Categoria

Dicas

Dicas

7 benefícios do consumo da pipoca

beneficios_pipoca

Nada melhor do que pipoca fresquinha para acompanhar uma tarde cinzenta ou um dia ensolarado. Mas, além de gostosa, sabia que ela é saudável?
Estudos mostram grandes benefícios do consumo da pipoca pelo teor de fibras, polifenóis, antioxidantes, vitaminas do complexo B, manganês e magnésio. Atualmente há pesquisas que mostram que a pipoca pode conter mais antioxidante e ser mais eficiente ao sistema imunológico do que muitas frutas e hortaliças. E tem mais…

1 – Ajuda no combate doenças cardíacas por ser fonte significativa de antioxidantes

Os polifenóis presentes, principalmente na casca do milho de pipoca, são poderosos antioxidantes naturais. Os antioxidantes são moléculas que agem no combate aos radicais livres produzidos nas reações químicas do organismo impedindo que eles danifiquem células vitais. Níveis insuficientes de antioxidantes ou a má atuação destas enzimas causa oxidação nas células, o que pode levar a deformidade ou a morte de células saudáveis de órgãos vitais do corpo humano como o coração, cérebro, pele, pulmões, etc.

2 – Ajuda na prevenção do câncer

Polifenóis podem combater doenças sérias como câncer e doenças do coração, mas para isso é preciso consumir um pouco da casquinha que envolve o grão. Segundo Vinson “Se você quer o máximo benefício que a pipoca pode trazer à sua saúde – as fibras e os antioxidantes – então você precisa comer um pouco das cascas, embora elas sempre insistam em grudar entre os dentes”.

3 – Melhora o sistema digestivo e intestinal

A pipoca é um grão integral rico em fibras, sais minerais, vitaminas E e do complexo B. As fibras estimulam os movimentos peristáltico dos músculos lisos intestinais e induzem a secreção dos sucos digestivos, o que ajuda a manter todo o sistema digestivo saudável.

4 – Auxilia no controle do diabetes

A farta ingestão de fibras ajuda a regular o nível de açúcar no sangue e a produção de insulina. É recomendado que diabéticos incluíssem pipoca na sua dieta como uma forma de reduzir os picos de açúcar no sangue.

pipoqueira_silicone

5 – Atua na perda de peso por ser rica em fibras e pobre em calorias

Um copo normal da pipoca contém cinco vezes menos calorias do que a mesma quantidade de batatas fritas. Além disso, o teor de fibras na pipoca traz sensação de saciedade e inibe a liberação do hormônio da fome, a grelina. A Pipoca também possui óleos naturais saudáveis e essenciais ao organismo, ao contrário da maior parte dos salgadinhos industrializados cheios de gorduras saturadas.

6 – Combate efeitos da idade porque combate os radicais livres

Os radicais livres são substâncias produzidas a partir de reações químicas resultantes do metabolismo das células e eles são responsáveis pela degeneração de alguns dos nossos sistemas vitais. Estudos mostram que os antioxidantes combatem o efeito dos radicais livres, e como a pipoca é rica em antioxidantes o seu consumo pode ser benéfico no combate aos efeitos dos radicais livres no organismo. Entre tais efeitos estão o aparecimento de rugas, manchas senis, degeneração macular e cegueira, fraqueza muscular, declínio cognitivo, osteoporose, doença de Alzheimer, demência, queda de cabelo, e outras doenças degenerativas. Ninguém imagina que dentre os benefícios da pipoca está o combate a idade. Isso é uma ótima notícia.

7 – Atua como fonte de energia e na prevenção de doenças

A pipoca contém vitaminas como a tiamina, a niacina e a vitamina B6. Todas elas ajudam a converter os alimentos em energia para o nosso corpo e cada uma em particular tem seus benefícios.A Tiamina ou Vitamina B1 ajuda a quebrar os carboidratos simples e protege o sistema imunológico. A Niacina ou Vitamina B3 aumenta o HDL, o colesterol bom no sangue. A vitamina B6 tem inúmeras funções que variam de acordo com cada combinação entre ela e outras vitaminas: Ela ajuda a prevenir doenças cardíacas, tem papel importante na produção de serotonina – responsável pelo sono, e ajuda a prevenir artrite.

Quer preparar pipoca de um jeito super saudável? Confira todas as nossas opções de pipoqueiras!

Dicas

Canudo plástico não!

Não se fala em outra coisa: os canudos plásticos se tornaram um dos maiores problemas ambientais da atualidade. Sozinhos, eles já representam 4% de todo o lixo plástico produzido no mundo e, produzidos à base de  polipropileno e poliestireno, não são biodegradáveis e sua reciclagem ainda é difícil. Além disso, eles podem levar até inacreditáveis mil anos para se decompor no meio ambiente e, para piorar ainda mais o cenário, grande parte deste material é carregado pela chuva para oceanos e rios, impactando toda a fauna aquática – uma grande ameaça a diversas espécies marinhas já que, ao se desintegrar, partes menores deste material terminam na cadeia alimentar desta fauna.

Com tudo isso, dá para afirmar que é preciso reduzir este consumo em todo o mundo, certo? O bom é que isso já está acontecendo. O movimento em torno da conscientização para o não consumo ou substituição dos canudos descartáveis atingiu proporções mundiais nos últimos anos e, como possível consequência, tem sido retratado na mídia de forma recorrente. Toda essa repercussão resulta da análise que envolve desde a produção, o uso e, mais tarde, o descarte dos canudos. E você pode e deve fazer parte dessa discussão e, principalmente, desta mudança de atitude. Vamos juntos?

– Faça um compromisso pessoal para dizer “não” aos canudos plásticos. Sempre que pedir uma bebida, dispense o canudo. Uma alternativa é ter o seu próprio canudo reutilizável sempre a mão. Ele estão disponíveis em diversos materiais, como inox e silicone, e podem ser reutilizados e, quando necessário, são melhor descartados e reciclados. Quer fazer um pouco mais? Incentive seus amigos e familiares a assumirem este compromisso também. Você tem mais poder do que pensa.

CLIQUE AQUI E VEJA NOSSA SELEÇÃO DE CANUDOS ECO-FRIENDLY

– Encoraje seus restaurantes e bares favoritos a abolir o canudo plástico ou disponibilizar outras alternativas para seus clientes. Faça o mesmo no seu trabalho, escola e dentro de casa – toda mudança começa com questionamentos, e será que nós precisamos mesmo de canudos plásticos no nosso dia-a-dia? Esteja pronto para conversar sobre o assunto. Conhecimento também é poder.

É verdade que o plástico não vai sumir tão rápido do mercado, mas cabe a nós aceitarmos este grande desafio agora mesmo! #canudoplasticonao

Não se fala em outra coisa: os canudos plásticos se tornaram um dos maiores problemas ambientais da atualidade. Sozinhos, eles já representam 4% de todo o lixo plástico produzido no mundo e, produzidos à base de  polipropileno e poliestireno, não são biodegradáveis e sua reciclagem ainda é difícil. Além disso, eles podem levar até inacreditáveis mil anos para se decompor no meio ambiente e, para piorar ainda mais o cenário, grande parte deste material é carregado pela chuva para oceanos e rios, impactando toda a fauna aquática - uma grande ameaça a diversas espécies marinhas já que, ao se desintegrar, partes menores deste material terminam na cadeia alimentar desta fauna. Com tudo isso, dá para afirmar que é preciso reduzir este consumo em todo o mundo, certo? O bom é que isso já está acontecendo. O movimento em torno da conscientização para o não consumo ou substituição dos canudos descartáveis atingiu proporções mundiais nos últimos anos e, como possível consequência, tem sido retratado na mídia de forma recorrente. Toda essa repercussão resulta da análise que envolve desde a produção, o uso e, mais tarde, o descarte dos canudos. E você pode e deve fazer parte dessa discussão e, principalmente, desta mudança de atitude. Vamos juntos? - Faça um compromisso pessoal para dizer "não" aos canudos plásticos. Sempre que pedir uma bebida, dispense o canudo. Uma alternativa é ter o seu próprio canudo reutilizável sempre a mão. Ele estão disponíveis em diversos materiais, como inox e silicone, e podem ser reutilizados e, quando necessário, são melhor descartados e reciclados. Quer fazer um pouco mais? Incentive seus amigos e familiares a assumirem este compromisso também. Você tem mais poder do que pensa. CLIQUE AQUI E VEJA NOSSA SELEÇÃO DE CANUDO ECO-FRIENDLY - Encoraje seus restaurantes e bares favoritos a abolir o canudo plástico ou disponibilizar outras alternativas para seus clientes. Faça o mesmo no seu trabalho, escola e dentro de casa - toda mudança começa com questionamentos, e será que nós precisamos mesmo de canudos plásticos no nosso dia-a-dia? Esteja pronto para conversar sobre o assunto. Conhecimento também é poder. É verdade que o plástico não vai sumir tão rápido do mercado, mas cabe a nós aceitarmos este grande desafio agora mesmo! #canudoplasticonao

 

Dicas Receitas Sobremesas

Panna Cotta – do Piemonte para sua mesa

panna cotta

Prima do pudim e do flan, a panna cotta é uma sobremesa tradicional da região do Piemonte na Itália, reconhecida inclusive pelo governo da região, que leva basicamente três ingredientes em seu preparo: creme de leite, açúcar e baunilha, mas o uso de gelatina já foi incorporado em diversas receitas – o que diminui o custo e permite que o ponto seja alcançado com mais facilidade. O nome significa creme cozido e, embora a receita tradicional ainda seja a mais comum, o doce já é conhecido também por suas inúmeras variações. Seu sabor neutro aceita muito bem diversos tipos de caldas ou compotas de fruta, o que a torna uma sobremesa extremamente versátil e perfeita para dias de calor.

A gelatina

Se você apostar no método mais comum (e rápido), escolha gelatina sem sabor para sua panna cotta, em pó ou em folha, e certifique-se de que ela esteja completamente dissolvida antes de adicioná-la à sua mistura de creme. E nada de exagerar na quantidade de gelatina! A gelatina mantém a sobremesa firme mas uma boa panna cotta tem que balançar, tem que quase não segurar o seu formato – isso faz toda a diferença!

A proporção entre o teor de gordura e a gelatina é a chave para uma panna cotta perfeita, mas não deixe que isso o impeça de brincar com os ingredientes cremosos que você escolher para o seu prato. Enquanto creme de leite é o preferido, uma panna cotta também pode ser feita com leite, leitelho e até mesmo opções de baixo teor de gordura, como leite desnatado. A sobremesa também aceita bem substituições alternativas sem lactose, como leite de coco (ou creme), leite de soja e até mesmo seu leite de castanhas favorito (como amêndoa ou avelã por exemplo). Versátil, lembra?!

Só fique atento a uma coisa: quanto menor o teor de gordura, especialmente se você usar leite desnatado ou sem lactose, maior será a probabilidade de aumentar a quantidade de gelatina usada para manter o equilíbrio das proporções.

Temperatura certa

Não ferver! Esse é o lema – ou deveria ser – para aquecer sua base de creme e açúcar. Sempre vá devagar quando você aquecer creme para uma sobremesa à base de laticínios – isso significa manter sempre a temperatura ligeiramente abaixo do ponto de ebulição, por isso não saia de perto enquanto você está aquecendo sua base.

Lembre-se! Nunca deixe sua gelatina ferver – gelatina fervida não vai engrossar e sua panna cotta pode não firmar o suficiente. Além disso, certifique-se de não usar água fervendo em sua gelatina pois ela não tolera bem temperaturas superiores a 54ºC.

Apresentação

Se você planeja desenformar sua panna cotta para servir, não se esqueça de resfriá-la por cerca de quatro horas antes de tentar desenformá-la
Os moldes de panna cotta perfeitos são pequenos, apenas cerca de 180/200gr. Unte cada molde com um óleo neutro e sem sabor – e use uma mão leve ao fazê-lo – para obter melhores resultados.
Além disso, passe uma faca ao redor da borda de cada um para liberar ou mergulhe cada molde por apenas alguns segundos em um recipiente raso com água quente.

E se a sua panna cotta não desenformar lindamente? Quer evitar esta dúvida? Prepare sua panna cotta em um lindo recipiente transparente – copos, tigelas e até mesmo potes são ótimas opções e também produzem aquele efeito uau na hora de servir.

Agora que você já está apaixonado por esta sobremesa italiana, mãos a obra!

Ingredientes

2 xícaras ou 500 ml creme de leite fresco
1/2 xícara de leite
1 colher de sopa de gelatina em pó sem sabor
2 colheres de sopa de água
1 fava de baunilha ou 1/2 colher de chá de extrato ou essência de baunilha
5 colheres de sopa rasas de açúcar
óleo para untar as forminhas
8 moldes de alumínio de 100ml (você também pode optar por não desenformar, neste caso use copos de vidro ou acrílico, potes de compota, potes de sobremesa)

Modo de preparo

Coloque a água em uma tigela pequena, polvilhe a gelatina por cima e misture bem. Deixe amolecer por pelo menos 2 a 3 minutos.

Abra a fava de baunilha ao meio no sentido do comprimento com a ajuda de uma faquinha de ponta. Retire as sementes do interior da fava raspando com o outro lado da lâmina. Reserve.

Unte o interior dos moldes com uma leve camada de óleo e reserve. Não unte caso esteja usando outros recipientes e não queira desenformar.

Em uma panela pequena, misture o creme de leite, o leite, o açúcar e as sementes de baunilha. Leve ao fogo médio/baixo e cozinhe sem deixar ferver, apenas até o açúcar diluir completamente. Retire do fogo e misture a gelatina amolecida. (espere o liquido esfriar para misturar o extrato ou essência de baunilha, se estiver usando).

Com uma concha, encha as forminhas untadas e leve a geladeira por 6 horas ou durante a noite. Se for fazer com mais de 24 horas de antecedência, esteja ciente de que o resultado pode ser uma panna cotta um pouco mais firme.

Cerca de 10 minutos antes de servir, passe uma faca de ponta redonda e lâmina fina em torno do molde e vire no prato de servir. Caso não desenforme, coloque um pouco de água fervente em um recipiente e coloque o molde dentro por alguns segundos para esquentar o fundo e tente desenformar outra vez.

Na hora de servir cubra com a calda já fria.

Use a criatividade para a calda de sua panna cotta ou aposte na versão clássica:

Calda de Frutas Vermelhas
250g de frutas vermelhas de sua preferência
100g de açúcar

Leve o açúcar e as frutas, se forem morangos devem ser picados, ao fogo por 5 a 6 minutos até formar uma calda.
Espere esfriar e espalhe sobre a panna cotta.

panna cotta panna cottapanna cotta

Tudo na medida! Confira uma seleção para medir e pesar os ingredientes de suas sobremesas.

Dicas Receitas

O versátil pesto

molho_pesto

Pesto é uma coisa simples, deliciosa e versátil – vai bem na massa, na torrada, na bruschetta, no sanduíche… E para melhorar o preparo também não tem mistérios – basta usar ingredientes de ótima qualidade e voilà! Aqui vão algumas dicas:

As folhas
Lave as folhas muito bem – e esta talvez seja a parte mais trabalhosa do preparo. Ao lavá-las use água fria, não morna, que deixa as folhas mais murchas. Seque bem as folhas em um seca salada ou entre camadas de papel toalha de cozinha.
dica: salsinha adiciona uma nota mais clara ao pesto, por isso vale a pena incluí-la em parte da receita.

O alho
Pense cuidadosamente sobre quanto alho você vai adicionar. A receita abaixo pede 1-2 dentes mas tenha mente que se você adicionar 2, será um pesto com gosto mais pronunciado de alho (se você ama, vá em frente!). Já adicionando 1 dente, seu pesto será mais suave e mais equilibrado. A escolha é sua.

Pignole
Os pignoles são tradicionais no pesto, mas são caros. Você pode usar nozes ou qualquer outra castanha sem medo de errar! Qualquer que seja a castanha que você escolher, certifique-se de torrá-las primeiro. Pegue uma panela pequena, adicione as nozes, coloque em fogo médio-baixo e cozinhe, mexendo sempre, até sentir o cheiro delas.

Azeite
Escolha um azeite (de preferência extra virgem) que você goste do sabor sozinho. Se você não tiver certeza, coloque o azeite em um prato, polvilhe com sal e pimenta e mergulhe em um pouco de pão. Pergunte-se se você comeria isso em um restaurante antes de uma refeição enquanto saboreia uma taça de vinho. Se a resposta for sim, você tem um bom azeite. Vá em frente.

Queijo
Você não precisa necessariamente usar parmesão se não quiser, mas você precisa de um queijo duro e salgado para substituí-lo. Por isso, não tente adicionar mussarela ou brie por exemplo – eles não vão misturar direito e o resultado final fica comprometido. Outra dica sobre o queijo é não colocá-lo no processador de alimentos (ou pilão) com os outros ingredientes. Em vez disso, rale finamente e junte no final.

Variações
Hortelã, coentro, agrião e rúcula são algumas variações deliciosas para a receita tradicional com manjericão. Experimente!

Processador x Pilão
A praticidade pede um processador ou mixer mas os puristas dirão que um pesto só sai de um pilão. Se você também pensa assim, use o pilão e mantenha a tradição viva (todo mundo precisa de tradições). Se você no entanto gosta do que a modernidade tem a oferecer, aposte no processador – mas atenção! Não coloque tudo no processador de uma vez. Isso machuca as folhas de manjericão e faz com que as nozes liberem muito óleo, o que tornará o molho meio pastoso. Em vez disso, pique o manjericão, nozes e alho muito bem primeiro. Em seguida, coloque-os no processador de alimentos com o azeite, sal e pimenta (não o queijo – ele só entra no final!). Pulse apenas algumas vezes. Um bom pesto deve ser um pouco robusto, não super suave.

Armazenagem
A principal questão a se preocupar quando se trata de armazenar manjericão é que ele pode escurecer. Coloque uma camada de azeite por cima do pesto pronto para evitar a entrada de ar que oxida o manjericão. Feche o recipiente (confira nossa seleção de potes com fechamento hermético!) e guarde na geladeira por até 5 dias.
Pesto congela lindamente e você pode usar formas de gelo (já ensinamos o truque aqui!).

Mão na massa!

Ingredientes
1 e 1/2 xícaras de folhas frescas de manjericão
1/2 xícara folhas de salsinha fresca
1/3 xícara de pignole torrado (ou a castanha de sua preferência)
1-2 dentes de alho (dependendo do sabor que você quer)
1/2 xícara de azeite extra virgem
1/2 colher de chá sal
1/4 colher de chá pimenta preta grossa
1/4 xícara de parmesão ralado

Confira nossa seleção de processadores e pilões.

Dicas

5 dicas para sua pequena cozinha

Organizar a cozinha também se trata de aproveitar ao máximo o espaço que você tem, e isso muitas vezes requer soluções criativas e o uso de utensílios práticos. Reunimos 5 dicas rápidas para deixar sua pequena cozinha super organizada.

1. Otimize sua gaveta de utensílios
Se você está cansado de vasculhar sua gaveta de utensílios para encontrar a item certo para a receita, ou tem problemas para fechá-la porque o seu batedor praticamente não cabe dentro dela, pode ser a hora de uma reorganização!

Pode soar básico, mas usando um organizador de gavetas você pode mantê-las organizadas e aproveitar ao máximo seu espaço. Além disso, significa que você não precisará perder tempo procurando os pequenos utensílios quando precisar deles bem na hora de um passo importante na receita.

2. Lembretes
Se você é do tipo que precisa anotar para não esquecer, sua cozinha pode estar inundada de papéis, canetas e imãs de geladeira por todo lado. Que tal deixar essa tarefa mais fácil? Uma boa ideia é transformar uma pequena parede ou a porta dos armários em uma lousa. Assim, você mantém as informações sempre no mesmo lugar e se livra de papeizinhos que se perdem facilmente. Use uma tinta para lousa e mãos a obra!

3. O poder das cores
Organização não precisa ser chata! Mesmo quando você está tentando organizar um espaço pequeno, ainda pode se divertir com o design. Ainda que a sensação de amplitude venha de revestimentos claros e de tons off-white, que tal apostar nas cores em objetos e utensílios? Os itens em silicone são uma ótima opção pois, além de práticos e duráveis, são encontrados em diversas cores e ganham também função decorativa.

4. Compre melhor
Na hora da compra podemos acabar colocando no carrinho ingredientes que não fazem parte da nossa dieta ou mesmo exagerando na quantidade de determinado item. O resultado é que eles ficam ocupando espaço no armário sem nunca serem utilizados, esperando a receita ideal. Temos duas dicas:

Use: Verifique as datas periodicamente e use sempre o que estiver perto do vencimento primeiro – sempre há algo que você pode fazer para aproveitar aquela lata prestes a vencer.

Descarte: se você não usou em um ano (e ainda está na validade), talvez seja hora de encaminhar estes itens para doação e repensar sua lista de compras no futuro – quantidades menores tem menos chance de serem perdidas e você pode sempre variar e experimentar novos sabores.

Lembre-se, mesmo aquele ingrediente longa vida não dura para sempre. Crie uma rotina de checar periodicamente as datas de validade dos itens da despensa.

5. Soluções de armazenamento
Uma dica simples para garantir que os seus frascos de especiarias não sejam negligenciados na parte de trás dos armários é usar potes herméticos, rotulá-los e mantê-los em algum lugar visível, tornando fácil encontrar o que você precisa – um porta temperos pode ser uma ótima solução. Um porta utensílios também ajuda a manter tudo visível e com fácil acesso. Falta espaço nos armários? Invista nos organizadores cromados que otimizam o espaço e mantém tudo organizado.

Levar em conta sua rotina na hora de organizar a cozinha é uma grande ideia! Cada casa tem seu ritmo, por isso é importante deixar a mão os itens que você mais acessa, criando soluções que se adequem ao seu estilo de vida e espaço.

Quer organizar a cozinha agora mesmo? Nós temos uma incrível seleção de itens para te ajudar! Clique aqui.

Dicas

O melhor dos sucos

sucos

Com a chegada do verão eles voltam com tudo ao nosso dia-a-dia – os sucos realmente estão em alta! Fáceis de preparar, eles são refrescantes, hidratantes e nutritivos e aqui vão algumas dicas para incorporá-los à sua dieta sem esforço.

1. Organize
Se você quiser manter esse hábito saudável, é melhor torná-lo o mais fácil e acessível possível, certo? Tendo isso em mente, crie uma rotina de pré-preparo para seus sucos que vai deixar o processo todo muito mais simples. Lave bem suas frutas e verduras antes de guardá-los na geladeira. Se possível, pré-corte seus ingredientes também (cenoura, melão, beterraba, abacaxi, etc.) e guarde os cubos em potes herméticos ou sacos Ziploc na geladeira ou freezer. Lembre-se que caules, cascas e até mesmo algumas sementes podem passar por um espremedor sem nenhum problema. Se você tem um espremedor com uma boca larga pode muitas vezes utilizar frutas inteiras, tornando o seu trabalho ainda mais fácil.

2. Sem desperdício
Você sempre pode utilizar a sobra de polpa de frutas e legumes para compostagem mas, alternativamente, a polpa também pode ser incorporada em uma variedade de pratos, como sopas de legumes, hambúrgueres, bolos, bolinhos ou até mesmo almôndegas. Seja criativo e busque informações sobre aproveitamento integral de frutas e vegetais.

3. Aposte no sabor…
Verduras escuras como couve e acelga são os ingredientes mais saudáveis, mas nem todo mundo adora o sabor. O grande segredo? Uma maçã ou duas disfarçará quase completamente o gosto das folhas. Adicionar um ou dois elementos mais doces (maçãs, pêras e cenouras funcionam bem) pode fazer com que até mesmo o suco verde mais saudável pareça um smoothie doce e apetitoso. Quer ainda mais sabor? Um pouco de suco de limão fresco faz diferença em qualquer tipo de suco.

4. E na aparência também!
Sucos podem ter um resultado visual não muito agradável a depender dos ingredientes que você utilizar e nem todo mundo encara com prazer uma bebida esverdeada/cinza. Tente tornar seus sucos atraentes usando frutas e verduras que resultarão em cores mais vibrantes. Não esqueça que a apresentação é importante e afeta levemente o modo como seu paladar recebe o suco.

5. Tempere
Sim, o suco também! Adicionando uma pitada de um tempero em uma receita de suco você pode, não só trazer mais sabor, mas também fornecer benefícios adicionais para a saúde. Por exemplo, vários estudos mostram que a cúrcuma tem propriedades antiinflamatórias significativas, e acredita-se que a pimenta-do-reino ajuda na absorção de outros nutrientes. Canela pode trazer um sabor surpreendente ao seu suco e há vários estudos sugerindo que ela pode ter um efeito regulador sobre o açúcar no sangue. Comece com pequenas adições de um tempero que lhe parece interessante – uma pitada aqui e ali até encontrar o equilíbrio certo para o seu paladar. Ervas frescas também funcionam muito bem e agregam sabor e frescor – alecrim, manjericão e hortelã fazem bonito em qualquer suco.

6. Consumo rápido
É verdade que o suco começa a perder seus nutrientes depois de ter permanecido em temperatura ambiente por algum tempo, por isso a dica é consumi-lo assim que estiver pronto. Se você não pode beber imediatamente, coloque-o em uma jarra hermética e guarde na geladeira por apenas 24 horas.

7. Orgânicos
Quando prepara um suco você está consumindo frutas e vegetais in natura e tirando o melhor destes ingredientes, certo? Por isso, é provável que incluir toxinas e pesticidas não esteja nos seus planos. Procure comprar orgânicos sempre que possível e fique de olho nas safras para comprar sempre o melhor da estação – além de economizar!

Agora é só separar seus ingredientes favoritos e começar já este hábito super saudável. Mas lembre-se de não consumir todas as suas frutas e vegetais desta maneira. Os sucos não têm fibras – que aumentam a saciedade e ajudam a melhorar a saúde cardíaca e digestiva – por isso é importante comer fruta ou verdura também. Além disso, como você tem que usar uma quantidade muito maior de frutas e vegetais para fazer um copo de suco do que você normalmente come, você obterá doses mais altas de micronutrientes e fitoquímicos, mas também obterá mais açúcar e calorias, sem a fibra que ajuda a retardar a absorção desse açúcar. Você pode minimizar a quantidade de açúcar que obtém bebendo principalmente sucos de vegetais – couve, pepino e aipo são vegetais com baixo teor de açúcar que são deliciosas opções para fazer suco.

Confira nossa seleção para preparar e servir sucos incríveis.

Dicas Receitas

Tá calor? Vá de picolé!

como-fazer-picole

A temperatura subiu e uma maneira gostosa de se refrescar é com picolé. Em versões frutadas eles são ainda uma ótima opção para se hidratar e consumir frutas na estação mais quente do ano – é o que chamamos de unir o útil ao agradável, certo? 😉

Receitas de picolés não faltam mas, de um modo geral, todos são feitos seguindo um processo de quatro etapas em que você cria uma mistura, despeja-a em moldes, congela os moldes e finalmente desenforma e desfruta. Aqui vão algumas dicas para você abusar do geladinho neste verão:

1. Picolé de quê?
O primeiro passo na maioria das receitas de picolé é criar a base. Se você está fazendo uma receita à base de água, vale sempre dissolver o açúcar em água quente. Uma vez que a mistura esfriar, adicione o sabor. A fruta geralmente entra em forma de purê, que pode ser obtido levando a fruta ao liquidificador, mas é você quem determina a textura do seu picolé – se você quiser lisinho e sem sementes, bata a fruta completamente e passe por uma peneira fina. Se preferir uma consistência maior, misture por menos tempo e não coe.

Para fazer picolés à base de laticínios você normalmente combinará leite ou creme, açúcar, temperos, sucos e / ou raspas em uma panela em fogo médio-alto. Existem ainda receitas à base de água e produtos lácteos que não requerem nenhum tipo de cozimento – basta combinar todos os ingredientes e despejar a mistura em moldes.

2. Preencha os moldes

Quando você colocar a mistura nos moldes, deixe cerca de ¼ de polegada na parte superior para que a mistura possa expandir conforme congela.

3. Insira os palitos

Alguns moldes têm uma bandeja através da qual você pode inserir os palitos. Se for este o caso, certifique-se de que os palitos entrem em linha reta, caso contrário, você terá dificuldade em tirar a bandeja quando estiver pronto para desenformar os picolés. Uma boa opção é deixar os moldes descobertos no freezer por cerca de 1 hora (mas tenha cuidado para não esquecê-los!), depois insira os palitos e eles permanecerão na posição vertical.

4. Congele

Transforme seu freezer no cenário mais frio possível. Quanto mais rápido congelar, menores serão os cristais de gelo, o que significa que será mais cremoso. Coloque seus moldes na parte de trás do freezer, onde está mais frio. Picolés levam de 4 a 8 horas para congelar, dependendo dos ingredientes que você usa. Quanto maior a proporção água / açúcar, mais rápido o seu gelo irá congelar. Caso esteja fazendo opções com álcool, lembre-se que ele retarda o processo.

5. Desenforme

Cuidadosamente mergulhe os moldes em água quente por cerca de 10 a 20 segundos, certificando-se de mergulhá-los até logo abaixo da borda superior. Em seguida, puxe com força os palitos para arrancá-los. Se eles não saírem, talvez precisem de uma segunda imersão. Se você estiver usando moldes individuais, pode colocar água quente sobre a parte externa do molde e, em seguida, puxar com força os palitos.

6. Para armazenar

Aproveite o seu picolés imediatamente ou guarde-os em sacos de congelação seláveis ​​ou sacos de papel encerado no congelador. Certifique-se de que estão hermeticamente fechados para evitar a formação de cristais de gelo e aquele “gostinho de freezer”. Você também pode mantê-los congelados em seus moldes até que esteja pronto para comê-los, mas tente não deixá-los por muito tempo – eles ficam muito melhores se consumidos dentro de uma semana.

7. Transporte

Use bolsas térmicas, recipientes de isopor ou caixas de gelo se você precisar transportar picolés. Quanto mais gelo você transportar junto, mais eles ficarão congelados. Para uma viagem muito longa, você pode querer comprar um bloco de gelo seco, que irá mantê-los congelados por muitas horas.

 

#RECEITA – Picolé de Café (versão alcoólica)

Ingredientes
1 vidro de leite de coco (200 ml)
100 ml de café forte
200 ml de vodca
1 lata de leite condensado
1 lata de creme de leite com soro

Modo de preparo
Bata no liquidificador os quatros primeiros ingredientes. Depois de batidos, misture o creme de leite e leve aos moldes para gelar.

(dica: grãos de café dão um charme a mais e crocância ao picolé)
como-fazer-picole

#DICA – Picolé no drink

Quer drinks ainda mais refrescantes? Experimente finalizá-los com um picolé. Além de saboroso, fica uma graça!

como-fazer-picole

#DICA – Sirva com charme

Que tal finalizar aquele jantar de verão com uma sobremesa simples e refrescante? Picolé! Dê charme servindo em copos ou taças com gelo.

como-fazer-picole

Confira aqui nossa seleção para preparar e servir sorvetes.

Dicas

Faça você mesmo: Arranjo de Natal com Orquídeas

Que tal acrescentar um charme na sua decoração de Natal trocando a tradicional flor bico de papagaio, a mais comum nesta época, pela elegante orquídea? O truque é utilizar bolas de natal nos tons da orquídea escolhida e criar um arranjo elegante que pode ser utilizado para decorar a mesa ou espalhado pela casa.

arranjo_orquidea
Você vai precisar de:
– espuma para arranjo floral
– um prato
– galhos de festão
– bolas de Natal no tom escolhido
– orquídeas
– galhos de mosquitinho/gypsophila (ou outra flor pequena)
– musgo (para finalizar)

Mergulhe a espuma floral em água e escorra o excesso.

Posicione a espuma no centro do prato escolhido. Lembre-se que a espuma deve ser de tamanho proporcional ao prato.
Comece distribuindo os galhos de festão de forma harmoniosa pela espuma.

Distribua as bolas de Natal por toda a espuma.

Acrescente os galhos de mosquitinho, posicionando por toda a espuma até cobri-la.

Agora é a hora de distribuir as orquídeas. Corte-as mantendo um pedaço do cabo e coloque delicadamente na espuma.

Finalize espalhando o musgo pelo prato.

Confira nossa seleção Mesa Posta para arrasar na ceia.

Dicas

Molho para o peru

Ele pode ser uma das estrelas das ceias de final de ano mas também é um dos pratos que podem ressecar demais no forno, comprometendo o resultado final – afinal, queremos um peru suculento, não é mesmo? É por isso que é fundamental servir o peru acompanhado de um molho, que pode ser preparado com o próprio suco do assado com a ajuda de um espessante.

Confira algumas dicas para preparar um molho incrível para o peru e garanta que ele brilhe muito em sua ceia.

1. Separe o caldo
Seu peru vai assar e deixar na assadeira um líquido precioso, concentrado de sabores. É ele que garante um molho perfeito para acompanhá-lo na hora de servir. Não deixe de reservar o caldo que se formou.

2. Dissolva o seu espessante
Misture o amido de milho ou outro espessante com um pouco de líquido frio até dissolver antes de adicionar à panela. Se adicionar tudo de uma vez, o molho pode empelotar deixando grumos.

3. Roux
Se a receita pedir para fazer um roux (confira receita abaixo), certifique-se de cozinhá-lo por tempo suficiente para que os grânulos de amido inchem e a farinha perca seu sabor cru. Uma vez que está dourado estará pronto para ser adicionado ao líquido.

4. Obtenha a textura correta
A espessura do molho é uma preferência pessoal, sem dúvida, mas o ideal é que ele não seja espesso demais como um mingau e nem fino como uma calda. Antes de servir, verifique a textura e dilua-a com um pouco de caldo extra ou água, se necessário. Se estiver muito fino, misture uma colher de sopa de amido de milho em 1/4 xícara de caldo frio ou água e adicione um pouco da mistura ao molho. Deixe ferver e verifique a textura novamente.

5. Tempere com cuidado
Quando o molho ferve, a água evapora e os sabores ficam concentrados. Isso pode ser uma coisa boa, mas também significa que qualquer sal será concentrado também. É melhor salgar com moderação antes de cozinhar, depois ajustar os temperos novamente antes de servir.

6. Sabor extra
Quer dar mais sabor ao seu molho? Tente adicionar um pouco de vinho branco, suco de limão, abacaxi ou maracujá ou uma pitada de açúcar para complementar os sabores.

7. Sirva quente
Se o seu molho ficou frio ou foi refrigerado não esqueça de aquecê-lo antes de servir. Aqueça também a molheira derramando água fervente nela. Escorra a água e adicione o molho para que fique mais quente.

Molho básico para o peru

Ingredientes
1 a 2 xícaras do fundo da assadeira do peru
1/4 xícara de farinha de trigo
água (ou caldo de sua preferência)
Sal e pimenta a gosto

Modo de Preparo

Despeje o fundo da assadeira (sem raspar alguma parte queimada, se houver) em  um copo de medição de 2 xícaras e retire a gordura. Coloque cerca de 1/4 xícara de gordura em uma panela.

Adicione 1/4 xícara de farinha de trigo. Descarte qualquer gordura restante. Adicione água suficiente ao líquido deixado no copo de medição para fazer 2 xícaras de líquido. Despeje as 2 xícaras de líquido na mistura de farinha e gordura. Cozinhe, mexendo até engrossar e borbulhar. Continue cozinhando por cerca de 1 minuto, mexendo sempre.
Adicione sal e pimenta do reino moída a gosto.

Mais sabor:
Para um sabor mais rico, use caldo de aves ou legumes no lugar da água.

Depois que o molho engrossar, adicione 1/4 de xícara de creme de leite, 1 colher de chá de sálvia picada, 1/2 colher de chá de alecrim fresco picado e 1 colher de chá de tomilho fresco picado. Cozinhe, mexendo, por cerca de 1 minuto a mais. Adicione sal kosher e pimenta do reino moída a gosto.

Adicione 2 colheres de sopa de vinho branco seco ou Madeira à panela junto com as 2 xícaras de líquido e prossiga com a receita.

Para preparar o Roux

Aqueça manteiga ou outra gordura em fogo baixo, até derreter;  Adicione a farinha (a mesma quantidade da manteiga, em peso) e mexa suavemente. Cozinhe, mexendo sempre, até obter a cor desejada.

– Roux Blanc (branco): usado no molho Branco e no Bechamel. É cozido por 1-2 minutos, o suficiente para que o sabor da farinha desapareça, sem alterar a cor;

– Roux Blond (castanho): é a base do molho Velouté, ao qual se junta um caldo fino de galinha, vitela ou peixe. É cozido por 2-3 minutos, até ficar levemente dourado;

– Roux Brun (marrom): muito saboroso, é a base do molho Espagnole. De cor marrom profunda, ele é cozido em fogo alto por 5 minutos.

Dicas

7 dicas para manter a casa com pet sempre limpa

Se você compartilha a casa com um amigo peludo a boa notícia é que os estudos dizem que você provavelmente é mais feliz e saudável. A má notícia? Sua casa talvez exija um tempo extra na hora da limpeza.

Mas calma! É possível manter a sujeira dos animais de estimação afastada – e manter algum tempo livre para você – com algumas medidas preventivas, bem como alguns utensílios domésticos que você provavelmente já tem em mãos.

1. Mantenha seus animais de estimação limpos
Parece óbvio, claro, mas a verdade é que a sujeira que você remove do bichinho é a sujeira que não estará na sua sala, certo? Se ele passeia na rua, uma boa ideia é manter uma estação de limpeza para a volta – a porta da lavanderia é o local ideal. Mantenha um bom capacho, toalhas e panos limpos próximos da porta. Alguns lenços umedecidos também ajudam se for preciso remover uma sujeira extra e um borrifador de água para limpar as patas. Talvez seja uma boa ideia manter um pote de biscoitos ou da guloseima favorita do seu pet neste canto também (nós somos #teampet 🙂

2. Aposte em passadeiras e tapetes pequenos
Passadeiras para corredores e um tapete pequeno na frente de cada porta – como um capacho interno – para pegar qualquer sujeira que seu animal de estimação possa arrastar. Esses tapetes não deixam nada entrar e, na maioria das vezes, se limpam com um pano úmido.

3. Tenha um aspirador de qualidade
Procure por um aspirador de pó adequado para animais de estimação. Você precisará de uma sucção extra forte, filtro de qualidade e uma boa ação para os pelos depositados nas superfícies. Considere o tipo de piso que você tem em sua casa e se o seu animal de estimação tem acesso à mobília, procure por um modelo que também possa ser utilizado em estofados. E certifique-se de limpar regularmente o filtro!

4. Sofá a prova de pet
Não existe, não é mesmo? Se o seu bichinho é o rei do sofá, talvez valha a pena investir no modelo mais adequado, pois o material errado pode agir como um ímã de pelos, manter odores indesejáveis ​​e mostrar a menor mancha. Aposte no couro ou tecidos de boa resistência, de preferência com processo de impermeabilização. Se trocar não é uma opção, aposte em uma boa manta que possa revestir o sofá e tenha tecido que possa ir à máquina de lavar.

5. Limpe regularmente as coisas do seu animal de estimação
Caminhas, brinquedos e potes de comida podem manter odores e bactérias e todos precisam ser limpos regularmente. Verifique se eles são laváveis ​​na máquina, caso contrário, você pode lavar à mão na pia. Guarde esta tarefa para um dia de sol, que vai ajudar a secar e eliminar os odores.

6. Limpador de emergência
Encha uma garrafa de água com metade da água, metade de vinagre branco e uma gota de detergente. Este agente de limpeza seguro para animais de estimação funcionará em tudo, desde pisos e paredes até o novo sofá de camurça que você acabou de levar para casa. Uma boa ideia é usar em um borrifador, que facilita a aplicação.

(veja aqui mais dicas para utilizar o vinagre na limpeza)

7. Areje sua casa
Seu animal é um fofo mas o cheiro dele provavelmente estará em sua casa. Isso é um problema? De jeito nenhum! Mantenha o ambiente sempre limpo e – o principal – abra suas janelas e deixe um pouco de ar fresco entrar! Mesmo em dias frios, 10 minutos de ar fresco faz maravilhas na desodorização.

Clique aqui e confira nossa seleção para ter uma lavanderia super equipada.