Categoria

Dicas

Dicas

Cinco tipos de cabides

tipos de cabides

Já notou que existem no mercado diversos tipos de cabides diferentes? E isso não é a toa! Roupas diferentes pedem cabides específicos para serem melhor armazenadas, conservadas e para manter seu closet seguro e evitar aquele indesejado franzido do ombro. Então, enquanto cabides de plástico genéricos podem fazer um trabalho aceitável, suas roupas certamente vão durar mais tempo e seu armário será mais organizado se você escolher o tipo certo. Utilizar o tipo certo de cabide para cada peça de roupa também torna mais fácil classificar e organizar seu armário, notar manchas ou outros danos e reduzir o tempo gasto com um ferro de passar.

CABIDES DE ARAME
Sejamos francos: eles geralmente são descartáveis. Servem para transportar a roupa da lavanderia para casa mas não é uma ótima ideia usá-los de forma permanente em seu closet. Se você ainda tem alguns deles, chegou a hora de trocar!

CABIDES PLÁSTICOS
Eles são uma boa opção para pendurar roupas de crianças e itens leves. Funcionam também para blusas, camisetas e vestidos simples, mas procure não utilizá-los em roupas muito pesadas.

CABIDES DE MADEIRA
Cabides de madeira são excelentes para casacos, blazers, calças mais pesadas e qualquer coisa com um pouco de peso. Eles são resistentes, não entortam e são esteticamente agradáveis. Além disso, madeiras de alta qualidade, como o cedro, podem combater odores e deter insetos.

CABIDE AVELUDADO
Cabides de veludo, em que o corpo do cabide é coberto de veludo (ou material semelhante a veludo), são ótimos para pendurar itens delicados de tecidos como seda ou chiffon, pois o material fornece uma superfície antiderrapante. Isso reduz os pontos de pressão e torna os itens menos propensos a escorregar. Cabides de veludo com recortes onde você pode posicionar correias são ideais para qualquer roupa com alças finas. Certifique-se de nunca pendurar itens úmidos em cabides aveludados, para não correr o risco de transferir a cor para a roupa.

CABIDES ESPECIAIS
A dica é investir também em tipos específicos que podem fazer diferença na organização de seu closet. Cabides com presilhas por exemplo são ótimos para manter as calças e saias no lugar, minimizando as rugas. Modelos para lenços, echarpes e cachecóis mantém os itens arejados e evitam acúmulo de mofo. Cintos e gravatas também possuem cabides específicos que facilitam a organização e visualização.

Quer organizar seu closet com muito estilo? Confira nossa seleção de itens que te ajudam a manter tudo no lugar com muito charme.

Dicas

Dicionário de cozinha: Brunoise, Julienne e Chiffonade

cortes em vegetais

Os nomes podem não ser familiares, mas provavelmente você já utilizou esses cortes de vegetais em seu dia a dia na cozinha. Quando se trata de vegetais e verduras existem cerca de 20 diferentes cortes clássicos além de outros, mais contemporâneos. A maioria requer apenas o uso da faca (e alguma habilidade!), mas existem cortes que devem ser feitos com o auxílio de utensílios especiais como mandolines, cortadores, boleadores e afins. Há também a opção do uso de equipamentos como processadores, que facilitam a tarefa principalmente quando é preciso padronização.

Os diferentes tipos de cortes não tem apenas função estética, embora sejam fundamentais em certas finalizações. Eles também são responsáveis por dar sabor e texturas variadas e garantem por exemplo que um prato tenha cozimento perfeito. Cubos de vegetais para uma sopa ficarão ainda melhores se cortados do mesmo tamanho, garantindo cozimento uniforme, assim como uma couve crisp ganha essa textura quando cortada na espessura certa.

Vamos falar agora sobre três cortes clássicos nas cozinhas profissionais e que podem fazer bonito também em seus pratos.cortes em vegetais
Julienne

É o mais versátil dos cortes, feito em finos bastões de 0,3 cm x 0,3 cm x 0,6 cm. Os legumes cortados em julienne podem ser usados para enfeitar, cozinhar no vapor, fritar, refogar e até mesmo crus. Geralmente é o corte do qual se deriva o brunoise.

cortes em vegetais
Brunoise
(lê-se brrunoass)

É um dos mais famosos cortes da cozinha clássica – cubinhos minúsculos, de 0,3 cm x 0,3 cm x 0,3 cm. Normalmente, esse corte é feito a partir do corte Julienne bem fino. Legumes cortados à Brunoise são ideais para saltear na manteiga, pois têm cozimento rápido, e como recheio de preparações. Este corte também é muito utilizado para cebolas e cogumelos.

cortes em vegetais
Chiffonade

Corte em formato de tiras finas obtidas através de enrolamento de folhas de verduras em tubo e corte perpendicular, como se estivesse fatiando um bolo ou pão. As espessuras podem variar um pouco, mas o corte fino é o mais tradicional, como o utilizado na cozinha mineira para a couve. Pode ser utilizado também para o corte de algumas ervas, como manjericão e salsinha.

Dicas:

  • Os cortes devem ser uniformes tanto no tamanho, como na forma, para que cozinhem por igual e tenham uma bela apresentação.
  • Use uma faca de qualidade e bem afiada.
  • Para cortar vegetais, não utilize a mesma tábua em que corta carnes.
  • Posicione uma toalha umedecida abaixo da tábua para que ela não escorregue na hora do corte.
  • Use um bom descascador para aproveitar ao máximo o alimento e não descarte cascas – elas podem e devem ser utilizadas em outras preparações.
  • Preste atenção na posição de seus dedos, eles devem estar recolhidos sob o alimento formando a famosa “mão de aranha”.

Clique aqui para ver uma seleção de utensílios especiais para cortes.

brunch Dicas Receitas

Água aromatizada

como preparar água aromatizada

Seja no verão ou em qualquer outra estação do ano, hidratar-se é fundamental. Especialistas falam em 2 litros de água por dia para um adulto, quantidade que pode variar de acordo com peso, idade e estilo de vida. E é sempre bom lembrar que esta hidratação deve passar longe de refrigerantes açucarados – água ainda é nossa melhor fonte de hidratação! Isenta de calorias e super refrescante, você ainda pode adicionar a ela um pouco de sabor e aroma preparando versões de água aromatizada. Frutas frescas, legumes e ervas garantem muito mais do que um simples copo de água e são uma opção pra lá de charmosa para receber a família e os amigos. E a preparação pode e deve ser criativa, afinal, as possibilidades de sabor em sua água aromatizada são infinitas!

Mãos a obra
Você vai precisar de jarras, garrafas de vidro ou frascos com tampas ou suqueiras. A combinação fica a sua escolha – frutas e legumes que podem ser descascados ou não e, de preferência, versões orgânicas. Evite qualquer fruta que esteja excessivamente madura ou ervas que não pareçam frescas. Adicione a fruta, ervas, especiarias ou o que você quiser usar em seu recipiente e junte água fria. Simples assim! Use fatias finas ou cubos pequenos porque o sabor vai infundir mais rapidamente.

Seja paciente
Deixe a água descansar por algum tempo para permitir a infusão dos sabores. Quanto mais tempo ficar, mais saborosa a água será. Algumas frutas ou ervas infundirão mais rapidamente do que outras. Frutas cítricas por exemplo garantem sabor quase que instantâneo. Ervas demoram um pouco mais. Se você vai deixá-la descansar, isso pode ser feito em geladeira ou temperatura ambiente, acrescentando cubos de gelo no momento de servir.

Refil
Você pode reabastecer a água algumas vezes e deixá-la infundir novamente, mas os sabores vão ficando cada vez mais suaves.

O que usar
As possibilidades são muitas e algumas são especialmente boas para água aromatizadas:

Ervas: alecrim, tomilho, hortelã, manjericão, coentro, salsa;
Temperos: Paus de canela, vagens de cardamomo, gengibre fresco, cravo, baunilha;
Flores comestíveis: rosa, lavanda, flores cítricas, hibisco, amores-perfeitos, violetas (ou quaisquer que sejam 100% livres de pesticidas);
Frutas: Melão, frutas tropicais, frutas cítricas, maçãs, pêras;
Legumes: pepino, aipo, erva-doce, cenoura;
Água: Filtrada, de preferência

como preparar água aromatizada
Combinações deliciosas

Pepino + morango
Pode parecer inusitada mas a combinação garante uma bebida pra lá de refrescante

Tomate + manjericão
Quem diria! os ingredientes saem da massa e da salada e ganham o copo, trazendo uma sabor fresco para a água.

Abacaxi + Hortelã + Gengibre
Gosto tropical, sucesso garantido

Laranja + Funcho
Para um toque sofisticado em água infundida, use hastes e folhas de funcho perfumadas para infundir, além de fatias frescas de laranja

Framboesa + Laranja
Esmagar as framboesas ajuda a dar mais sabor à sua bebida

Melancia + Hortelã
Sabor refrescante e delicioso

Canela + maçã
Uma mistura clássica e aromática e um toque de outono em sua água, experimente!

Cítricos
Lima da Pérsia, Laranja, Grapefruit, Tangerina, Limão Siciliano… os cítricos são perfeitos para água aromatizada. Use sem moderação.

como preparar água aromatizada como preparar água aromatizada

Dica: Prepare água aromatizada para servir em um brunch. Confira nossas dicas aqui.

brunch Dicas Receitas

Preparando um Brunch

como preparar um brunch

O brunch surgiu na Inglaterra, em uma palavra que combina café-da-manhã (breakfast, em inglês) com almoço (lunch, em inglês). E ele funciona exatamente assim – como se fosse um café da manhã atrasado, uma refeição bem gostosa que mistura ítens servidos no desjejum e comidinhas leves, um programa ideal para domingos, refeições preguiçosas e estendidas e ocasiões festivas.

O horário ideal para servir um brunch seria entre 10 e 17 horas e a melhor dica é caprichar no cardápio! Uma boa cesta com variedade de pães é essencial. Não esqueça de incluir queijos, pastinhas cremosas, manteiga, geleias e uma bela torta, que pode ser salgada ou doce. Disponibilize também cereais matinais, sucos, café, chás e leite.

Como a ideia é que seja uma refeição que é quase um almoço, é importante que exista uma boa variação entre os pratos quentes e frios dentro do menu. Além dos ítens já citados, mais comuns no café da manhã, ofereça também um prato como uma massa, um couscous marroquino e uma bela salada verde ou de grãos com frutas. Dê preferência a pratos simples – se puderem ser preparados com certa antecedência, melhor ainda – tortas e quiches são ótimas dicas. Bruschettas com cogumelos salteados na manteiga, canapés com salmão defumado e creme azedo, omeletes e ovos mexidos trazem elegância e sabor ao menu. Vale a pena investir em uma receita mais caprichada.

E não esqueça, claro, da parte doce! Um bolo sempre faz sucesso. Frutas também são ótimas opções e podem ser descascadas, picadas e servidas em bowls com gelo, que além de práticos e charmosos vão dar um toque todo especial na decoração. Doces cremosos e os do tipo compota acompanham queijos e pode ser servidos em charmosas compoteiras.

E se a ideia é que seja uma refeição especial, não esqueça de incluir também uma bebida: espumante, vinho tinto ou branco ou mesmo um delicioso clericot ou uma refrescante sangria fazem bonito na hora do brunch. E flores! Flores garantem o clima da ocasião e complementam a decoração – aproveite para utilizar objetos comuns e transformá-los em pequenos arranjos espalhados pela mesa. Fica um charme!

Sugestões fáceis para o cardápio:

pastinha de salmao defumado

Pastinha de Salmão Defumado

Ingredientes

100g de queijo tipo cottage
200g de salmão fumado
Folhas de dill a gosto
Suco de 1/2 limão

Modo de Preparo

Junte todos os ingredientes no mixer até que esteja homogêneo

*dica: para um sabor mais suave, substitua o dill por cebolinha.

 

receita bruschetta

BRUSCHETTAS COM RICOTA DE ERVAS E COGUMELOS

Ingredientes

3 colheres de sopa de manteiga sem sal
2 pacotes de cogumelos frescos (Paris, shimeji, shiitake, portobello)
¼ xícara de vinho branco
4 dentes de alho amassados
1 dente de alho inteiro e descascado
Sal
Pimenta do reino
6 fatias do seu pão favorito de estilo rústico
Ricota de ervas (receita abaixo)
folhas de tomilho para finalizar

Modo de Preparo

Aqueça uma frigideira ou panela de fundo grosso em fogo médio-alto; adicione a manteiga e, uma vez derretida, adicione os cogumelos e refogue por cerca de 7-8 minutos, até que fiquem dourados e comecem a caramelizar. Eles vão, no início, liberar bastante líquido, mas ele evapora.

Adicione o vinho, e uma vez que tenha reduzido (após cerca de 30 segundos), adicione os 4 dentes de alho amassados e o tomilho, e misture-os para incorporar. tempere com sal e pimenta. reserve.

Torre as fatias de pão e, em seguida, esfregue o dente de alho restante sobre cada fatia.

Espalhe a ricota com ervas generosamente sobre cada fatia da torrada com alho e, em seguida, distribua uma quantidade generosa dos cogumelos salteados em cada peça.
Finalize com um pouco de tomilho.

Ricota de ervas
½ xícara de ricota fresca
½ xícara creme de leite batido em chantilly
¼ xícara de queijo parmesão ralado
1 colher de sopa de cebolinha picada
1 colher de sopa de salsinha picada
1 colher de chá de folhas de tomilho picadas
Pitada de sal e pimenta
Adicione todos os ingredientes em um mixer ou mini processador e misture tudo até ficar homogêneo. Use imediatamente, ou mantenha em um recipiente coberto na geladeira até que esteja pronto para servir.

couscous
Couscous Marroquino com Tomate e Ervas

Ingredientes

3 xícaras de tomates cereja  cortados ao meio (ou tomate comum em cubos)
2 pepinos sem sementes e picados em cubos
1 limão espremido
3 colheres de chá de sal
1 1/2 xícaras de couscous marroquino
2 xícaras de água
raspas de limão
1/4 xícara de azeite extra-virgem
Sal e pimenta
1 xícara de folhas de hortelã ou manjericão rasgadas

Modo de Preparo

Coloque os tomates, pepinos e suco de limão em uma tigela com 2 colheres de chá de sal. Reserve.

Coloque o couscous em um bowl grande. Em uma panela ferva a água. Junte a água fervendo à tigela com couscous. Inclua as raspas de limão, o azeite, tempere com sal e pimenta e mexa para separar quaisquer grumos. Cubra com uma tampa, prato ou filme plástico, reserve por 5 minutos e depois solte os grãos com um garfo. Adicione o tomate e pepino reservados e finalize com a erva escolhida.receita sangria

Sangria

Ingredientes

1 laranja-pêra sem casca, sem pele e sem sementes, cortada em pedaços
1 laranja-pêra com casca e sem sementes, cortada em rodelas
1 limão taiti com casca, cortado em rodelas
1 maçã vermelha e 1 maçã verde com casca, cortadas em fatias ou pedaços grandes
1 xícara (chá) de abacaxi cortado em pedaços
1 colher (sopa) de açúcar
1 colher (sopa) de cointreau (licor de laranja)
3 colheres (sopa) de brandy
1 garrafa de vinho tinto seco (750 ml)
Suco de 1 limão
1 xícara (chá) de água mineral gasosa
2 paus de canela pequenos

Modo de preparo 

Em uma jarra grande, coloque as frutas e polvilhe-as com o açúcar.
Adicione o cointreau e o brandy.
Deixe repousar por 15 minutos.
Junte o vinho gelado, o suco de limão, a água e a canela.
Misture e, se necessário, acrescente mais açúcar.
Sirva bem gelado.
Se preferir, decore as taças com paus de canela.
(fonte: Cultura Espanhola.com.br)

 

Dicas

Defumação Caseira

panela defumadora zwilling

Defumar peixe e carne é um costume centenário e o que costumava ser apenas uma técnica de preservação, evoluiu gradualmente para uma técnica culinária moderna. Chefs do mundo todo já se renderam a este processo – Heston Blumenthal do Fat Duck por exemplo, incluiu pratos como caviar defumado com caranguejo e um pirulito feito com salmão defumado com chá em seu cardápio.

O processo de defumação é uma opção de cozimento muito saudável, que não requer a adição de óleos e gorduras, e ainda assim cria alimentos muito suculentos e saborosos. Apesar de ser algo que remeta ao primitivo e pareça complicado e demorado, a tendência chega forte também às cozinhas domésticas, trazendo as características saudáveis, saborosas e convenientes de pratos defumados para o cardápio do dia-a-dia. E não se restringem apenas a carne e peixe! Você também pode defumar frutos do mar, legumes, manteiga, nozes, queijo e muito mais. Muito além do salmão, presunto e bacon, os sabores de fumaça trazem uma nova dimensão de sabor a muitos alimentos que não costumam estar associados com esta característica. Sinta-se livre para experimentar!

O bom é que você não precisa mais estar em uma caverna ou utilizar uma churrasqueira para conseguir deliciosos pratos com sabor defumado. O mercado já conta com diversos modelos domésticos, como a panela defumadora Zwilling. Ela faz uma defumação diretamente no fogão, transmitindo um sabor profundo e defumado a carnes, aves, frutos do mar e vegetais. Basta adicionar a madeira aromática à panela, colocar a placa de defumação por cima e o alimento na grelha acima. Tampada, a fumaça circula para produzir alimentos com sabor delicioso e defumado.

O que você precisar saber antes de usar sua panela defumadora Zwilling?

Tipos de madeira
Em geral as árvores frutíferas como cerejeira, jabuticabeira, macieira e goiabeira, são boas para a defumação, mas qualquer madeira dura e livre de resina e produtos químicos pode ser utilizada para defumar alimentos. O eucalipto é uma madeira bastante utilizada pela abundância e baixo custo. Carvalho é uma escolha clássica suave, um bom polivalente, enquanto nogueira dá um sabor forte, ótimo com carne de porco. A madeira de macieira é doce e leve, boa para frango e peixe. Não consegue lascas de madeira? Algumas folhas de chá também funcionarão!
Tipos de madeiras diferentes resultam em sabores diferentes. Se possível, experimente misturar tipos distintos de madeiras para criar sabores únicos. Evite madeiras que contenham resinas ou qualquer tratamento químico, como verniz ou tinta.

Adicione outra camada de sabor
Podem ser utilizados grãos de pimenta e temperos em folhas que conferem ainda mais sabor. Ervas como tomilho, louro, alecrim ou especiarias como cravo; canela em pau e cascas de cítricos, como limão e laranja também são ótimas opções para agregar mais sabor aos defumados caseiros.

Tempo de cozimento
O tempo de defumação depende do tipo e do tamanho do alimento, enquanto o grau de defumação vai do gosto pessoal. Uma posta de peixe, por exemplo, ganha o bom sabor defumado, sem perder a delicadeza, em cerca de cinco minutos; hortaliças como brócolis e couve flor demoram um pouco mais (em média dez minutos para cada 200 g). A carne é o alimento que leva mais tempo e depende muito do tamanho da peça.

https://www.utilplast.com.br/panela-defumadora-twin-zwilling-28-cm---12711-12711/p
Gostou da ideia? Conheça a panela defumadora Zwilling e comece agora mesmo a produzir deliciosos sabores defumados em casa!

Dicas

Como montar um terrário

como montar um terrario

Quer adicionar mais verde em sua casa mas não tem espaço para isso? Então, um terrário é exatamente o que você precisa! Um terrário é uma coleção de pequenas plantas decorativas que crescem em um ambiente fechado ou semi fechado. Estes mini jardins de mesa são divertidos de criar e são uma ótima maneira de trazer a natureza para espaços internos. Decorativos e fáceis de cuidar, estes pequenos jardins ainda podem virar um presente criativo e super exclusivo. Mãos a obra?

Você vai precisar de:

Recipiente de vidro
Você precisará de algum tipo de recipiente de vidro para criar seu terrário e pode escolher um novo ou reaproveitar algum de sua casa, como uma chaleira de vidro, uma sopeira, garrafa larga, etc. Apenas certifique-se que ele tenha profundidade suficiente e uma abretura que permita acesso às plantas.

Pedras Pequenas ou Seixos
Pequenas pedras ou pedrinhas serão usadas como base do seu terrário. Os pequenos seixos atuam como drenagem de água para as raízes das plantas para garantir que o excesso de água não fique no solo e cause umidade.

Carvão Ativado
Você não precisa de muito – uma fina camada de carvão ativado mantém a água fresca e ajuda a combater o crescimento bacteriano em seu terrário.

Solo
Opte por um solo leve e de boa drenagem, de preferência com musgo. Se possível, com o musgo esfagno. No mercado existem misturas especiais para usar se você estiver plantando cactos ou suculentas.

Musgo
Colocar uma camada de musgo no fundo de um terrário é uma boa ideia, já que ele age como uma esponja que absorve o excesso de umidade.

Plantas
Não seria um terrário sem a vegetação. Escolha algumas das suas plantas preferidas para usar no seu terrário. Plantas aéreas, suculentas e mini-cactos são ótimas opções. Selecione plantas que sejam pequenas o suficiente para o seu recipiente de vidro. Nada de plantas apertadas! Deixe espaço entre elas. As plantas que se dão bem com a umidade são mais propensas a prosperar em seu terrário. Embora suculentas e cactos não sejam os maiores fãs da umidade, você pode compensar usando um recipiente de vidro com uma abertura menor.

Pequenas ferramentas de jardinagem
Ter pequenas ferramentas irá ajudá-lo a criar e situar todos os itens do seu terrário.

Passo 1:
Cubra o fundo do seu terrário com uma camada fina de pequenas pedras ou seixos. A camada inferior de pequenos seixos atuará como drenagem para o seu terrário.

Passo 2:
Adicione uma camada muito fina de carvão ativado.

Passo 3:
Coloque o musgo. Isto evitará que a terra grude embaixo do cascalho, além de absorver o excesso de umidade.

Passo 4:
Coloque a terra. Dependendo do tamanho do seu terrário e do comprimento das raízes das plantas, você irá precisar de uma camada de terra com cerca de 5 a 8 centímetros. Aperte levemente a terra para eliminar o ar. Faça os orifícios na terra onde suas plantas serão posicionadas.

Passo 5:
Agora é hora de adicionar suas plantas.
Comece plantando sua maior planta primeiro. Remova a planta de seu recipiente e sacuda as raízes para tirar o excesso de terra. Com cuidado, coloque-a no buraco previamente preparado. Aplane a terra em volta da planta. Repita o processo com as outras plantas.
Dica: Use luvas ao manusear cactos ou qualquer outra planta espinhosa.

Passo 6:
Depois de todas as suas plantas estarem dispostas no vaso de vidro, complete o visual com uma camada de pedrinhas ou acrescente personalidade em seu jardim com pequenos enfeites e objetos decorativos. Finalize com uma pequena rega.

Certifique-se de regar levemente a base a cada duas semanas ou uma vez que o solo parece ter secado. Suculentas e cactos podem receber água uma vez por mês (observação: terrários totalmente fechados não precisam de água). Você também pode manter seu terrário em uma área que receba luz solar direta. As plantas agradecem.

como montar um terrario como montar um terrario como montar um terrariocomo montar um terrario

Dicas

Banheiro limpo com 5 dicas

banheiro limpo com cinco dicas

A pesquisa atestou que o banheiro é o local mais cheio de germes de uma residência. No entanto, ele também é o cômodo que se limpa com mais frequência e, sendo assim, muitas vezes acaba não sendo tão “perigoso” nesse aspecto quanto outros locais que ficam “esquecidos”, apenas acumulando sujeira – e, consequentemente bactérias e outros tipos de microorganismos.

Para evitar a proliferação de bactérias neste ambiente tão propício, o calendário de limpeza sugerido inclui uma limpeza rápida diária (retirar lixo, utilizar a escova de vaso e ventilar o ambiente). Uma ou duas vezes por semana deve ser feita uma limpeza mais profunda, que inclui lavar o banheiro e desinfetar vaso e pia. A cada quinze dias a dica é limpar os rejuntes, que acumulam muita sujeira – uma solução em um borrifador com meia parte de água, meia de vinagre e uma colher de sopa de bicarbonato de sódio. Depois de pronta a solução, deve-se borrifá-la nas paredes e deixá-la agir por cerca de 30 minutos. Depois de 30 minutos, é só passar um pano úmido. Os tapetes podem ser lavados semanalmente e os armários devem ser limpos a cada quinze, aproveitando para checar a validade de cosméticos e perfumaria.

(confira nossas dicas para conservar maquiagem)

Para a limpeza

Chuveiro

Despeje uma grande quantidade de vinagre branco em uma sacola de plástico (o suficiente para submergir o bocal do chuveiro) e amarre-o no lugar para uma imersão durante a noite. Retire-o de manhã e abra a água para enxaguar. Se o banheiro tem cortinas de plástico e forros a dica é usar um ciclo rápido na máquina de lavar com o seu detergente regular e algumas toalhas velhas, que atuam como purificadores para ajudar a se livrar da escuma de sabão e bolor. Deixe secar antes de levá-las de volta ao banheiro. No box uma pasta com algumas gotas de vinagre branco e uma xícara de bicarbonato de sódio vão deixá-lo limpinho! Aplique a pasta diretamente no box. Deixe descansar por uma hora e esfregue com um pano de microfibra. Depois é só enxaguar e polir com um pano novo e seco de microfibra. A banheira é um problema menor – uma lavagem semanal geralmente é suficiente, mas para um brilho extra, encha-a com água quente e depois escorra. Aplique um produto de limpeza e deixe descansar por 15 minutos antes de esfregar.

Dica esperta: limpe a condensação de todas as superfícies após o banho e deixe a janela aberta durante uma hora por dia para baixar o nível de umidade.

banheiro limpo com cinco dicas

Revestimentos cerâmicos, parede, teto
Lave as bancadas, as paredes e o teto com o limpador multiuso e ligue o chuveiro, pondo a água quente em funcionamento até que o vapor se acumule (cerca de cinco minutos). Desligue a água, feche a porta ao sair e deixe o vapor e o limpador agindo por 20 minutos. Em seguida, limpe todas as superfícies com um pano limpo. Para alcançar pontos altos, use um esfregão de microfibra limpo e seco. Limpe o chão também, mas somente depois de terminar o resto do trabalho no teto e parede.

Dica esperta: para minimizar as marcas de água na cerâmica, aplique uma camada de cera de carro uma vez por ano. A água não acumula e escorre. Tintas resistentes a mofo também podem ajudar nas paredes e tetos.

Vaso
Despeje uma xícara de bicarbonato de sódio no vaso. Deixe descansar por alguns minutos; escove e lave. Use a própria escova de vaso sanitário, que deve ser limpa após cada uso. Mergulhe a escova em um recipiente com cloro, deixe repousar por alguns minutos e depois mergulhe em água limpa. Ela também pode ficar por algum tempo em recipiente com água morna e sabão e depois em água limpa.

Dica esperta: mantenha a tampa do vaso sempre fechada.
banheiro limpo com cinco dicas

Pia
Despeje vinagre branco ou bicarbonato de sódio pelo ralo e lave com água quente. Para a torneira, uma boa dica é o uso de lenços desinfetantes descartáveis, que reduzem significativamente as bactérias – panos podem apenas mover os germes de um ponto para outro. Se você precisar usar panos, seja cuidadoso sobre onde cada um é empregado e armazenado. Fio dental é perfeito para lidar com aquele espaço estreito e encardido onde a base da torneira se encontra com a pia.

Dica esperta: aplique óleo de bebê na saboneteira para evitar que a barra fique grudada.

Toalhas
Substitua as toalhas a cada três ou quatro dias pois elas seguram muito a umidade e isso é um prato cheio para bactérias.

Dica esperta: em vez de pendurar as toalhas molhadas em um gancho, onde as dobras se forma, prefira estendê-las em uma barra, onde o ar pode circular. Não se esqueça de limpar a barra de toalha de vez em quando! 

Nunca é tarde para lembrar…
Os cestos de lixo do banheiro devem ser esvaziados diariamente e limpos regularmente. E atenção: os modelos abertos estão vetados! Prefira aqueles com tampas e mantenha-os sempre fechados.
Use luvas ao limpar o banheiro.
Na hora de utilizar a descarga, a tampa do vaso sanitário deve estar fechada!  Aberta, os resíduos espalhados pela força da água podem contaminar o ar e o ambiente.
Lentes de contato não devem ficar expostas para evitar a contaminação. Mantenha-as sempre em seu recipiente fechado.
Por último, mas não menos importante, lave sempre as mãos sempre que usar o banheiro.

banheiro limpo com cinco dicas
* Confira nossa seleção de itens para limpeza.

Dicas

Closet organizado em 5 passos

closet organizado

Chegou aquele momento em que você passa mais tempo procurando uma coisa no closet do que se arrumando? Então é hora de pensar com carinho em colocar a mão na massa e organizar agora mesmo este espaço. Especialistas garantem que a organização proporciona bem estar e sensação de renovação. Um estudo realizado na Universidade de Princeton mostrou que o que enxergamos em nosso campo de visão afeta nossa mente – logo, um ambiente organizado gera uma mente mais organizada e tranquila. Além disso, encontrar facilmente o que você precisa diminui o estresse e a ansiedade, garante economia (você não precisa comprar aquilo que já tem no seu armário, não é?) e te dá mais tempo para fazer as coisas que realmente importam na vida – você prefere passar um bom tempo procurando aquele brinco ou aproveitando a festa?

Não é tão complicado quanto parece, vamos lá:

1. Organize usando suas preferências
A melhor maneira de organizar seu closet ou armário é configurá-lo em nichos com base no seu dia-a-dia. O que você usa com maior frequência deve ficar ao alcance das mãos e dos olhos e o que é usado raramente pode estar guardado em um espaço que você não acessa o tempo todo. Crie setores organizados por modelos, ocasiões e cores – uma blusa preta que você usa para trabalhar não precisa estar junto com o top que você usa na academia. Setorizando você ganha tempo e se localiza facilmente no espaço.
Atenção também ao que deve ser dobrado e pendurado.

O que dobrar:
• Peças de lã e linha: não podem ficar penduradas pois perdem a forma e esticam
• Camisetas de malha: por serem muito finas e pesadas também perdem a forma se penduradas
• Peças de algodão: não amassam e não marcam com facilidade, portanto podem ser dobradas
• Roupas de ginástica: não amassam
• Jeans: podem ser dobrados caso não tenha espaço suficiente para pendurá-los
• Pashmimas: dobre tendo como base a largura da peça para não criar marcas desnecessárias
• Vestidos de festa bordados ou com tule – colocar em caixas, envoltos em papel de seda
• Pijamas e camisolas
• Roupas íntimas

O que pendurar:
• Roupas de tecidos delicados (seda, crepe, cetim, etc.)
• Calças de alfaiataria
• Casacos pesados
• Blazers
• Vestidos em geral (se forem de malha, pendurar pela metade para não esticarem)
• Saias

2. Use os cabides certos
Eles são fundamentais para manter seu closet organizado e suas roupas armazenadas de maneira correta. O design é importante para cada tipo de peça e quando você padroniza seus cabides cria também uma harmonia visual, que dá sensação de organização. Escolha modelos duráveis, que não marquem os tecidos e que sejam apropriados para a peça. Invista em peças específicas para echarpes, gravatas, cintos, lenços, e também em acessórios como presilhas aveludadas e adesivos de silicone, que garantem que a peça não fique escorregando do cabide.

*confira nossa seleção de cabides e acessórios

3. Seja criativo
Se você tem uma robusta coleção de cachecóis que tal utilizar o espaço atrás da porta ou em uma parede para organizá-los? Além de economizar espaço no armário, você expõe sua coleção de um jeito charmoso e personalizado. Para isto, invista em cabides de parede ou aproveite um pequeno canto para utilizar um cabideiro de chão. Os acessórios merecem organizadores especiais que mantém tudo no lugar e podem ser colocados na bancada, em uma gaveta ou prateleira baixa. Invista também em caixas e cestas organizadoras para criar nichos e otimizar o espaço.

*confira nossa coleção completa de organizadores

*confira cinco maneiras de organizar com cestas plásticas

4. Maiores volumes pra cima
Utilize os espaços mais altos do armário para organizar roupas volumosas, edredons, cobertores e malas. Deixe no alto tudo aquilo que não é utilizado com frequência ou faça rodízio por temporada: no verão use os espaços de cima para acomodar as roupas de inverno e vice versa.

5. Desapegue
Antes de organizar é preciso limpar o armário e isso significa retirar dele tudo aquilo que você não usa mais, que não serve mais,  que tem alguma mancha ou defeito e itens que não podem ser consertados. Comece pela parte de cima onde geralmente ficam as peças menos utilizadas e tenha em mente que se uma peça não foi utilizada nas duas últimas estações, provavelmente é candidata ao descarte. Analise com critério e separe as peças que podem ser doadas e aquelas que devem ir para o conserto. Se o volume do descarte é grande demais e as peças estão em ótimas condições, considere a opção de fazer um bazar com as amigas – nada mais antenado do que reciclar, reutilizar e consumir de maneira consciente.

closet organizado

Dicas

10 dicas para uma cozinha mais saudável

dicas para cozinha saudavel

O brasileiro está mudando o seu cardápio, adicionando mais verduras, legumes e frutas ao prato e optando por uma alimentação saudável. É o que aponta uma pesquisa encomendada pela Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador (Assert).
O crescimento do comércio de alimentos naturais também impressiona no Brasil. Nos últimos cinco anos, as vendas avançaram a uma taxa média de 12,3% ao ano, enquanto no resto do mundo o percentual ficou em torno de 8%. A previsão é que o mercado brasileiro de produtos saudáveis cresça anualmente 4,4% até 2021 – números que comprovam que a crise passa longe deste setor.

Os brasileiros estão procurando uma alimentação saudável por entenderem a importância dessa postura para a própria saúde. A adoção de um cardápio mais equilibrado, por exemplo, previne o surgimento de doença crônicas e a ingestão de frutas, verduras, legumes e cereais integrais, que contêm vitaminas, fibras e outros compostos, auxilia na defesa natural do corpo.

Disposto a mudar também seus hábitos alimentares? Listamos dez dicas rápidas para aplicar em sua cozinha.

1. Gordura boa
Nem toda gordura é ruim. Prefira as insaturadas (por exemplo, azeite de oliva extra virgem) sobre gorduras saturadas, que devem ser usadas com moderação no dia-a-dia.

2. Escolha integrais e orgânicos
Escolha grãos integrais sobre no lugar dos refinados. Grãos integrais como arroz têm seu farelo intacto e, portanto, têm mais fibra, vitaminas B, magnésio, zinco e outros nutrientes. Já os orgânicos são produzidos com métodos que não utilizam agrotóxicos sintéticos, transgênicos ou fertilizantes químicos. As técnicas usadas no processo de produção respeitam o meio ambiente e visam manter a qualidade do alimento. Uma ótima escolha para sua alimentação!

3. Frutas e vegetais
A maioria das pessoas não os consomem em quantidades suficientes. O ideal são 4 a 13 porções de frutas e legumes por dia, a depender da sua dieta alimentar. Escolha produtos em uma variedade de cores para obter uma gama de antioxidantes e vitaminas. Uma porção corresponde de 1/2 a 1 xícara, dependendo da fruta ou verdura.

4. Gordura trans
Limite-as no dia-a-dia. Elas são frequentemente encontradas em alimentos como bolos, biscoitos, bolachas, bolos, tortas, muffins, rosquinhas e batatas fritas. Verifique sempre a etiqueta de informações nutricionais na embalagem.

5. Faça em casa
Quase tudo pode ser produzido em casa. Molho de tomate? O caseiro é fácil de fazer e muito mais saboroso. Maionese? Preparando em casa você pode variar o sabor e ter sempre uma maionese fresca e saborosa. Pão? Nada como um no forno perfumando a casa toda. Com preparos caseiros você elimina ou reduz os processados e ultraprocessados de sua alimentação. Isso é ótimo!

* Veja nossa seleção para fazer molho de tomate, maionese e pão

dicas para cozinha saudavel
6. Explore novas formas de preparo
No lugar de fritar em imersão, que tal assar? Utilizando muito óleo? Experimenta grelhar. Cozinhando vegetais? Que tal utilizar o vapor? Explore as opções e descubra novas maneiras saudáveis de preparar os ingredientes.

* Veja nossa seleção para assar, grelhar e cozinhar a vapor

7. Açucar refinado
Você não precisa tanto dele! Comece a utilizar adoçantes orgânicos e não refinados, como mel puro ou açúcar de coco. Estes adoçantes possuem minerais e vitaminas intactas, tornando-os menos fatigantes ao organismo e são menos viciantes.

8. De olho no sódio
Se você tem ou não pressão alta, é aconselhável observar a ingestão de sódio. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) os adultos deveriam consumir menos de 2 gramas de sódio – ou menos de 5 gramas de sal – e pelo menos 3,51 gramas de potássio por dia. Isso equivale a menos de uma colher de chá rasa de sal ou cinco pacotinhos daqueles servidos em restaurantes, já que cada um contém 1 grama.

9. Invista no sabor
Qualquer prato ganha vida com ervas frescas, especiarias, cítricos, oleaginosas… são muitas opções e todas super saudáveis. Experimente!

10. Cozinhe com prazer
Faça decisões conscientes de alimentos ao invés de optar pelo que é mais conveniente e certifique-se de que seja sempre algo saboroso ao seu paladar. Quando você cozinha com prazer e gosta do que come, sente-se muito mais satisfeito e feliz.
dicas para cozinha saudavel

Dicas

Dicas para marmitas

dicas para marmitas

Desde sempre, e em condições muito diferentes, o homem transportou comida – por necessidade ou por prazer, na guerra, nos piqueniques, no trabalho ou em longas viagens. Registros mostram por exemplo que a prática japonesa de arrumar alimentos em pequenas caixas é muito antiga e teve influência chinesa do século XII, do período da dinastia Song do Sul, quando a enorme expansão urbanística na China provocou uma alteração dos hábitos alimentares. Desde então os japoneses aperfeiçoaram a prática e a transformaram em arte – os bentôs ganharam o mundo e hoje servem de inspiração para adeptos da marmita.

É certo que preparar sua própria refeição não é somente mais econômico mas também muito mais saudável. Preparar seu alimento o conecta com ele, lhe garante total liberdade de escolha e, acredite, pode ser bastante prático e prazeiroso. Na hora de montar sua marmita, algumas dicas podem ser importantes:
dicas para marmitas

1. Invista nos recipientes certos
Os recipientes adequados permitem que você transporte e aqueça suas refeições com segurança. Marmitas plásticas (livres de BPA) ou de silicone permitem que você divida as porções com facilidade. Invista em diferentes formatos e tamanhos de recipientes – para alimentos, saladas, molhos e lanches. Um squeeze, um recipiente apenas para frutas e sacos com fechamento herméticos para castanhas e frutas secas também são ótimas opções. Os potes de vidro também tem suas vantagens na hora de transportar comida – levam saladas, sopas e smoothies, são fáceis de limpar e não guardam resíduos e odores.

2. Diversidade e criatividade
Nada pode destruir mais facilmente o hábito da marmita do que uma monótona rotina alimentar. Seja criativo! Invista em molhos diferentes para as saladas e em preparos diversos para o mesmo ingrediente – que tal incluir o feijão na salada ou mudar o molho da massa? Um cardápio diário pede diversidade. Troque as folhas da salada semanalmente, invista em frutas da estação, inclua um nova especiaria ou erva fresca, alterne o cardápio e procure deixá-lo o mais variado possível.

* Confira aqui receitas de molhos para saladas

3. O que entra na marmita
Quase tudo, mas algumas receitas se comportam melhor quando re-aquecidas. Cozidos, picadinhos, almôndegas, purês e carnes com molho são boas opções. Alimentos mais secos podem sofrer mais com o reaquecimento, por isso invista em opções que possam ser servidas com um molhinho, que pode inclusive ser transportado a parte – esta é uma grande dica para massas!
Tortas e receitas frias também são ótimas opções, além de sopas e sanduíches. Saladas garantem o frescor da refeição e são perfeitas para transportar – capriche no molho! Evite alimentos gordurosos, como os que passaram por fritura em imersão por exemplo, e aqueles mais sensíveis, como peixes delicados e frutos do mar.
Lembre-se: também comemos com os olhos! Uma marmita bem arrumada também vale pontos.

*Confira aqui dicas para montar uma Salada no Pote

4. Use as sobras de forma criativa
Seu jantar pode virar um almoço incrível no dia seguinte. Sobrou frango desfiado? Que tal preparar um sanduíche? Arroz branco? Que tal incluir alguns vegetais e dar uma cara nova pra ele?
Carne de panela? Ela vira um ótimo molho para massas curtas. dicas para marmitas
5. Temperatura certa
Transportar alimento requer atenção à segurança alimentar. É importante utilizar uma bolsa térmica para conservar a temperatura e evitar que a comida estrague. Manter o alimento sempre fresco também vai influenciar o seu sabor e deixar tudo mais gostoso.

6. Se organize
Aderir a marmita não quer dizer que você tenha que cozinhar todos os dias. Mantenhas opções congeladas para quando faltar tempo – sopas, tortas e quiches e frutas são ideais. Crie um cardápio semanal e organize as compras e alguns preparos no final de semana – por exemplo, deixe todas as folhas lavadas e higienizadas. Na hora de montar a marmita é só colocar a porção no recipiente e preparar o molho.

7. Refeições tranquilas
Não é porque você aderiu a marmita que precisa comer em cinco minutos! Faça sua refeição com calma, saboreando os alimentos e não apenas se alimentando. Comer com um amigo também pode transformar a refeição em um momento ainda mais agradável. E já que você ganhou autonomia para transportar sua comida, por que não saboreá-la em um local diferente? Um sanduíche no parque quebra a rotina semanal e pode ser um ótimo momento de relaxamento também.

Agora que você já conhece alguns truques, confira nossa seleção de marmitas, potes e bolsas térmicas e se jogue neste hábito saudável.dicas para marmitas
Confira a linha de marmitas <OU>
dicas para marmitas