Categoria

Dicas

Dicas

Banheiro limpo com 5 dicas

banheiro limpo com cinco dicas

A pesquisa atestou que o banheiro é o local mais cheio de germes de uma residência. No entanto, ele também é o cômodo que se limpa com mais frequência e, sendo assim, muitas vezes acaba não sendo tão “perigoso” nesse aspecto quanto outros locais que ficam “esquecidos”, apenas acumulando sujeira – e, consequentemente bactérias e outros tipos de microorganismos.

Para evitar a proliferação de bactérias neste ambiente tão propício, o calendário de limpeza sugerido inclui uma limpeza rápida diária (retirar lixo, utilizar a escova de vaso e ventilar o ambiente). Uma ou duas vezes por semana deve ser feita uma limpeza mais profunda, que inclui lavar o banheiro e desinfetar vaso e pia. A cada quinze dias a dica é limpar os rejuntes, que acumulam muita sujeira – uma solução em um borrifador com meia parte de água, meia de vinagre e uma colher de sopa de bicarbonato de sódio. Depois de pronta a solução, deve-se borrifá-la nas paredes e deixá-la agir por cerca de 30 minutos. Depois de 30 minutos, é só passar um pano úmido. Os tapetes podem ser lavados semanalmente e os armários devem ser limpos a cada quinze, aproveitando para checar a validade de cosméticos e perfumaria.

(confira nossas dicas para conservar maquiagem)

Para a limpeza

Chuveiro

Despeje uma grande quantidade de vinagre branco em uma sacola de plástico (o suficiente para submergir o bocal do chuveiro) e amarre-o no lugar para uma imersão durante a noite. Retire-o de manhã e abra a água para enxaguar. Se o banheiro tem cortinas de plástico e forros a dica é usar um ciclo rápido na máquina de lavar com o seu detergente regular e algumas toalhas velhas, que atuam como purificadores para ajudar a se livrar da escuma de sabão e bolor. Deixe secar antes de levá-las de volta ao banheiro. No box uma pasta com algumas gotas de vinagre branco e uma xícara de bicarbonato de sódio vão deixá-lo limpinho! Aplique a pasta diretamente no box. Deixe descansar por uma hora e esfregue com um pano de microfibra. Depois é só enxaguar e polir com um pano novo e seco de microfibra. A banheira é um problema menor – uma lavagem semanal geralmente é suficiente, mas para um brilho extra, encha-a com água quente e depois escorra. Aplique um produto de limpeza e deixe descansar por 15 minutos antes de esfregar.

Dica esperta: limpe a condensação de todas as superfícies após o banho e deixe a janela aberta durante uma hora por dia para baixar o nível de umidade.

banheiro limpo com cinco dicas

Revestimentos cerâmicos, parede, teto
Lave as bancadas, as paredes e o teto com o limpador multiuso e ligue o chuveiro, pondo a água quente em funcionamento até que o vapor se acumule (cerca de cinco minutos). Desligue a água, feche a porta ao sair e deixe o vapor e o limpador agindo por 20 minutos. Em seguida, limpe todas as superfícies com um pano limpo. Para alcançar pontos altos, use um esfregão de microfibra limpo e seco. Limpe o chão também, mas somente depois de terminar o resto do trabalho no teto e parede.

Dica esperta: para minimizar as marcas de água na cerâmica, aplique uma camada de cera de carro uma vez por ano. A água não acumula e escorre. Tintas resistentes a mofo também podem ajudar nas paredes e tetos.

Vaso
Despeje uma xícara de bicarbonato de sódio no vaso. Deixe descansar por alguns minutos; escove e lave. Use a própria escova de vaso sanitário, que deve ser limpa após cada uso. Mergulhe a escova em um recipiente com cloro, deixe repousar por alguns minutos e depois mergulhe em água limpa. Ela também pode ficar por algum tempo em recipiente com água morna e sabão e depois em água limpa.

Dica esperta: mantenha a tampa do vaso sempre fechada.
banheiro limpo com cinco dicas

Pia
Despeje vinagre branco ou bicarbonato de sódio pelo ralo e lave com água quente. Para a torneira, uma boa dica é o uso de lenços desinfetantes descartáveis, que reduzem significativamente as bactérias – panos podem apenas mover os germes de um ponto para outro. Se você precisar usar panos, seja cuidadoso sobre onde cada um é empregado e armazenado. Fio dental é perfeito para lidar com aquele espaço estreito e encardido onde a base da torneira se encontra com a pia.

Dica esperta: aplique óleo de bebê na saboneteira para evitar que a barra fique grudada.

Toalhas
Substitua as toalhas a cada três ou quatro dias pois elas seguram muito a umidade e isso é um prato cheio para bactérias.

Dica esperta: em vez de pendurar as toalhas molhadas em um gancho, onde as dobras se forma, prefira estendê-las em uma barra, onde o ar pode circular. Não se esqueça de limpar a barra de toalha de vez em quando! 

Nunca é tarde para lembrar…
Os cestos de lixo do banheiro devem ser esvaziados diariamente e limpos regularmente. E atenção: os modelos abertos estão vetados! Prefira aqueles com tampas e mantenha-os sempre fechados.
Use luvas ao limpar o banheiro.
Na hora de utilizar a descarga, a tampa do vaso sanitário deve estar fechada!  Aberta, os resíduos espalhados pela força da água podem contaminar o ar e o ambiente.
Lentes de contato não devem ficar expostas para evitar a contaminação. Mantenha-as sempre em seu recipiente fechado.
Por último, mas não menos importante, lave sempre as mãos sempre que usar o banheiro.

banheiro limpo com cinco dicas
* Confira nossa seleção de itens para limpeza.

Dicas

Closet organizado em 5 passos

closet organizado

Chegou aquele momento em que você passa mais tempo procurando uma coisa no closet do que se arrumando? Então é hora de pensar com carinho em colocar a mão na massa e organizar agora mesmo este espaço. Especialistas garantem que a organização proporciona bem estar e sensação de renovação. Um estudo realizado na Universidade de Princeton mostrou que o que enxergamos em nosso campo de visão afeta nossa mente – logo, um ambiente organizado gera uma mente mais organizada e tranquila. Além disso, encontrar facilmente o que você precisa diminui o estresse e a ansiedade, garante economia (você não precisa comprar aquilo que já tem no seu armário, não é?) e te dá mais tempo para fazer as coisas que realmente importam na vida – você prefere passar um bom tempo procurando aquele brinco ou aproveitando a festa?

Não é tão complicado quanto parece, vamos lá:

1. Organize usando suas preferências
A melhor maneira de organizar seu closet ou armário é configurá-lo em nichos com base no seu dia-a-dia. O que você usa com maior frequência deve ficar ao alcance das mãos e dos olhos e o que é usado raramente pode estar guardado em um espaço que você não acessa o tempo todo. Crie setores organizados por modelos, ocasiões e cores – uma blusa preta que você usa para trabalhar não precisa estar junto com o top que você usa na academia. Setorizando você ganha tempo e se localiza facilmente no espaço.
Atenção também ao que deve ser dobrado e pendurado.

O que dobrar:
• Peças de lã e linha: não podem ficar penduradas pois perdem a forma e esticam
• Camisetas de malha: por serem muito finas e pesadas também perdem a forma se penduradas
• Peças de algodão: não amassam e não marcam com facilidade, portanto podem ser dobradas
• Roupas de ginástica: não amassam
• Jeans: podem ser dobrados caso não tenha espaço suficiente para pendurá-los
• Pashmimas: dobre tendo como base a largura da peça para não criar marcas desnecessárias
• Vestidos de festa bordados ou com tule – colocar em caixas, envoltos em papel de seda
• Pijamas e camisolas
• Roupas íntimas

O que pendurar:
• Roupas de tecidos delicados (seda, crepe, cetim, etc.)
• Calças de alfaiataria
• Casacos pesados
• Blazers
• Vestidos em geral (se forem de malha, pendurar pela metade para não esticarem)
• Saias

2. Use os cabides certos
Eles são fundamentais para manter seu closet organizado e suas roupas armazenadas de maneira correta. O design é importante para cada tipo de peça e quando você padroniza seus cabides cria também uma harmonia visual, que dá sensação de organização. Escolha modelos duráveis, que não marquem os tecidos e que sejam apropriados para a peça. Invista em peças específicas para echarpes, gravatas, cintos, lenços, e também em acessórios como presilhas aveludadas e adesivos de silicone, que garantem que a peça não fique escorregando do cabide.

*confira nossa seleção de cabides e acessórios

3. Seja criativo
Se você tem uma robusta coleção de cachecóis que tal utilizar o espaço atrás da porta ou em uma parede para organizá-los? Além de economizar espaço no armário, você expõe sua coleção de um jeito charmoso e personalizado. Para isto, invista em cabides de parede ou aproveite um pequeno canto para utilizar um cabideiro de chão. Os acessórios merecem organizadores especiais que mantém tudo no lugar e podem ser colocados na bancada, em uma gaveta ou prateleira baixa. Invista também em caixas e cestas organizadoras para criar nichos e otimizar o espaço.

*confira nossa coleção completa de organizadores

*confira cinco maneiras de organizar com cestas plásticas

4. Maiores volumes pra cima
Utilize os espaços mais altos do armário para organizar roupas volumosas, edredons, cobertores e malas. Deixe no alto tudo aquilo que não é utilizado com frequência ou faça rodízio por temporada: no verão use os espaços de cima para acomodar as roupas de inverno e vice versa.

5. Desapegue
Antes de organizar é preciso limpar o armário e isso significa retirar dele tudo aquilo que você não usa mais, que não serve mais,  que tem alguma mancha ou defeito e itens que não podem ser consertados. Comece pela parte de cima onde geralmente ficam as peças menos utilizadas e tenha em mente que se uma peça não foi utilizada nas duas últimas estações, provavelmente é candidata ao descarte. Analise com critério e separe as peças que podem ser doadas e aquelas que devem ir para o conserto. Se o volume do descarte é grande demais e as peças estão em ótimas condições, considere a opção de fazer um bazar com as amigas – nada mais antenado do que reciclar, reutilizar e consumir de maneira consciente.

closet organizado

Dicas

10 dicas para uma cozinha mais saudável

dicas para cozinha saudavel

O brasileiro está mudando o seu cardápio, adicionando mais verduras, legumes e frutas ao prato e optando por uma alimentação saudável. É o que aponta uma pesquisa encomendada pela Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador (Assert).
O crescimento do comércio de alimentos naturais também impressiona no Brasil. Nos últimos cinco anos, as vendas avançaram a uma taxa média de 12,3% ao ano, enquanto no resto do mundo o percentual ficou em torno de 8%. A previsão é que o mercado brasileiro de produtos saudáveis cresça anualmente 4,4% até 2021 – números que comprovam que a crise passa longe deste setor.

Os brasileiros estão procurando uma alimentação saudável por entenderem a importância dessa postura para a própria saúde. A adoção de um cardápio mais equilibrado, por exemplo, previne o surgimento de doença crônicas e a ingestão de frutas, verduras, legumes e cereais integrais, que contêm vitaminas, fibras e outros compostos, auxilia na defesa natural do corpo.

Disposto a mudar também seus hábitos alimentares? Listamos dez dicas rápidas para aplicar em sua cozinha.

1. Gordura boa
Nem toda gordura é ruim. Prefira as insaturadas (por exemplo, azeite de oliva extra virgem) sobre gorduras saturadas, que devem ser usadas com moderação no dia-a-dia.

2. Escolha integrais e orgânicos
Escolha grãos integrais sobre no lugar dos refinados. Grãos integrais como arroz têm seu farelo intacto e, portanto, têm mais fibra, vitaminas B, magnésio, zinco e outros nutrientes. Já os orgânicos são produzidos com métodos que não utilizam agrotóxicos sintéticos, transgênicos ou fertilizantes químicos. As técnicas usadas no processo de produção respeitam o meio ambiente e visam manter a qualidade do alimento. Uma ótima escolha para sua alimentação!

3. Frutas e vegetais
A maioria das pessoas não os consomem em quantidades suficientes. O ideal são 4 a 13 porções de frutas e legumes por dia, a depender da sua dieta alimentar. Escolha produtos em uma variedade de cores para obter uma gama de antioxidantes e vitaminas. Uma porção corresponde de 1/2 a 1 xícara, dependendo da fruta ou verdura.

4. Gordura trans
Limite-as no dia-a-dia. Elas são frequentemente encontradas em alimentos como bolos, biscoitos, bolachas, bolos, tortas, muffins, rosquinhas e batatas fritas. Verifique sempre a etiqueta de informações nutricionais na embalagem.

5. Faça em casa
Quase tudo pode ser produzido em casa. Molho de tomate? O caseiro é fácil de fazer e muito mais saboroso. Maionese? Preparando em casa você pode variar o sabor e ter sempre uma maionese fresca e saborosa. Pão? Nada como um no forno perfumando a casa toda. Com preparos caseiros você elimina ou reduz os processados e ultraprocessados de sua alimentação. Isso é ótimo!

* Veja nossa seleção para fazer molho de tomate, maionese e pão

dicas para cozinha saudavel
6. Explore novas formas de preparo
No lugar de fritar em imersão, que tal assar? Utilizando muito óleo? Experimenta grelhar. Cozinhando vegetais? Que tal utilizar o vapor? Explore as opções e descubra novas maneiras saudáveis de preparar os ingredientes.

* Veja nossa seleção para assar, grelhar e cozinhar a vapor

7. Açucar refinado
Você não precisa tanto dele! Comece a utilizar adoçantes orgânicos e não refinados, como mel puro ou açúcar de coco. Estes adoçantes possuem minerais e vitaminas intactas, tornando-os menos fatigantes ao organismo e são menos viciantes.

8. De olho no sódio
Se você tem ou não pressão alta, é aconselhável observar a ingestão de sódio. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) os adultos deveriam consumir menos de 2 gramas de sódio – ou menos de 5 gramas de sal – e pelo menos 3,51 gramas de potássio por dia. Isso equivale a menos de uma colher de chá rasa de sal ou cinco pacotinhos daqueles servidos em restaurantes, já que cada um contém 1 grama.

9. Invista no sabor
Qualquer prato ganha vida com ervas frescas, especiarias, cítricos, oleaginosas… são muitas opções e todas super saudáveis. Experimente!

10. Cozinhe com prazer
Faça decisões conscientes de alimentos ao invés de optar pelo que é mais conveniente e certifique-se de que seja sempre algo saboroso ao seu paladar. Quando você cozinha com prazer e gosta do que come, sente-se muito mais satisfeito e feliz.
dicas para cozinha saudavel

Dicas

Dicas para marmitas

dicas para marmitas

Desde sempre, e em condições muito diferentes, o homem transportou comida – por necessidade ou por prazer, na guerra, nos piqueniques, no trabalho ou em longas viagens. Registros mostram por exemplo que a prática japonesa de arrumar alimentos em pequenas caixas é muito antiga e teve influência chinesa do século XII, do período da dinastia Song do Sul, quando a enorme expansão urbanística na China provocou uma alteração dos hábitos alimentares. Desde então os japoneses aperfeiçoaram a prática e a transformaram em arte – os bentôs ganharam o mundo e hoje servem de inspiração para adeptos da marmita.

É certo que preparar sua própria refeição não é somente mais econômico mas também muito mais saudável. Preparar seu alimento o conecta com ele, lhe garante total liberdade de escolha e, acredite, pode ser bastante prático e prazeiroso. Na hora de montar sua marmita, algumas dicas podem ser importantes:
dicas para marmitas

1. Invista nos recipientes certos
Os recipientes adequados permitem que você transporte e aqueça suas refeições com segurança. Marmitas plásticas (livres de BPA) ou de silicone permitem que você divida as porções com facilidade. Invista em diferentes formatos e tamanhos de recipientes – para alimentos, saladas, molhos e lanches. Um squeeze, um recipiente apenas para frutas e sacos com fechamento herméticos para castanhas e frutas secas também são ótimas opções. Os potes de vidro também tem suas vantagens na hora de transportar comida – levam saladas, sopas e smoothies, são fáceis de limpar e não guardam resíduos e odores.

2. Diversidade e criatividade
Nada pode destruir mais facilmente o hábito da marmita do que uma monótona rotina alimentar. Seja criativo! Invista em molhos diferentes para as saladas e em preparos diversos para o mesmo ingrediente – que tal incluir o feijão na salada ou mudar o molho da massa? Um cardápio diário pede diversidade. Troque as folhas da salada semanalmente, invista em frutas da estação, inclua um nova especiaria ou erva fresca, alterne o cardápio e procure deixá-lo o mais variado possível.

* Confira aqui receitas de molhos para saladas

3. O que entra na marmita
Quase tudo, mas algumas receitas se comportam melhor quando re-aquecidas. Cozidos, picadinhos, almôndegas, purês e carnes com molho são boas opções. Alimentos mais secos podem sofrer mais com o reaquecimento, por isso invista em opções que possam ser servidas com um molhinho, que pode inclusive ser transportado a parte – esta é uma grande dica para massas!
Tortas e receitas frias também são ótimas opções, além de sopas e sanduíches. Saladas garantem o frescor da refeição e são perfeitas para transportar – capriche no molho! Evite alimentos gordurosos, como os que passaram por fritura em imersão por exemplo, e aqueles mais sensíveis, como peixes delicados e frutos do mar.
Lembre-se: também comemos com os olhos! Uma marmita bem arrumada também vale pontos.

*Confira aqui dicas para montar uma Salada no Pote

4. Use as sobras de forma criativa
Seu jantar pode virar um almoço incrível no dia seguinte. Sobrou frango desfiado? Que tal preparar um sanduíche? Arroz branco? Que tal incluir alguns vegetais e dar uma cara nova pra ele?
Carne de panela? Ela vira um ótimo molho para massas curtas. dicas para marmitas
5. Temperatura certa
Transportar alimento requer atenção à segurança alimentar. É importante utilizar uma bolsa térmica para conservar a temperatura e evitar que a comida estrague. Manter o alimento sempre fresco também vai influenciar o seu sabor e deixar tudo mais gostoso.

6. Se organize
Aderir a marmita não quer dizer que você tenha que cozinhar todos os dias. Mantenhas opções congeladas para quando faltar tempo – sopas, tortas e quiches e frutas são ideais. Crie um cardápio semanal e organize as compras e alguns preparos no final de semana – por exemplo, deixe todas as folhas lavadas e higienizadas. Na hora de montar a marmita é só colocar a porção no recipiente e preparar o molho.

7. Refeições tranquilas
Não é porque você aderiu a marmita que precisa comer em cinco minutos! Faça sua refeição com calma, saboreando os alimentos e não apenas se alimentando. Comer com um amigo também pode transformar a refeição em um momento ainda mais agradável. E já que você ganhou autonomia para transportar sua comida, por que não saboreá-la em um local diferente? Um sanduíche no parque quebra a rotina semanal e pode ser um ótimo momento de relaxamento também.

Agora que você já conhece alguns truques, confira nossa seleção de marmitas, potes e bolsas térmicas e se jogue neste hábito saudável.dicas para marmitas
Confira a linha de marmitas <OU>
dicas para marmitas

Dicas

Romance e chocolate

Quem já não ficou em pânico diante de alguém por quem se sente atraído? Mãos suadas, palpitações e gagueira são sintomas típicos dos apaixonados mais tímidos. Agora, eleve tudo isso ao cubo e terá uma ideia aproximada dos problemas de Angélique (Isabelle Carré) e Jean-René (Benoît Poelvoorde).

Ele, dono de uma fabrica de chocolates à beira da falência. Ela, uma chocolateira excelente, mas que por sua dificuldade de se relacionar com seus pares não consegue ter uma carreira de sucesso. O encontro dessas duas pessoas com problemas para lidar com o mundo, e entre elas mesmas, é a base do delicioso filme Românticos Anônimos, do francês Jean-Pierre Ameris.

Delicioso aqui não é força de expressão. A fabricação de chocolate – esta maravilha que comemos quando estamos felizes, comemos quando estamos tristes – serve de pano de fundo para a história, cenário ideal para as desventuras do casal. São de encher os olhos e fazer o espectador salivar as cenas envolvendo a guloseima, a forma como eles desenvolvem novos sabores de chocolate, descrevem minuciosamente cada um deles, o gosto, a sensação que causa na boca, tudo isso faz de Românticos Anônimos um filme que se assiste e degusta ao mesmo tempo.

Diferente da maioria das comédias românticas produzidas em massa em Hollywood, todas sempre muito iguais, a produção mostra ser possível fazer algo interessante mantendo a proposta de humor romântico. E tudo sem apelo sexual exagerado e piadas de mau gosto.

A profundidade dos personagens e suas atuações fazem do longa uma joia rara em meio ao cascalho. A história é conduzida de tal maneira que os protagonistas se tornam pessoas reais, muito em função da química entre Poelvoorde e Carré, ambos perfeitos como dois “emotivos” incorrigíveis. Para completar, um bom elenco de apoio a dar suporte à trama.

Românticos Anônimos tem roteiro espirituoso e inteligente, personagens simpáticos e, acreditem, pouco importa se é possível prever o desfecho da história nos primeiros 15 minutos de projeção. Quando chegar lá, você estará encantado. Leve, sutilmente engraçado e comovente, é perfeito para se ver com quem se ama e, de preferência, com uma caixa de chocolates do lado.

Fonte: Cineclick
Título original:
 Les Émotifs Anonymes
Direção: Jean-Pierre Améris
Elenco: Benoît Poelvoorde, Isabelle Carré, Lorella Cravotta

Dicas

Ovos. Qual o seu preparo favorito?

como preparar ovos

Nossos antepassados domesticaram pássaros há mais de 5.000 anos e, desde então, o ovo é um dos alimentos mais consumidos pelos humanos no mundo todo. Quase uma unanimidade, os ovos entram de diversas maneiras em nossa alimentação e transitam deliciosamente do café da manhã ao jantar. Versáteis, podem ser o protagonista da refeição ou virar um incrível acompanhamento, além de ser um grande coringa na hora de criar uma cardápio.

Brancos ou Vermelhos?

Qual a diferença entre os ovos vermelhos e brancos e qual tipo você deve comprar? Talvez você já tenha feito essa pergunta e resposta é uma só: a única coisa que não é idêntica aos ovos brancos e vermelhos é a sua cor.

Os ovos brancos são colocados por galinhas com penas brancas e ovos vermelhos são colocados por galinhas castanhas ou vermelhas. É isso. Não há diferença perceptível no gosto ou na qualidade. Se há alguma diferença de fato entre ovos ela fica entre os comuns e os orgânicos – estes sim, mais saudáveis e naturais.

Mil maneiras

Por serem increvelmente versáteis, ovos podem ser preparados de tantas maneiras quanto nossa imaginação permitir. Eles dão liga em diversos preparos, são responsáveis por dar forma a diversas sobremesas e ganham fãs no mundo todo ao serem consumidos em suas formas mais comuns. Vamos a elas.

como preparar ovos

Frito, um clássico

Pode parecer que não há mistério em fritar um simples ovo. De fato, não há, mas alguns truques ajudam no resultado final:

  • Colocar água e usar a tampa
    Adicione 1 fio de azeite ou óleo ou 1 colher de manteiga, quebre o ovo, tempere com sal e deixe cozinhar em fogo alto até começar a tomar forma. Então, junte 1 colher (sopa) de água na frigideira e tampe! É como cozinhar no vapor, o que torna o cozimento mais uniforme.
  • Frigideira quente, mas não demais
    O ideal é que seja antiaderente para seu ovo ficar efetivamente perfeito. E o segredo é deixá-la quente antes de jogar o ovo, numa temperatura que a manteiga borbulha, mas não escurece.
  • Não ficar mexendo
    Isso pode fazer com que o cozimento seja desigual e sua gema acabe furando.

Dica: Usar manteiga clarificada (ghee) é uma boa opção.
Além da manteiga ser uma gordura ótima para cozinhar – pelo sabor e pelo aspecto que deixa na comida -, a versão clarificada (ou chamada de ghee) não tem a parte da lactose. Isso é vantajoso porque na hora de fritar o ovo, ela tem um ponto de queima mais alto e não vai deixá-lo com aquele aspecto torradinho.

como preparar ovos

Cozido do seu jeitinho

Tempo é tudo para obter um ovo cozido perfeito e o preparo ideal é possível observando uma sequência bastante simples.

Ovos que estavam na geladeira devem ser retirados com antecedência antes de serem levados ao cozimento. O ponto ideal é que ele esteja a 25ºC na hora que entrar em contato com a água, que deverá estar fervendo (100ºC). O tempo vai variar conforme o resultado final que você quer (dica: use um timer!):

  • Gema mole: 6 minutos
  • Gema cremosa: 9 minutos
  • Gema dura: 12 minutos

Passado o tempo que você quer, retire os ovos e coloque-os em uma tigela com água gelada. Isso freia o cozimento e evita que ele passe do ponto desejado. Bata delicadamente com as costas de uma colher para quebrar a casca e descasque com cuidado.

VOCÊ SABIA?
Para ovos cozidos e fáceis de descascar, tente adicionar uma colher de chá de suco de limão à água. O suco de limão não adicionará sabor mas facilitará a retirada da casca.

como preparar ovos
Mexidos e perfeitos

Um ovo mexido não é apenas um ovo mexido em uma panela! Eles devem ser macios e perfeitos e por isso pedem o uso da técnica adequada.

Para começar, bata rapidamente os ovos e algumas colheres de sopa de leite (1 colher de sopa para cada ovo grande) com um batedor por cerca de dois minutos, ou até que a mistura esteja uniforme e formando um tipo de espuma. O truque para ovos perfeitamente fofinhos está justamente nas bolhas de ar que são geradas nesta mistura!

Despeje sua mistura espumosa em uma frigideira, adicione sal e pimenta a gosto e cozinhe em fogo médio, mexendo ocasionalmente (mas não constantemente) das bordas para o centro, devagar, até que toda a mistura de ovos se solidifique – e lembre-se de desligar o fogo assim que isso acontecer para evitar que eles cozinhem demais e percam a cremosidade.como preparar ovos

Sua receita de omelete

Quase todo mundo tem uma receita favorita de omelete – da versão mais simples apenas com ovos e temperos às mais incrementadas com queijos, tomates e ervas. Vale lembrar que o ovo é o protagonista aqui e por isso deve ser a base da receita e não apenas uma liga para outros ingredientes. Menos é mais, principalmente neste caso.

Bata seus ovos com um batedor e adicione uma colher de sopa de leite para cada ovo para obter uma omelete mais macia. Tempere a seu gosto, aqueça uma frigideira antiaderente com um fio de óleo ou uma colher de manteiga e despeje a mistura cuidadosamente.

O primeiro e mais importante passo para fazer uma omelete é a paciência – os ovos devem cozinhar em fogo alto nos primeiros segundos passando para médio-baixo logo em seguida. E você não deve tocar na mistura até que ela tenha se solidificado no fundo e esteja quase cozida, ou você acabará fazendo ovos mexidos, e não omelete!

Aqui vem a parte complicada: a virada! Passe uma espátula gentilmente nas bordas para soltar, certificando-se de que sua omelete não ficará presa na panela na hora de virá-la. Você pode tentar o método ousado, virando apenas com o movimento da frigideira (uau!) ou ir com mais calma, colocando um prato por cima da frigideira e virando-a. A omelete vai parar no prato e depois basta deslizá-la suavemente de volta para a frigideira, já do lado certinho. Parece complexo? Então nada de virar! Quando a mistura de ovos estiver durinha, use uma espátula para dobrar a omelete ao meio e sirva dobrada.

como preparar ovos
Pochê, pura técnica

Talvez não seja a preparação mais comum mas com certeza é a mais charmosa e a que exige mais técnica. Nada como um ovo pochê perfeitamente cozido que ao ser partido deixa escorrer a gema cremosa e brilhante. Para que isso aconteça, algumas dicas:

Antes de mais nada retire a parte mais líquida do ovo antes de começar a cozinhá-lo. O segredo para fazer isso é quebrar o ovo em uma peneira bem fininha e esperar pacientemente que o excesso líquido da clara passe pelos furinhos. Quando para de escorrer é porque está pronto para ser cozido.

Em uma frigideira funda coloque mais ou menos 5cm de água para ferver e junte uma colher de sopa de vinagre branco. Espere aquecer mas não deixe que a água ferva e entre em ebulição – a temperatura certa está entre 75°C e 85ºC. Deslize o ovo delicadamente sobre a água. Conte os minutos a partir do instante em que colocá-lo na água – são 6 minutos para uma gema perfeita e macia. Após este tempo. retire o ovo cuidadosamente com uma espátula e coloque sobre papel absorvente para retirar o excesso de água. Depois, é só servir, temperando com sal e pimenta do reino moída na hora.

Agora que você sabe mais sobre esses preparos, confira nossa seleção de itens indispensáveis para preparar ovos incríveis.

Dicas Receitas Sucos e Chás

Como preparar Smoothies

como fazer smoothies

Antes das dicas para preparar smoothies deliciosos e nutritivos, vamos a resposta para a pergunta: Qual a diferença entre suco e smoothie?
Ao contrário dos sucos, que utilizam apenas os líquidos obtidos das frutas batidas, os smoothies são feitos a partir da mistura de alimentos naturais inteiros. Desta forma, utilizando integralmente frutas e vegetais, você garante ainda mais benefícios nutricionais com as vitaminas, minerais e fibras contidas nestes alimentos.
Além dos benefícios para quem busca uma alimentação saudável no dia a dia, os smoothies são ótimos para o verão já que podem ser preparados com frutas congeladas e se tornam uma bebida super refrescante.

COMO PREPARAR?

Um smoothie conta com 3 ingredientes principais – um líquido, uma fruta e um vegetal. A refrescância fica por conta do gelo, que pode ser substuituído por frutas congeladas ou mesmo por líquidos congelados em forminhas de gelo, como café, leites de castanhas e muitos outros. Além dos ingredientes base você pode e deve adicionar outros ao seu smoothie – que tal ervas frescas ou um pouquinho de pimenta? O importante é testar suas variações favoritas!

Sugestões de ingredientes:

Líquidos: Água, lácteos ou não lácteos (leites obtidos através de castanhas, soja e etc), café, chás, kefir, água de coco, leite de coco (a versão desnatada não coagula quando frio), sucos frescos
Frutas: Algumas rendem ótimos smoothies como cerejas, bananas, melões, mangas, pêssegos, nectarinas, damascos, abacate, abóbora cozida
Vegetais: Espinafre, couve, cenoura, pepino, beterraba
Ervas e Especiarias: Baunilha, canela, noz-moscada, pimenta, cravo-da-índia, cardamomo, anis, hortelã, manjericão, coentro

Dica: Para obter um delicioso leite de castanhas bata 1 a 2 xícaras de água com 1/4 xícara da castanha escolhida, como nozes, amêndoas, avelãs e outras. Depois de bem batido é só coar e utilizar no lugar do leite comum.

Para adoçar sem utilizar açucar

Se o objetivo é manter uma alimentação saudável, é possível fazer ótimas substituições para açucares e adoçantes, como por exemplo tâmaras sem caroço – elas são doces e macias e garantem o dulçor de forma natural, sem conservantes. No lugar do achocolatado que tal experimentar cacau em pó ou nibs de cacau? Bananas bem maduras também garantem smoothies doces sem adição nenhuma de açucar.

como fazer smoothies

DE OLHO NA TEXTURA

Combinar alguns cubos de gelo com seus ingredientes garante a refrescância mas você também pode congelar diretamente alguns dos seus ingredientes de seu smoothie.
Iogurte, café (com ou sem leite adicionado) e polpas de frutas podem ser congelados em formas de gelo e adicionados diretamente ao liquidificador. Uma textura perfeita para um smoothie é obtida utilizando dois terços de ingredientes congelados, quando possível. Vá testando suas combinações favoritas e congele-os previamente.

Experimente congelar bananas cortadas, frutas em fatias, frutas batidas em consistência de purê, uvas e muitas outras frutas congelam lindamente e ainda se misturam bem em um liquidificador – certifique-se de cortá-las em pedaços pequenos antes de congelar e não esqueça de adicionar líquido suficiente na hora de bater. Os liquidificadores de alta velocidade podem lidar com grandes pedaços de frutas congeladas sem muito problema, desde que haja algum líquido para ajudar a mistura.

Outros ingredientes que garantem ótimas texturas:

Abacate: é um ingredientes mágico de cremosidade para smoothies, e é, de longe, a melhor escolha para smoothies verdes. Você também pode até adicionar metade do abacate no último minuto para consertar a textura de um smoothie que simplesmente não está funcionando da maneira que você esperava. 

Aveia: algumas colheres de chá de aveia também adicionam textura cremosa.

Iogurte grego: em quase todos os tipos de smoothie um potinho de iogurte grego garante cremosidade e sabor.

Óleo de coco: em smoothies verdes onde seus ingredientes não estão muito frios, uma colher de sopa de óleo de coco adiciona boa cremosidade e um bom sabor de coco à mistura.

como fazer smoothies

SUGESTÃO: SMOOTHIE VERDE

Líquidos: água, chá verde, água de coco, sucos frescos que você acabou de fazer
Frutas: Maçãs, peras, abacaxis, melões de cor clara, pêssegos, nectarinas, uvas
Verdes: pepino, couve, espinafre, alface, acelga, rúcula, mostarda, folhas de beterraba, aipo
Para dar mais sabor: manjericão, coentro, hortelã, gengibre, manjerona, salsa, tomilho, alecrim

Para fazer a mistura, você pode utilizar liquidificadores, processadores, ou uma shakeira, que possibilita o preparo de uma porção individual e medida.

Não esqueça!

O smoothie prioriza o consumo pleno dos nutrientes contidos nos ingredientes, por isso, o ideal é que o preparo seja no momento de consumo, para que todas as propriedades sejam preservadas e melhor utilizadas pelo seu corpo.

Atente para a qualidade e condições das frutas e legumes, tente optar pelas mais preservadas, sem manchas escuras ou escoriações de armazenamento.

Não se esqueça de higienizar todos os ingredientes de seu smoothie.como fazer smoothies

Agora que você já sabe como preparar um delicioso smoothie, clique aqui e confira nossa seleção de itens indispensáveis.

Dicas Receitas

Como fazer Kombucha

Nem espumante, nem refrigerante, a febre do momento se chama Kombucha e é uma bebida produzida a partir de uma mistura de chá (geralmente chá preto ou chá verde), açúcar e uma espécie de cultura de levedura. O chá fermentado se transforma em uma bebida gaseificada, levemente ácida e pouco adocicada que pode ser preparada em casa com seus sabores favoritos e que, por ser um alimento probiótico, microbiológico, ajuda a regenerar a flora intestinal e é excelente para a saúde como um todo.

O elemento fundamental do preparo do Kombucha é a colônia ou levedura composta de microorganismos aglomerados em uma massa de celulose parecida com uma panqueca, que tem o nome de Scoby. Quando o Scoby entra em contato com a mistura do chá e do açúcar, transforma o líquido em uma bebida refrescante e  levemente borbulhante. A cultura do Kombucha se alimenta do açúcar e, na troca, produz outras substâncias valiosas que se formam na bebida: o ácido glucurônico, ácido glucônico, ácido láctico, vitaminas, aminoácidos, substâncias antibióticas. Dentre outras substâncias, o álcool de 0.5% a 1% também é produzido, o que o torna levemente alcóolico.

Além dos benefícios para a saúde, o kombucha pode ser produzido em casa, sem grandes mistérios. Tudo que você precisa é de uma parte de kombucha pronta (ou o Scoby), chá, açucar e paciência para aguardar a fermentação.

Dica: É possível encontrar na internet fóruns especializados e grupos em redes sociais de pessoas que doam a “panqueca” (scoby).

Como preparar?

Ingredientes
Rendimento: 2 litros

2 litros de água mineral
¾ de xícara de açúcar cristal orgânico (150 g)
4 ou 5 saquinhos de chá preto (ou 7 gramas de chá preto)
2 colheres de sopa de vinagre de maçã (ou 1 xícara de chá já fermentado)
1 “panqueca” de kombucha

Em uma panela, ferva 2 litros de água e assim que começar a borbulhar, desligue o fogo. Coloque o açúcar e mexa até dissolver.

Acrescente os sachês de chá. Deixe descansar de 10 a 15 minutos, descarte os sachês e espere o chá esfriar.

Coloque o líquido em um recipiente de vidro e acrescente o vinagre de maçã (ou o chá fermentado).

Coloque o scoby, ele é fundamental para o chá fermentar.

Cubra o recipiente com um pano limpo e prenda com um elástico. Deixe fermentar de 12 a 25 dias em um ambiente seco, arejado e sem incidência de luz direta.

A partir do 12.º dia, prove um pouco todos os dias até que chegue a um sabor azedinho e levemente adocicado que seja agradável ao paladar. Retire o scoby da jarra e guarde-o em outro recipiente com um pouco de kombucha para uma próxima fermentação. O líquido está pronto para beber, mas é possível fazer uma segunda fermentação.

Encha garrafinhas ou potes de vidro com o kombucha até um pouco mais da metade. Preencha o restante com o suco de sua preferência e feche bem. Coloque as garrafas fechadas em ambiente seco, fresco, longe da luz e deixe-as descansar de 3 a 5 dias. Refrigere antes de consumir.

Tempo: 30 minutos de preparo e no mínimo 15 dias de fermentação.

como fazer kombuchacomo fazer kombucha
Como conservar

Devidamente embalada e refrigerada, a bebida mantém as suas características por muito tempo. No entanto, é muito importante salientar alguns procedimentos fundamentais para a conservação da bebida independente do período de tempo planejado.

Algumas condições adequadas para a conservação:

  1. Utensílios: Garrafas ou outros vasilhames com tampa bem lacrada ou com rolha. A garrafa pode ser de vidro, cristal ou plástico.
  2. Refrigeração: Não é recomendado guardar a bebida em lugares quentes ou com temperatura muito variável, o ideal é mantê-la refrigerada.
  3. Ausência de ar: Por se tratar de um processo de fermentação aeróbica, isso é, que depende do ar, a bebida deve ser mantida o mais lacrada possível e com a menor quantidade possível de ar no interior da garrafa.

Dica: Deixar a bebida maturar em garrafa lacrada por pelo menos 5 dias em temperatura ambiente, aumenta a concentração de gás e a bebida tem o seu sabor acentuado. Após esse período pode-se abrir e voltar a lacrar a garrafa para ser armazenada em local refrigerado.como fazer Kombucha

Quanto consumir

A recomendação é começar o consumo de kombucha aos poucos, ingerindo pequenas quantidades, Orienta-se consumir 118 ml diariamente. Já a quantidade máxima de ingestão indicada, que não deve ser ultrapassada, é de 470 ml por dia.como fazer kombucha
fontes: Bom Gourmet, Kombucha Blog do Brasil e Mundo Boa Forma

Você Sabia?
Kombucha evoluiu aparentemente de organismos do gênero das plantas há 2.5 bilhões de anos atrás. Diversas pessoas tem preparado essa espécie de chá fermentado para beber durante séculos, há mais de 2000 anos.

Dicas

Dicas para o uso correto da faca de cozinha

uso correto facas de cozinha

Uma boa faca é essencial em toda cozinha e saber como manipulá-la e armazená-la ajuda a minimizar o risco de acidentes e prolonga a vida útil do utensílio.

Algumas dicas importantes:

1. Uma faca afiada é uma faca mais segura
Quando você usa uma faca cega para cortar você precisa aplicar mais força. Como resultado, a faca tem maior probabilidade de escorregar e aumenta o risco de lesões. Manter suas facas afiadas é uma das maneiras mais fáceis de mantê-las seguras. Para isso, basta usar um afiador ou chaira.

2. A faca certa para cada função
Selecionar corretamente uma faca para a tarefa em questão também é uma dica de segurança. No entanto, nem sempre é fácil fazer a escolha certa devido a grande variedade de facas disponíveis no mercado. Na hora da compra, leve em consideração o tipo sugerido pelo fabricante – facas para legumes, para pão, para peixe, etc e prefira usar a faca sempre para a mesma finalidade.

Além disso, ao escolher sua faca um bom ponto de partida é considerar o tamanho da lâmina. Por exemplo, uma pequena faca de aparar não será muito útil para usar em um grande corte de carne. Bem como uma faca com lâmina grande não é adequado para cortar legumes pequenos. Considere também o tipo de lâmina que você precisa – as facas serrilhadas são excelentes para cortar alimentos com centros macios, como o pão por exemplo. Utilizar a faca certa para o ingrediente certo além de facilitar o trabalho na cozinha, preserva a durabilidade das lâminas, que são projetadas de acordo com o uso de cada modelo. Ou seja, não adianta exigir de uma faca aquilo que ela não foi projetada para fazer – uma faca de queijo jamais cortará um tomate!

Lembre-se! Uma faca de cozinha não é abridor de lata, chave de fenda ou cortador de caixa! Usar sua faca para tarefas fora do seu uso pretendido não só poderia colocar sua segurança em risco, mas também danificar sua faca.

3. Limpe suas facas com freqüência
Para evitar a contaminação é importante limpar sua faca assim que terminar de usá-la. Deixar sua faca em uma tábua de corte ou em uma pia cheia de água com sabão cria oportunidades de contaminação e risco de lesões. Lavar sua faca imediatamente após o uso e levá-la de volta para o espaço de armazenamento ajuda a manter sua cozinha mais segura.

Uma faca limpa também é mais fácil de manusear. Resíduos de alimentos podem tornar a sua faca escorregadia e prejudicar a eficácia do corte. Resíduos se acumulam com facilidade na junção do cabo com a lâmina – dê atenção especial a esse local.

Para garantir a higienização correta e manter a durabilidade da sua faca, certifique-se de lava-la adequadamente, verificando sempre a indicação do fabricante sobre o uso de lava louças.

4. Armazene suas facas corretamente
Quando não estiverem em uso suas facas devem ser armazenadas em local seguro. Simplesmente colocá-las soltas em uma gaveta não é seguro. Prefira sempre soluções melhores de armazenamento, como um cepo ou barra magnética que, além de mais seguros, aumentam a longevidade de suas facas.

5. Durante o uso
Use sempre uma tábua de corte ao preparar ingredientes com uma faca. Isso permitirá que você corte consistentemente e proteja suas mãos no processo.

A mão que segura a faca deve ter um aperto seguro no cabo. Mantenha a outra mão fora do caminho da lâmina e os dedos sempre recolhidos na hora de segurar o ingrediente a ser cortado.
Para quem tem pouca habilidade na cozinha, a cautela é o principal conselho. Manuseie a faca com cuidado e devagar até que ganhe confiança e prática. Cortes menores exigem mais precisão e por isso mesmo devem ser feitos com atenção e sem distração.
Uma boa dica é fazer o mise en place de todos os ingredientes antes de começar o preparo da receita e isso inclui o corte de todos itens que serão utilizados. Assim, você faz todo o trabalho mais cauteloso antes de começar a cozinhar propriamente, otimiza o tempo e deixa sua cozinha mais organizada na hora do preparo.

Uma dica de ouro: crianças e facas na cozinha não combinam! Além de mantê-las fora da cozinha durante o corte de ingredientes, atente também em armazenar suas facas longe do alcance delas.

E finalmente, um conselho. Quando uma faca cai seu instinto natural pode ser segurá-la. Para sua segurança, deixe-a cair! Nunca tente agarrá-la durante a queda.

Agora que você já conferiu algumas dicas para o uso das facas, que tal conhecer nossa seleção especial de facas e acessórios e escolher seus modelos preferidos?Facas Zwilling
Veja os modelos de facas da marca Zwilling

Facas Kyocera
Veja os modelos de facas da marca Kyocera

Dicas

A terapia das cores

terapia das cores

Cada uma das cores do espectro está associada a propriedades curativas específicas. Assim, ao usar diferentes cores do espectro na casa, pode-se desencadear mudanças para melhorar a saúde e o bem-estar de um modo geral. As cores afetam nosso humor, nossa interatividade e promovem sensações que vão da euforia a melancolia, em menor ou maior escala. Um ambiente todo em tons de vermelho pode ser estimulante demais, enquanto que alguns pontos da cor, combinados com outras, trazem a mesma sensação mas de maneira mais equilibrada.

As cores e suas propriedades

Vermelho
Energia. Afeta o coração aumentando a freqüência do pulso e os músculos, aumentando a tensão. Influencia a vitalidade e aumenta a temperatura corporal. Pode ser usado para desenvolver emoção e sensualidade. Traz calor, energia e estimulação, portanto, bom para energia, fadiga, resfriados e para pessoas com temperamento passivo. O vermelho energiza todos os órgãos e os sentidos. Produtos na cor vermelha
Azul
Calma. Estimula o sistema parassimpático, reduz a pressão sanguínea e acalma a respiração e a taxa de calor. Tem efeito antiinflamatório e relaxante muscular. Pode ser usado para desenvolver expressão pessoal, comunicação clara, confiança em falar, relaxamento mental e conhecimento. O azul  acalma emoções fortes como raiva, agressão ou histeria e é ótimo em ambientes que pedem relaxamento.produtos na cor zul

Verde
Equilibrar. Paz, amor e harmonia. É útil para acalmar o sistema nervoso, combate irritabilidade, insônia e pode ser usado para ajudar na recuperação de crises nervosas. É usado para redução de estresse. produtos na cor verde
Laranja
Prazer. Associado com engenhosidade, entusiasmo. sociabilidade, felicidade, sucesso, estimulação sexual. Pode beneficiar a confiança social, alegria, relacionamentos divertidos, interesses e atividades expandidas. Também pode ser útil para aliviar os desconfortos do sistema digestivo.produtos na cor laranja
Roxo
Fortalecimento. Promove a iluminação, a revelação, a paz, a limpeza e o despertar espiritual. Os profissionais de saúde holísticos usam violeta para acalmar os órgãos, relaxar os músculos e coagular o sistema nervoso. Muitas vezes usado terapeuticamente para melhorar a imunidade, artrite e aliviar dores de cabeça.produtos na cor roxa

Amarelo
Alegria. Claridade mental, inspiração, curiosidade estimulante e interesse. Ajuda a digestão e tem um efeito de limpeza. Estimula fortemente a felicidade, traz uma sensação de segurança, bem como um forte sentimento de bem-estar. Usado para aliviar a depressão, aumentar a auto-estima, o empoderamento e a confiança. Uma cor que não pode faltar em nenhuma casa.PRODUTOS NA COR AMARELA