Categoria

Dicas

Dicas Receitas Vegetais

Flor para comer

flores_comestiveis

A estação mais florida do ano chega trazendo cor, vida, alegria e… sabor. Sim! As flores comestíveis são utilizadas na gastronomia há séculos – a França medieval por exemplo utilizava em seus pratos a calêndula, enquanto na Roma antiga as rosas tinham destaque na alimentação. Parece estranho comer flor? Mas saiba que existem diversas espécies seguras para consumo e outras que você já come e nem sabia que eram flores como a alcachofra, a couve flor, o brócolis, além da deliciosa flor de abobrinha.

As flores comestíveis podem ter sabor doce, cítrico, levemente apimentado e até amargo. Algumas são consumidas na totalidade, outras parcialmente, como as pétalas de tulipa, algumas apenas em certas fases do seu desenvolvimento, como os botões de margaridas. Elas têm baixo valor calórico (cerca de 40kcal por 100g) e, assim como algumas frutas e verduras, apresentam vitaminas (principalmente A e C), além de fitoquímicos, reconhecidos pela sua atividade antioxidante e anti-inflamatória em nosso organismo. Nas pétalas, principalmente, ficam os minerais, vitaminas e compostos fitoquímicos. Ainda nas pétalas, há os flavonoides, com efeitos anti-inflamatório, antimicrobiano e antiviral. Além dos benefícios, os pratos ganham um visual incrível com flores comestíveis, que podem ir desde um simples canapé até um apetitosa salada.

Ficou animado a incluir flores na sua alimentação? Aqui vão algumas dicas:

Não coma flores que vieram de floricultura ou que foram cultivadas para serem vendidas como decoração. Também não consuma espécies que estiverem em estradas, parques urbanos ou canteiros públicos, que podem estar contaminadas com agrotóxicos e metais pesados. Claro que a poluição do ar também poderá contaminar as flores do campo, ou da sua casa mas, com certeza, o índice de contaminação será menor.

As flores, todas, são potencialmente alergênicas, então, se você é suscetível a alergias (pólen, pigmentos, bichinhos) tenha bastante cuidado. Não coma se não tiver certeza sobre a segurança do consumo.

Antes de comer flores lave-as muito bem em água para eliminar resíduos ou bichinhos que possam estar em seu interior. Lembre-se que há diferenças entre pétalas e miolo, tanto de gosto como de composição.

Para sua segurança, prefira sempre flores que você já sabe que são inócuas. Muitas flores se parecem e algumas podem ter algum tipo de toxicidade.

flores_comestiveis flores_comestiveis flores_comestiveis flores_comestiveis flores_comestiveis

Uma lista de flores comestíveis: 

Capuchinha – ótima para saladas, têm um gosto ligeiramente apimentado. As sementes podem até ser usadas para substituir pimentas tradicionais. A planta inteira é comestível.

Dente-de-Leão – para saladas e cozidos.

Lavanda – seu sabor e aroma são bastante específicos, com um leve toque cítrico e são ótimas para geleias e doces.

Hibisco – vai ao chá, ao licor e a geleia.

Rosas – todas são comestíveis e seu sabor depende da espécie, podendo ser adocicado ou amargo. Rendem ótimas geleias para acompanhar grelhados.

Amor-perfeito – tem textura aveludada e é refrescante. Boa para saladas ou aromatizar vinagres.

Calêndula – apenas as pétalas da espécie são propícias para o consumo. Boa para receitas quentes, ela tem um sabor amargo e pode substituir o açafrão.

Flor-de-mel – com aroma intenso de mel e sabor adocicado, a flor combina com sobremesas, carnes e até peixes. É branca e delicada, com folhas de sabor apimentado.

Não esqueça também das flores dos trevos, das azedinhas, das flores de manjericão, da rúcula, da cebolinha e tantas outras que passam despercebidas em nosso dia-a-dia.

flor_abobrinha

#RECEITA: FLOR DE ABOBRINHA EMPANADA

20 flores de abobrinha
2 ovos
2 colheres (sopa) de parmesão ralado fino (veja nossa seleção de raladores!)
6 colheres (sopa) de farinha de trigo
Sal e pimenta a gosto
80ml de água com gás
Óleo para fritar

Lave as flores de abobrinha com cuidado e seque-as com papel toalha.
Em um bowl bata os dois ovos, misture o queijo e a farinha. Tempere com sal e pimenta e acrescente a água com gás. O resultado deve ser uma massa grudenta.
Passe casa flor de abobrinha pela massa e frite em óleo quente, dourando todos os lados. Escorra em papel toalha e sirva em seguida.

Dicas

Guia de Compra: Panelas

guia de panelas

Sabemos que cozinhar é uma arte e, assim como um pintor precisa de diferentes tipos de pincéis, um cozinheiro também precisa de diferentes tipos de panelas, certo? Só que nem sempre temos certeza de que material ou tamanho escolher – ferro fundido vai ao forno? aço inox pode ser utilizado no fogão de indução? E por aí vai.

Pensando nisso, temos aqui um guia rápido com alguns tipos de panelas e seus usos – desde as mais famosas até algumas variedades menos conhecidas – para lhe ajudar na hora de escolher sua panela ideal. A Utilplast é especialista em panelas e, ainda que não encontre aqui a informação que precisa, pode contar com o guia rápido disponível em nossa loja online. Nele, você conta pra gente um pouco do que precisa e nós lhe damos as opções mais adequadas – tudo online, rápido e fácil. Se ainda assim permanecer a dúvida, pode contar com nosso SAC – ele está pronto para lhe orientar no que for preciso para tornar esta escolha fácil e certeira.

guia de panelas

Por que as panelas podem variar tanto em peso, aparência e preço?
Um grande fator é material. Os principais materiais utilizados para fazer panelas de cozinha são alumínio, ferro fundido, cobre e aço inoxidável.
A primeira dica é: escolha um material adequado à técnica de cozimento. Por exemplo, os alimentos salteados ficam melhores em panelas que transmitem calor rapidamente, os alimentos cozidos precisam de panelas que retêm calor por longos períodos e você não deve cozinhar molhos brancos ou molhos de tomate em panelas de alumínio ou cobre sem revestimento porque esses ingredientes reagem com o metal.

Pequenas, médias e grandes
Panelas pequenas são utilizadas para 1 porção de proteína e geralmente tem até 20cm de diâmetro. Uma panela média deve ter cerca de 25cm de diâmetro e pode ser usada para 2–3 porções de proteína. Já as grandes tem 30cm de diâmetro ou mais e devem ser utilizadas para grandes quantidades de alimento, já que levam mais tempo para aquecer.

Algumas dicas extras:
Na hora de lavar suas panelas, fique longe da lã de aço ou outros métodos de lavagem que podem causar danos, como superfícies ásperas de escovas ou esponjas.
Deixe sempre as panelas ou frigideiras esfriarem completamente antes de lavar.
Se houver dificuldade para remover restos de comida, deixe a panela de molho com água quente e detergente.

guia de panelas

Antiaderente

Revestimentos antiaderentes ​​liberam sem esforço alimentos delicados, incluindo ovos e panquecas. São excepcionalmente fáceis de limpar e precisam de menos (ou nenhum) óleo para cozinhar, o que elimina alguma gordura da sua dieta. Dependendo do material primário, a maioria das peças é ideal para uso em qualquer tipo de fogão, incluindo indução. A maioria das peças é segura para fornos até 260ºC, mas leve em conta o material da alça. Vale a pena também tomar cuidado com os utensílios utilizados para não riscar ou arranhar o material da superfície. Lembre-se que superfícies antiaderentes não produzem alimentos caramelizados ou dourados.

Ferro fundido esmaltado

Ótimo para escaldar, refogar, dourar e fritar, estas peças clássicas e coloridas fazem a transição sem interrupções do fogão direto para a mesa de jantar e são super charmosas. Também são perfeitas para assar e cozinhar lentamente. Elas aquecem de forma lenta e uniforme e retém o calor. Além disso, o revestimento durável não reage com ingredientes ácidos, são resistentes à corrosão e seguras para uso em forno (lembre-se se verificar alças e puxadores).

Aço inoxidável

O aço inoxidável é uma boa escolha para dourar e assar. As panelas de aço inoxidável são duráveis, fáceis de cuidar, não reagem com alimentos e fornecem aquecimento rápido e uniforme. Muitas vezes são magnéticas e compatíveis com fogões de indução, vão à máquina de lavar louça e ao forno e grelhador (dependendo do material de alça).

Indução

O cozimento por indução usa campos eletromagnéticos para aquecer panelas e frigideiras mas você não precisa ser um cientista ou engenheiro para usá-lo – cozinhar com indução é fácil e seguro. Na verdade, a maioria dos fogões de indução é extremamente amigável, com leitura digital e proteções automáticas para evitar o superaquecimento de panelas. Fogões de indução aquecem rapidamente e com muita precisão. Você pode aumentar ou diminuir o calor quase que instantaneamente, o que é ótimo para engrossar molhos ou cozinhar vegetais do jeito que você gosta. O cozimento por indução, diferentemente do gás, pode permanecer em temperaturas muito baixas para uma fervura suave também.

Outro grande benefício da culinária por indução e panelas de indução tem a ver com segurança. Porque ele usa um campo eletromagnético para cozinhar, apenas panelas e frigideiras ficam quentes. O resto do fogão fica completamente frio – isso ajuda a evitar acidentes e queimaduras. As superfícies de indução também são muito eficientes em termos energéticos. Praticamente toda a energia usada vai para a panela, em vez de aquecer o ar circundante. Usa menos energia, menos acidentes e é fácil de manter limpo – o que mais poderíamos querer?

A maioria das panelas de indução é feita de aço inoxidável magnético ou ferro fundido e devem ter o fundo plano. Uma boa dica ao utilizar panelas em fogão de indução é verificar se ela está centrada no elemento de aquecimento para cozinhar uniformemente. Também é bom lembrar que utensílios de cozinha metálicos podem esquentar se você deixá-los em cima de um fogão de indução que está ligado.

Materiais seguros

Alérgicos em geral podem ter problemas com certos materiais presentes em algumas panelas, como modelos que soltam níquel ou cromo no alimento ou antiaderentes que podem ser nocivos. Para estes casos, prefira modelos em ferro fundido como das marcas francesas Le Creuset e Staub, que não liberam nenhum tipo de substância durante o cozimento, e também os que utilizam Silargan – material feito de aço ferromagnético fundido com cerâmica de alta tecnologia, formando um composto inseparável à prova de cortes e arranhões com superfície extremamente lisa, sem porosidade alguma e antibacteiano, que não deixa absolutamente nenhum resíduo de material na comida. Este material é encontrado nas panelas da marca Silit.

Panelas Especiais

Aqui a lista pode ser grande mas, de um modo geral, tenha em mente que as panelas especiais facilitam preparos específicos. Vamos listar algumas:

Wok: um recipiente de cozimento em forma de tigela com paredes altas e afiladas. É um utensílio de cozinha comum na China e em muitos outros países asiáticos. Uma wok pode ser utilizada para várias técnicas de cozimento diferentes, incluindo cozimento a vapor (geralmente com vapor de bambu), fritar e assar. O uso dos utensílios de cabo longo ajuda os cozinheiros a não queimarem as mãos enquanto cozinham.

Stock Pot: com topo largo, fundo plano e lados altos que se elevam em linha reta, deixando a panela com uma boca que é do mesmo tamanho que o fundo. Ideal para longos cozimentos e para fazer caldos, mas por ser versátil pode ser usado para diversos outros preparos.

De risoto: com uma base larga, que permite melhor contato entre o alimento e a fonte de calor, as panelas específicas para risoto propiciam o cozimento perfeito para este tipo de prato.

Tagine: inspirado na culinária lenta e muito bem temperada do norte da África, o Tagine Marroquino é um exemplo clássico de um formato ideal adequado para a sua função. Sua tampa peculiar permite o retorno constante da condensação para a base, umedecendo os ingredientes e amaciando as fibras mais duras dentro da carne. Ideal para o preparo de pratos típicos como cuscus marroquino, tagines marroquinos (pratos nomeados pela própria panela), frutas, raízes, vegetais e temperos aromáticos como canela, açafrão e gengibre.

guia de panelas

Quer escolher panelas novas? Conte com a gente! Confira aqui nossa incrível seleção de panelas.

Dicas

Truque de Cozinha: Formas de Gelo

formas_gelo

Muito além de fazer gelo para sua bebida, as formas de gelo são um incrível coringa na cozinha! Você quer manter pequenas quantidades de pesto, ervas, suco de limão, vinho ou café sempre à mão para uma receita de última hora? Algumas bandejas de gelo são uma solução rápida e fácil.

Abriu aquele vinho mas ainda resta uma boa quantidade na garrafa? Lance mão da forminha e congele cubos de vinho para utilizar no seu próximo molho ou ensopado. Os potinhos de papinha de bebê ocupam muito espaço no freezer? Congele na forma de gelo e depois transfira para um saco plástico para congelamento. Polpa de tomate? Quer um purê de frutas para seu smoothie? Ou um pouco de leite de amêndoas? Isso funciona para praticamente qualquer coisa que você tenha “extra” quando estiver cozinhando – basta colocar na bandeja de gelo, levar ao freezer e pronto. Não é preciso ir ao supermercado buscar ervas frescas ou abrir uma garrafa inteira de vinho quando você só precisa de um pouco – basta abrir o freezer e pegar um cubo de gelo!

De maneira geral cada cubo é equivalente a 2 ou 3 colheres de sopa, variando de acordo com o tamanho da forma. Se você quiser congelar quantidades menores ou especificas, basta medir antes de encher a forma.

Com esta ideia na cabeça você verá que a lista de possibilidades é imensa, mas aqui vão algumas dicas do que transformar em práticos cubos de gelo.

Pesto – Esta é uma ótima maneira de usar aquele maço de ervas inteiro sem desperdiçar nada. Nenhuma preparação especial é necessária, basta preparar o pesto normalmente e congelar na forma de gelo.

Ervas – Aqui também tem a solução para aquele problema de comprar um maço inteiro de alecrim e utilizar apenas 2 ou 3 talos. Em vez de jogá-los fora, pegue uma garrafa de azeite, pique as ervas antes que elas estraguem e pegue uma forma de gelo. Adicione as ervas picadas à forma e encha os cubos com azeite. Quando você precisar de ervas em uma receita, basta jogar o cubo de ervas na panela!

Frutas – Em formato purê elas rendes ótimos cubos de gelo e vão ao suco, à vitamina ou onde você quiser. Processe sua fruta favorita, encha a forma de gelo e congele.

Suco de limão – Nenhuma preparação especial necessária para este. Basta encher os cubos com suco e congelar. Ótimo para preparar suco verde.

Vinho – Você definitivamente não vai querer usar o vinho congelado para beber, mas é ótimo em coisas que você está cozinhando que exigem uma ou duas colheres de vinho. É uma boa maneira de usar a última garrafa se você não terminar antes de começar a ficar ruim.

Leite de amêndoas – Eles são ótimos para usar em smoothies. Isso os deixa mais saborosos e encorpados e você não precisa preparar leite de amêndoas a todo momento.

Café ou café expresso – É só preparar, deixar esfriar e congelar na forma de gelo. Também são ótimos para smoothies e cozidos.

Polpa de tomate – A maioria das receitas não usa uma lata inteira polpa de tomate, então da próxima vez que você abrir uma, encha um par de cubos com o que restar e congele. Você não precisará comprar uma nova lata na próxima vez em que estiver preparando molho ou outra coisa que peça uma colher de sopa de tomate.

Creme de leite fresco – Geralmente vendido em garrafas grandes nem sempre é utilizado em uma única receita. O que sobra pode ser congelado em formas de gelo e utilizado depois em sopas, molhos para salada e cremes – só não utilize para bater chantilly pois o resultado não será o mesmo.

Flores – Sim, sim e sim! Congele pequenas flores coloridas para dar aquela bossa ao gelo dos seus drinks. Um charme!

Caldos – Aqui um dos maiores truques de cozinha de todos os tempos: caldo caseiro congelado em cubos e adeus tabletes ultra processados. Prepare seu caldo normalmente e congele. Não esqueça de etiquetar com o o tipo e a data de preparação.

Uma vez que seus cubos estejam congelados você pode mantê-los nas formas ou transferi-los para um saco plástico, lembrando sempre de identificar. Dependendo do que você congelou, os cubos de gelo duram de 3 a 6 meses no freezer.

Clique aqui e veja nossa seleção de formas de gelo.


Dicas

Mesa Posta

Sentar-se para uma refeição formal em uma mesa devidamente arrumada pode causar um pouco de ansiedade. Qual garfo usar primeiro? Esta é a colher de sobremesa ou é para sopa? Isso pode ser igualmente desafiador se você for o anfitrião ou anfitriã encarregado de preparar a mesa para este serviço. Muitas pessoas ficam um pouco confusas na hora de organizar os talheres e outros itens, então, algumas dicas básicas podem acabar com o mistério e também ajudar todos a se sentirem bem quando se sentam para uma refeição mais formal.

mesa_posta

  • Sempre trabalhe de fora para dentro. Isso significa que o garfo no extremo externo será o primeiro a ser utilizado e o mesmo se aplica a objetos de vidro e talheres.
  • Garfos aparecem à esquerda dos pratos e facas à direita. Se uma colher de sopa estiver sendo usada, ela estará na extrema direita das facas.
  • Itens de sobremesa ficam acima dos pratos. O garfo estará voltado para a direita. A colher de sobremesa estará voltada para a esquerda.
  • O guardanapo será colocado na extremidade esquerda, a menos que uma dobra de guardanapo decorativa seja usada. Ele também pode ser colocado no prato, se não houver comida nele.
  • Se o pão e a manteiga forem servidos, um prato separado e uma faca de manteiga estarão sobre a mesa no canto superior esquerdo.
  • As louças são empilhadas de acordo com o serviço. O prato principal estará na parte inferior; salada, aperitivo e tigela de sopa serão empilhados em conformidade com o serviço no topo.
  • Em termos de copos de bebidas, geralmente o copo de água é o copo com aros maiores e fica à esquerda, enquanto é colocado no lado direito da configuração da mesa. Vinho branco e taças de vinho tinto estarão ao lado dele. Outros itens como taças flûte, de conhaque ou licor também podem ser dispostas da mesma maneira.
  • A xícara de café e o pires podem ser incluídos para uma refeição um pouco menos formal.

Estas são algumas regras básicas mas, a menos que a ocasião peça e seja imprescindível, não é necessário segui-las tão rigidamente. No entanto, em uma mesa bem posta comer torna-se uma experiência agradável, não apenas uma tarefa que deve ser repetida três vezes ao dia. Pensando nisso, muito além de disposição de pratos, copos e talheres, melhor ainda é ter uma mesa agradável – flores frescas, pequenos arranjos, guardanapos delicados, velas… tudo isso transforma ainda mais o ato de comer e deixa o momento perfeito. Além disso, nada impede que uma mesa ganhe um toque divertido ainda que a ocasião seja um pouco mais formal. Lembre-se: um pouco de criatividade na escolha da louça e dos arranjos trazem personalidade à mesa.

Inspire-se!

Quer itens incríveis para sua mesa? Confira nossa seleção Mesa Posta.

 

Dicas

A beleza das Orquídeas

orquidea

Elas embelezam qualquer ambiente, são comumente utilizadas em decorações internas e, desde que tenham condições adequadas de crescimento, não é difícil aprender a cuidar de suas orquídeas. Encontradas em uma variedade de cores e tamanhos, elas são perfeitas para decorar e exigem pouco cuidado, uma vez que todas as suas necessidades básicas sejam atendidas, como luz, temperatura e umidade.

Janelas voltadas para o sul e para o leste funcionam melhor para orquídeas. Essas plantas preferem luz indireta e brilhante e luz insuficiente resulta em má floração. No entanto, muita luz pode levar a queima de folhas – repare na coloração da folhagem: se estiver escura, mude a orquídea de local. Quanto mais contato com a luz, mais ela irá florir.

Prefira vasos de barro e se for preciso a troca, acrescente chips de fibra de coco ou musgo à planta. Este último precisa ser lavado com água para tirar o excesso de areia.

Mantenha a temperatura entre 15 ºC e 25 ºC dentro de casa. As orquídeas se dão bem em temperaturas moderadas e podem morrer se forem expostas ao frio. Embora a temperatura correta varie de acordo com a espécie, ela deve ficar na faixa dos 15 ºC à noite. Durante o dia, ela deve ser de 10 ºC a 15 ºC maior que a da noite.

As orquídeas precisam de muita água, mas devem secar entre as regas. Uma maneira de verificar se há necessidade de rega é verificar com o dedo se ela está seca. Se estiver, dê um pouco de água; caso contrário, deixe a rega para o dia seguinte. Orquídeas também precisam de umidade adequada, cerca de cinquenta a setenta por cento. Existem várias maneiras de aumentar a umidade em sua casa – coloque um pires cheio de água ou uma bandeja de seixos embaixo de plantas ou use um umidificador.

Fertilize orquídeas semanalmente ou quinzenalmente enquanto elas estão produzindo flores, diminuindo para intervalos mensais ou bimensais quando elas não estão florescendo. Um adubo balanceado tipo NPK 20-20-20 é o suficiente para o crescimento de orquídeas. Invista em fertilizantes que diluem na água ou adubo sólido e fique de olho nos sinais de pragas ou doenças. Orquídeas são ocasionalmente afetadas por cochonilhas e pulgões, que podem ser eliminados das folhas com sabão de coco. Limpe as folhas afetadas com água e sabão. Molhe um pano macio nessa solução e passe-o delicadamente em cada uma das folhas e nos caules.

orquidea

 

orquideaorquidea

Você Sabia?
Existem mais de 22 mil variedades de orquídeas no planeta.

Dicas

Pipoca cheia de bossa

pipoca

Só o cheirinho já dá a dica: não há quem resista a uma pipoca quentinha e crocante! Como aperitivo ela é imbatível – doce, salgada, apimentada… simplesmente irresistível. Só que além de gostosa, a pipoca também é nutritiva e seus benefícios para a saúde surpreendem – ela é mais rica em antioxidantes do que algumas frutas e vegetais, é uma boa fonte de fibra e é um grão integral. Isso tudo, claro, levando em conta as versões caseiras, longe dos pacotes ultra processados frequentemente carregados com muita manteiga, sal, açúcar ou produtos químicos.

Então, já que somos todos apaixonados por este grãozinho, vale ficar de olho em algumas dicas:

1.Evite pipoca de microondas
Nunca é demais repetir. A pipoca de microondas é a opção menos saudável e você ainda acaba consumindo uma quantidade muito maior do que deveria.

2. De olho nas porções
Um tamanho de porção depende do tipo de pipoca que você está comendo mas, para referência, uma xícara de pipoca comum tem cerca de 30 calorias. Mas cuidado: depois de começar a adicionar coberturas, a contagem de calorias sobe muito rapidamente.

3. Com ou sem gordura
Dá para preparar pipoca sem utilizar nenhum tipo de gordura e esta sem dúvida é a opção mais saudável. Confira aqui nossa seleção de pipoqueiras que dispensam gordura.
No entanto, se o seu preparo for o método tradicional na panela, escolha o seu óleo de cozinha com cuidado. Os óleos de oliva extra virgem, nozes ou abacate são os melhores. O óleo de canola é a próxima melhor opção. Use os óleos de palma e coco com moderação, devido ao alto teor de gordura saturada e evite óleos de milho, girassol e soja.

4. Mais sabor!
Quase todo mundo se rende a uma pipoca com bacon, mas também dá para ser criativo com coberturas mais saudáveis ​​e leves. Quer dar um upgrade na sua pipoca? Considere adicionar molho de pimenta ou queijo. Você também pode experimentar uma pitada de vinagre balsâmico ou ainda adicionar pimenta calabresa ou jalapeño. Prefira sempre especiarias e temperos e não preparados prontos.

Quer inspiração?
pipoca

Experimente outros tipos de sal como rosa ou vulcânico, ervas como alecrim e raspas de limão siciliano.

pipoca

Queijo nunca é demais! Adicione seu queijo favorito ralado ao final do preparo.

pipoca
Tempere a pipoca pronta com páprica picante, doce ou defumada ou curry em pó e aproveite uma versão deliciosamente temperada.

pipoca

Pipoca Cajun
2 1/4 colheres de chá de sal grosso
1 1/4 colher de chá de páprica
1/2 colher de chá de alho em pó
1 colher de chá de cebola em pó
1 colher de chá de pimenta do reino
1 colher de chá de orégano seco
1 colher de chá de tomilho moído
3/4 colher de chá de pimenta caiena
1/3 xícara de manteiga derretida
2-3 colheres de chá de molho de pimenta Tabasco

Em uma tigela pequena misture as especiarias para formar a mistura de tempero Cajun. Reserve.
Em uma tigela pequena, misture a manteiga derretida e o molho Tabasco. Reserve.
Despeje a pipoca estourada em uma tigela grande e regue com a manteiga e molho Tabasco. Mexa para misiurar. Polvilhe a mistura de temperos, misture bem e sirva-se!

pipoca

Chocolate derretido por cima da pipoca. Qual a chance de não ficar incrível? 🙂

 

Você Sabia?

Os americanos comem 17 bilhões de litros de pipoca por ano, o que a torna, em volume, o lanche favorito da América.
Os americanos comem mais pipoca do que qualquer outro país do mundo e a maior parte da pipoca consumida ao redor do mundo é cultivada nos Estados Unidos.
A pipoca tem mais proteína do que qualquer outro grão de cereal e também mais ferro do que ovos ou carne assada.
Os grãos de pipoca contêm uma pequena quantidade de água. Quando os grãos são aquecidos, a água se transforma em vapor e a pipoca aparece. Quando o milho é velho ou de má qualidade este processo fica prejudicado.
Não descarte os milhos que não estouram! Transforme-os em uma farinha de milho, apenas moendo os grãos ou passando-os pelo processador. Você pode utilizá-la em bolinhos e empanados.

Dicas

Faça Você Mesmo: Cachepôs de Concreto

O estilo industrial está com tudo e é a grande tendência em decoração. Misturando tons de concreto, cinza, preto e cobre, o estilo pode ser utilizado em diversos ambientes da casa, trazendo um ar despojado, moderno e rústico que agrada em cheio os mais descolados.

(clique aqui para conferir nossa seleção inspirada no estilo industrial)

Para aplicar a tendência em sua casa com muito charme e sem gastar muito, uma boa ideia é apostar em cachepôs de concreto que você mesmo pode fazer de um jeito simples, utilizando embalagens plásticas como molde.

Você precisará de: mistura pronta para concreto (a venda em casas de material de construção), duas garrafas plásticas de tamanhos diferentes (pode ser dois copos descartáveis também ou qualquer molde em plástico), vaselina sólida e lixa para dar acabamento (opcional).molde
Se estiver utilizando uma garrafa, corte o gargalo. Passe vaselina sólida na parte interna do recipiente maior e na externa do recipiente menor.
Prepare o seu concreto como indicado na embalagem e encha com ele cerca de 1/3 do recipiente maior. Preencha o recipiente menor com areia ou água ou algo que dê a ele peso suficiente para não mexer dentro do cimento. Coloque=o dentro do maior e termine de completar com o cimento.
Pronto! Agora é só esperar dois dias (não mais do que isso para a vaselina não secar totalmente) para desenformar.
Caso deseje um acabamento mais suave, use lixa fina para a borda de cima.vaso_concreto

vaso_concreto

vaso_concreto

Inspire-se na ideia para criar um moderno jardim interno em qualquer cantinho da casa.
Brinque com alturas utilizando suportes, mesinhas ou aparadores e agrupe os vasos para trazer mais verde para o ambiente.
Aposte em espécies que não necessitem de sol direto e sejam resistentes, sem necessidade de regas constantes.
vaso)concreto
(imagem passo a passo: OhDeco)

Dicas Você Sabia?

Caprese, uma combinação perfeita

caprese

Um dos pratos mais deliciosos encontrados em toda a culinária italiana é a salada Caprese ou a Insalata Caprese. Este prato combina alguns dos ingredientes mais notáveis ​​da cozinha italiana, incluindo tomate, azeite, queijo mozzarella fresca e manjericão. O prato tem sido popular por muitas décadas, mas de onde veio realmente?

A origem

A primeira história de origem da salada Caprese remonta à Itália pós-Primeira Guerra Mundial. Um pedreiro patriótico queria fazer um prato que fosse uma verdadeira homenagem à Itália e que incorporasse visualmente suas cores na apresentação. A primeira menção impressa da salada Caprese foi em um menu no Hotel Quisisana.

Após a resposta positiva inicial, a salada Caprese foi apreciada por muitos, mas não conseguiu realmente emplacar. O Rei Farouk, na década de 1950, pediu ao seu chefe um lanche leve à tarde e o mesmo serviu um sanduíche Caprese. Nesse ponto, o resto é história! Os turistas começaram a se reunir na região e a salada Caprese logo se tornou conhecida como alimento básico da cultura e cultura de Capri. Com o tempo, a receita foi refinada e melhorada com a adição de mussarela de búfala no lugar da tradicional.

Menos é mais

Como muitos pratos de cozinha italiana, a salada Caprese é tão popular porque é mesmo muito fácil de preparar. Para fazer sua própria salada Caprese, junte o seguinte:

Mussarela fresca em uma grande bola para cortar em pedaços deliciosos.
Tomates que devem estar perfeitamente maduros (não muito moles e não tão firmes que são difíceis de cortar) e com uma cor vermelha brilhante.
Uma pequena quantidade de suco dos tomates para manter o prato inteiro úmido.
Folhas de manjericão fresco, polvilhadas por cima.

Estes são os ingredientes que fazem uma verdadeira e autêntica Caprese!

Versátil

Não só um prato incrivelmente simples, mas também muito versátil. Há salada Caprese – a original e sua variação em sanduích, igualmente deliciosa. A mistura clássica também aparece em lasanhas, pizzas, aperitivos, sopas e mais. Há também muitas variações diferentes, como a substituição de tomates por pimentões vermelhos, tomates secos, radicchio e até mesmo uma invencionice moderna mas com fãs: a salada Caprese de melancia!

Quer preparar uma deliciosa salada Caprese? Clique para conferir todos os itens indispensáveis.

caprese

A salada montada de um jeito diferente, com os ingredientes sobrepostos.
caprese
Uma versão perfeita para uma entrada elegante e saborosa.

caprese
Versão aperitivo – os ingredientes vão para o palito!

caprese
Em versão Salada no Pote, com adição de quinoa – prático e nutritivo.
(confira nossos modelos de potes para salada)

caprese
Sai o tomate e entra a melancia – uma opção leve e refrescante para dias quentes.

caprese
Um clássico em versão sanduíche, que ganha ainda mais sabor com adição de um pesto rápido com os ingredientes:
50 gramas de manjericão,
25 gramas de parmesão ralado (confira nossos modelos de raladores!),
1 dente de alho,
15 gramas de castanhas,
e 100 mililitros de azeite, tudo processado (ou amassado em um pilão) ligeiramente, Perfeito!

Dicas

#Inspiração – Luminárias Criativas

Precisando dar uma renovada no visual daquele cantinho ou vida nova à área de almoço ou jantar?  Então que tal inspirar-se na cozinha e seus utensílios para criar luminárias criativas e charmosas? A ideia é reutilizar utensílios que normalmente estão no armário ou na gaveta para dar vida a fios de luz e luminárias pendentes que surpreendem e deixam o ambiente descolado.

Vale aquela forma de bolo velhinha, o escorredor de massa, ralador, forminhas de cupcake, xícara e até partes de eletroportáteis – tem aquele liquidificador que não funciona mais? O copo vira um pendente super estiloso. E aquele batedeira encostada? O batedor também ganha luz e traz personalidade e diversão ao ambiente.

Mas, se instalações elétricas não são o seu forte, não tem problema! Aposte em pequenos pontos de luz, utilizando os utensílios da cozinha e velas.
As opções são infinitas e depois de conferir nosso painel, inspiração não vai faltar 😉