor do logo Utilplast <3

produtos_rosa
(fonte: Follow the Colors)

Você Sabia?

Porcelana, Cerâmica, Faiança ou Louça?

tipos de louça

É possível que muita gente ainda tenha dúvidas sobre as diferenças entre porcelana, cerâmica, faiança e louca, inclusive porque os materiais são, de fato, muito parecidos. Apesar das semelhanças, há no entanto algumas diferenças importantes a serem consideradas na hora da compra. A principal é na composição de cada uma delas e também o número de queimas (a temperatura a qual a cerâmica é submetida).tipos de louça

Cerâmica

Cerâmica é um termo amplo que inclui diversos itens produzidos a partir de argila natural endurecida pelo calor. A palavra vem do grego “kéramos” (“terra queimada” ou “argila queimada”) e trata-se de um dos materiais mais antigos produzidos pelo homem, frequentemente encontrado em escavações arqueológicas. No princípio, a produção tinha funções apenas ornamentais mas com o tempo e a modernização dos processos de fabricação, tornou-se altamente funcional sem no entanto perder seu charme estético. Com ampla utilização, a cerâmica pode ser encontrada em diversos produtos com as mais variadas funções, como estátuas de jardim, azulejos decorativos, isoladores elétricos, fibra ótica e, claro, nos ítens de cozinha que tanto amamos. geralmente um pouco mais pesada do que a porcelana.

Trata-se de um material de grande resistência que tem como matéria prima, além da argila, que é primordial, outras substâncias como feldspato, sílica, e também podem apresentar alguns aditivos para o incremento de suas propriedades finais, tanto para acelerar sua secagem, quanto para atribuir maior rigidez ao resultado final. Geralmente o produto final é mais pesado do que a porcelana e com maior porosidade.tipos de louça

Porcelana

Um processo que se originou na China por volta de 1300, a porcelana nada mais é do que uma variedade de cerâmica dura, branca e translúcida, preparada essencialmente com caulim, podendo ser ou não vitrificada. Ela é delicada, impermeável e translúcida, fina, leve e brilhante quando esmaltada. A porcelana se distingue de outros produtos cerâmicos, especialmente, da faiança e da louça, pela sua vitrificação, transparência, resistência, completa isenção de porosidade e sonoridade. Ela é feita com argila branca de altíssima qualidade e assada a 1.260º C, o que resulta em peças de cerâmica duras, fortes e translúcidas. Sua superfície é bastante lisa e trata-se do tipo de cerâmica mais seguro para uso na cozinha, por não ser aderente nem porosa e também pela possibilidade de ser colocada em lava-louças.tipos de louça

Faiança

A faiança é uma espécie de cerâmica branca menos rica em caulim que a porcelana e também menos pura. Produzida em baixa temperatura, com cozimento variando entre 900º e 1280ºC, elas são bastante resistentes, mas muito porosas, por isso necessitam passar por um processo de esmaltação. É por essa razão que as faianças acabam ganhando um tom marfim ou creme e que também, com o tempo, ganham um aspecto craquelado. Isso acontece porque a temperatura de cozimento da faiança é mais baixa do que a usada na porcelana. Assim, ao invés do esmalte se fundir à peça, ele a reveste como uma casca. A produção portuguesa e italiana são as mais conhecidas e tradicionais.

tipos de louça

Louça

É a manufatura que agrega todos os artefatos produzidos com estes materiais: cerâmica, faiança e porcelana, que se diferem apenas pela composição dos elementos. Todos são feitos com argila ou barro, queimados em fornos de alta temperatura.

tipos de louça

Você Sabia?
O tempo de usar louça combinada ficou para trás. O estilo Mix&Match chegou para ficar e trata-se basicamente da mistura de cores, formatos, estilos, estampas…  o que antes era considerado cafona, virou um estilo audacioso, divertido e contemporâneo. Escolha peças que tenham um elo entre si – pode ser o material, a paleta de cores, a forma e misture. Louças neutras são ótimos coringas para composições bem feitas. Para aderir, esqueça um pouco o convencional e ouse em peças-chave, independente de estilos.

Clique aqui para conferir uma seleção incrível de louças para sua mesa.

Você Sabia?

Sal & Pimenta

Eles temperam nossa vida mas não se restringem apenas ao que comemos! Tão populares, o sal e a pimenta estão ligados não só à nossa sobrevivência, como também no desenvolvimento de civilizações ao logo da existência humana. Tanto o sal quanto as especiarias foram usados no passado como moeda de troca, e foram indiretamente responsáveis pela criação e queda de Impérios. Além disso, ambos chegaram a ser considerados tão — ou até mais — valiosos do que o ouro, e ajudaram a moldar o mundo como conhecemos atualmente.

Sal, na medida certa

O sal é o único mineral que as pessoas comem. É uma substância comum que tem sido procurada por animais e humanos desde o início dos tempos. Um dos registros mais antigos de que se tem notícia e que faz menção ao sal é um manuscrito chinês de farmacologia de 4,7 mil anos, que traz uma longa discussão sobre o emprego, métodos de extração do elemento e a descrição de mais 40 tipos diferentes de sal. Entretanto, o elemento começou a ser usado pelos seres humanos muito antes do surgimento da história escrita, e foi graças a ele que cidades inteiras se desenvolveram e se tornaram prósperas.

O sal teve um enorme impacto no desenvolvimento das civilizações, já que seu papel fundamental na preservação de alimentos não só facilitou a sobrevivência, como permitiu a mobilidade das populações. Os nossos ancestrais seguiam animais em busca de alimento e sal, e suas trilhas foram se transformando em estradas — ao longo das quais pequenos grupos começaram a se fixar, dando origem a comunidades, cidades e, eventualmente, países inteiros.

O sal também teve um papel econômico crucial ao longo da História. A cidade europeia mais antiga de que se tem notícia, Solnitsata, situada no território que hoje corresponde à Bulgária, floresceu por volta dos anos 4.700 e 4.200 a.C. nos arredores de valiosas nascentes de água salobra. Mais tarde, os fenícios se transformaram em verdadeiros mestres na extração e comércio de sal, e foi com os antigos romanos que o comércio se expandiu de verdade.

Passando para os dias atuais, cerca de 17% do sal que consumimos é encontrado naturalmente nos alimentos – do peixe aos vegetais. O restante da nossa ingestão vem do sal que acrescentamos ao cozimento dos alimentos e nos alimentos processados. Nas carnes processadas, o sal atua como aglutinante, controla a cor e melhora a maciez. No pão, fortalece o glúten na massa, proporcionando grãos, textura e força uniformes e permitindo que a massa se expanda sem rasgar. Desenvolve a dureza da casca e até a consistência no queijo. É, portanto, um alimento imprescindível em nossas vidas.

moedor de sal e pimenta

Uma pitada de pimenta

Nada como uma pitada de pimenta para acrescentar a qualquer prato um sabor diferenciado. Desde o século XV, as especiarias são produtos valorizados, importantes, e que dão um toque marcante na comida. A pimenta preta, conhecida aqui no Brasil como pimenta do reino, é e sempre foi a pimenta mais consumida e comercializada no mundo.

A pimenta do reino é um fruto da trepadeira “Piper Nigrum”, originária da Costa do malabar, trecho do litoral no sudoeste do subcontinente indiano. Durante a Idade Média, a pimenta do reino era a especiaria mais importante da Europa, e seu comercio era extremamente forte. Pelo fato de ter tanta força comercial, ela chegou a ser comercializada como moeda, provando o seu alto valor naquela época.

Pelo fato de ser um produto tão caro, se tornou um artigo de luxo, onde apenas as classes mais altas da sociedade tinham acesso. Antigamente, por não existir métodos de conservação dos alimentos, muitas especiarias eram usadas para esconder o gosto forte que se instalava nas carnes que se já encontravam em estado de decomposição, e a pimenta do reino era uma delas.

De sabor suave, e de leve picância, a pimenta do reino se tornou a rainha das pimentas e pode ser utilizada em absolutamente tudo. É a favorita dos cozinheiros, utilizada em diversos países do mundo, e anda sempre junto com o sal na hora de temperar. Seus grãos são secos ao sol igual o café e quando usados, devem ser moídos sempre na hora, pois assim o seu aroma e sabor ficam conservados.

moedor de sal e pimenta

Essencias no tempero

E já que os alimentos que ingerimos ganham vida e sabor com o uso do sal e pimenta, que tal utilizá-los da melhor forma possível?
A melhor dica é dispensar as versões já industrializadas e moer sal e pimenta na hora do uso. Basta um bom moedor e seus pratos ganharão a melhor versão dos dois temperos.

A pimenta é repleta de óleos essenciais altamente voláteis que evaporam logo que entram em contato com o ar. O cheiro que um pote de pimenta recém-aberto exala é prova disso. Ou seja, quanto mais desintegrada a pimenta, menor “área de resistência” seus aromas e sabores terão em relação ao ambiente. Por isso, um bom moedor de pimenta vai garantir que ela chegue ao prato com todo seu potencial e garanta muito mais aroma e sabor.

Já o sal não possui óleos aromáticos e o seu sabor não sofre tantas alterações quando previamente moído. O efeito do sal quando moído na hora é de textura, principalmente quando utilizado na finalização do prato.

Na hora de escolher seu moedor, atenção redobrada à qualidade da lâmina e da resistência do material.

Clique aqui e veja os melhores moedores do mercado, selecionados para você.

Você Sabia?
Até o início do século 20, barras de sal chamadas amoleh eram usadas como moeda oficial na Etiópia.A pimenta-do-reino, costumava ser usada pelos antigos egípcios durante rituais funerários que envolviam colocar seus grãos nas cavidades nasais dos faraós.

O sal também era usado pelos antigos egípcios durante rituais religiosos e na mumificação dos mortos.

Nos antigos teatros japoneses era costume jogar um pouquinho de sal sobre o palco antes das apresentações para afugentar espíritos malignos.

Os antigos gregos e romanos acreditavam que o consumo de cominho podia tornar a pele mais clara.

Pescadores europeus já salgavam o arenque e o bacalhau para poder armazená-los antes da Idade Média. Apesar de o sal ser utilizado para preservar os alimentos, na Idade Média, devido à falta de refrigeradores, as comidas acabavam estragando mais depressa. Assim, as especiarias eram utilizadas para dar sabor aos alimentos que já estavam um pouco “passados”.

Existem diversas menções ao sal na Bíblia, e ele é um dos símbolos utilizados no batismo.

E você já ouviu aquela história de que derrubar sal dá azar? Essa superstição surgiu graças à pintura “A Última Ceia” de Leonardo Da Vinci, que posicionou um recipiente com sal derramado diante da figura de Judas. Não se preocupe se você derrubar o sal… existe um antídoto! Basta jogar um punhadinho para trás sobre o ombro esquerdo.

Os soldados romanos costumavam receber rações especiais de sal chamadas salarium argentum como pagamento — e daí teria surgido a palavra “salário”. Vale lembrar que alguns historiadores negam que os romanos recebiam parte de seu pagamento na forma de sal.

Segundo dizem, os militares ganhavam tudo em dinheiro, e a origem da palavra “salário” estaria relacionada com a Via Salaria, a estrada usada para o transporte de sal até Roma.

O vocábulo “salada” também tem seu surgimento relacionado com os romanos e o sal, já que eles costumavam salgar verduras e legumes para dar mais sabor a esses alimentos.

Você Sabia?

Tapas & Pinchos

aperitivos

Populares na Espanha, as tapas e pinchos são aperitivos perfeitos para um encontro com amigos ou happy hour. Fáceis de preparar, e sobretudo de comer, estas preparações são ótimas para compartilhar e podem ter tantas variações quanto sua criatividade permitir. E criatividade é o que não falta aos chefs espanhóis, que ano após ano, vem transformando tapas e pinchos em verdadeiras obras de arte. Mas, afinal, qual a diferença entre eles?

Tapas são pequenas preparações – uma espécie de mini-refeição, que pode variar de algo simples e pequeno como uma seleção de azeitonas, a preparações mais complicadas como Patatas Bravas – que os espanhóis costumam comer em bares antes do jantar. A palavra tapas significa “cobrir” e uma história diz que antigamente os freqüentadores de bares usavam tapas para cobrir seus copos de xerez com o objetivo de manter as moscas longe.

Pinchos, por outro lado, são pequenos aperitivos frios ou quentes que são servidos espetados no pão. Eles são especialmente populares no norte da Espanha, onde os bares costumam exibir sua seleção fria em um balcão. Para contabilizar a conta, os garçons contam os espetos deixados no prato!

Que tal buscar inspiração nos dois preparos e criar aperitivos incríveis em casa?
aperitivos

aperitivos

aperitivos

aperitivos

aperitivos

aperitivos

aperitivos

Que tal conferir uma seleção incrível de petisqueiras? Clique aqui!

Você Sabia?

3000 anos de história

Todo mundo adora e ele é o hit de todo verão, mas você sabia que o sorvete tem 3000 anos de história?

A história começa com os chineses há mais de 3 mil anos, que misturavam neve com frutas fazendo uma espécie de “raspadinha”. Esta técnica foi passada aos árabes, que logo começaram a fazer caldas geladas chamadas de sharbet, e que mais tarde se transformaram nos famosos sorvetes franceses sem leite, os sorbets.
Nos banquetes de Alexandre, o Grande, na Grécia, e nas famosas festas gastronômicas do imperador Nero, em Roma, os convidados já degustavam frutas e saladas geladas com neve. O Imperador mandava seus escravos buscarem neve nas montanhas para misturar com mel, polpa ou suco de frutas. O gelo era estocado em profundos poços construídos pelo povo.

Porém, a grande revolução no mundo dos sorvetes aconteceu com Marco Polo, que trouxe do Oriente para a Itália, em 1292, o segredo do preparo de sorvetes usando técnicas especiais. Assim a moda dos sorvetes espalhou-se por toda a Itália, e quando Catarina de Medici casou-se na França com o futuro Henrique II, entre as novidades trazidas da Itália para o banquete de casamento, estavam as deliciosas sobremesas geladas, as quais, encantaram toda a corte. Mas o grande público francês só teve acesso a estas especialidades um século depois quando Francesco Procópio abriu um café, em Paris, que servia bebidas geladas e sorvete tipo sorbet.

Os sorvetes se espalharam por toda a Europa e logo chegaram também aos Estados Unidos e a primeira produção de sorvete em escala industrial ocorreu nos Estados Unidos, há 40 anos. Hoje, no mundo todo, quem mais fabrica sorvete são os norte-americanos.

No Brasil, o sorvete ficou conhecido em 1834 quando dois comerciantes cariocas compraram 217 toneladas de gelo, vindas em um navio norte-americano, e começaram a fabricar sorvetes com frutas brasileiras. Na época, não havia como conservar o sorvete gelado e, por isso, tinha que ser tomado logo após o seu preparo. Um anúncio avisava a hora exata da fabricação. O primeiro anúncio apareceu em São Paulo, no dia 4 de janeiro de 1878, contendo a seguinte mensagem: SORVETES – Todos os dias às 15 horas, na Rua Direita, nº 44.

Três mil anos depois, é possível produzir sorvetes artesanais em casa, explorando todo o potencial das frutas da estação, de maneira fácil, saudável e divertida. Clique aqui para ver os utensílios essenciais e comece já a fazer seu sorvete.sorvete
(fonte: ABIS)