Categoria

Petiscos

Petiscos Receitas

Croquetas de Batata

croquetas

Famosas na Espanha, as croquetas lembram o nosso tradicional croquete mas tem preparo diferente, geralmente partindo de um bechamel. Considerado um prato de reaproveitamento, as croquetas foram criadas na França mas conquistaram mesmo os espanhóis em uma época da farinha abundante e proteína escassa. Com diversas variações da receita original, dá para preparar uma croqueta de batata de maneira muito simples e no forno, longe das calorias da fritura em imersão, para petiscar (quase) sem culpa 🙂

Ingredientes
750g de batatas em cubos
25g de manteiga
2 gemas de ovo mais 2 ovos inteiros
50g de queijo como cheddar, emmental ou gruyere
50g de farinha de trigo
100g de farinha Panko (ou de rosca, para empanar)
azeite, sal e pimenta preta moída na hora

Modo de preparo
Cozinhe as batatas em água levemente salgada por 15 minutos ou até ficarem macias. Escorra e amasse bem, de preferência com um amassador. Acrescente a manteiga, as 2 gemas, o queijo e tempere a gosto. Reserve até ficar firme e frio o suficiente para manusear.

Molde a mistura em 14–16 croquetas, pesando cerca de 50g cada.

Coloque a farinha de trigo, os ovos inteiros e a Panko (ou farinha de rosca) em três bowls separados e bata os ovos. Mergulhe cada croqueta na farinha de trigo, remova qualquer excesso e mergulhe no ovo batido e então na Panko, deixando toda a superfície do bolinho coberta por ela. Transfira para uma assadeira e deixe esfriar até a temperatura ambiente. Pré-aqueça o forno a 200°C.

Regue as croquetas com azeite e asse por 20 minutos, ou até dourar.

Você Sabia?
Há evidências de que o chef francês Antonin Carême conhecido como o “rei dos chefs e chef dos reis” foi quem apresentou as croquetas nas cozinhas nobres em meados do século XVIII e início do XIX após servi-los em um de seus banquetes sob o nome croquetes à la royale.
O termo croqueta é atribuído à onomatopéia croc ou croquer (crunch). E a partir daí, croqueta. Em outros países muda seu nome: kroket (Holanda), krokett (Hungria), korokke (Japão), croquete (Portugal / Brasil), kroketten (Alemanha), croquete (em inglês).

Petiscos Receitas

Patês para petiscar

patê

Você sabia que aquele patêzinho que passamos no pão tem origem lá na Antiguidade? Desde aquela época os egípcios apreciavam a carne saborosa dos patos que migravam no inverno em uma espécie de pasta e gregos e romanos utilizavam o fígado de ganso, também em formato pastoso, para confeccionar pratos. Apesar de alguns países se considerarem os donos desta criação, foi mesmo na França, quando a região do sudoeste começou a produzir o foie gras (fígado de ganso), que o patê ganhou fama mundo afora. Aliás, o nome vem do francês pâté, de “pasta”, e é exatamente disso que se trata esse prato tão coringa – uma pastinha saborosa para acompanhar o pão, a torrada, vegetais… as possibilidades são muitas!

Na hora de reunir os amigos e a família o patê faz bonito no petisco e pode ser utilizado com muita criatividade. Facílimo de preparar e de servir, permite mil combinações de sabores e vai bem com outros clássicos do petisco, como torradinhas, crostinis e grissinis.

Basicamente tudo vira patê, basta que se utilize uma base neutra como ricota, requeijão, iogurte e até tofu para versões veganas. Os demais ingredientes podem variar a vontade – vegetais, queijos, carnes, ervas… o tempero pode ser bem básico: sal, pimenta e azeite já garantem um patê bem temperado e equilibrado. Há também versões de origem árabe, feitas com grão de bico e berinjela, que viram ótimos petiscos.

Dica:
Deixe para temperar somente na finalização e prove sempre o patê frio antes de servir, que é quando dá para perceber melhor os aromas e sabores.

Três receitas para receber
pates

PATÊ DE BETERRABA

1 beterraba ralada ou picada
1/2 xícara de ricota fresca
1 dente de alho
Suco de 1 limão grande
4 colheres de azeite
1 pitada de sal
1 pitada de pimenta do reino
1 copo de água

Bata tudo no liquidificador ou processador, acrescentando a água aos poucos até obter uma pasta lisa  homogênea. Sirva regado com azeite extra virgem.

 

PASTA DE GRÃO DE BICO (HOMUS)

1 kg de grão de bico cozido e escorrido (reserve 1/2 xícara da água do cozimento)
4 colheres (sopa) de tahine (pasta de gergelim)
2 dentes de alho amassados
Suco de limão a gosto
Azeite o quanto baste
Sal a gosto

Bata o grão de bico cozido no liquidificador com um pouco da água do cozimento (acrescente a água aos poucos pois o resultado não deve ser um creme muito mole). Reserve.
Misture bem o tahine com o limão, sal e o alho amassado, batendo com um garfo até ficar homogêneo. se necessário acrescente um pouco de água.
Junte o azeite e o creme de grão de bico batido e misture bem. Prove o tempero e acrescente mais sal ou limão se necessário.
Na hora de servir r
egue com mais um pouco de azeite e enfeite com folhas de hortelã ou salsinha picada. Sirva com pão sírio, italiano ou torradas.

 

PASTA DE ABACATE

1 abacate médio maduro
2 colheres (sopa) de iogurte
2 dentes de alho grandes
Suco de 1/2 limão
Sal e pimenta a gosto
Folhas de hortelã para decorar

Retire a polpa do abacate com a ajuda de uma colher.  Em um processador ou mixer, coloque o abacate o alho o sal e o suco do limão.
Junte o iogurte, misture bem e prove o tempero, ajustando se necessário.
Sirva frio decorado com folhinhas de hortelã.