Categoria

Dicas

Dicas Receitas Sucos e Chás

Como preparar Smoothies

como fazer smoothies

Antes das dicas para preparar smoothies deliciosos e nutritivos, vamos a resposta para a pergunta: Qual a diferença entre suco e smoothie?
Ao contrário dos sucos, que utilizam apenas os líquidos obtidos das frutas batidas, os smoothies são feitos a partir da mistura de alimentos naturais inteiros. Desta forma, utilizando integralmente frutas e vegetais, você garante ainda mais benefícios nutricionais com as vitaminas, minerais e fibras contidas nestes alimentos.
Além dos benefícios para quem busca uma alimentação saudável no dia a dia, os smoothies são ótimos para o verão já que podem ser preparados com frutas congeladas e se tornam uma bebida super refrescante.

COMO PREPARAR?

Um smoothie conta com 3 ingredientes principais – um líquido, uma fruta e um vegetal. A refrescância fica por conta do gelo, que pode ser substuituído por frutas congeladas ou mesmo por líquidos congelados em forminhas de gelo, como café, leites de castanhas e muitos outros. Além dos ingredientes base você pode e deve adicionar outros ao seu smoothie – que tal ervas frescas ou um pouquinho de pimenta? O importante é testar suas variações favoritas!

Sugestões de ingredientes:

Líquidos: Água, lácteos ou não lácteos (leites obtidos através de castanhas, soja e etc), café, chás, kefir, água de coco, leite de coco (a versão desnatada não coagula quando frio), sucos frescos
Frutas: Algumas rendem ótimos smoothies como cerejas, bananas, melões, mangas, pêssegos, nectarinas, damascos, abacate, abóbora cozida
Vegetais: Espinafre, couve, cenoura, pepino, beterraba
Ervas e Especiarias: Baunilha, canela, noz-moscada, pimenta, cravo-da-índia, cardamomo, anis, hortelã, manjericão, coentro

Dica: Para obter um delicioso leite de castanhas bata 1 a 2 xícaras de água com 1/4 xícara da castanha escolhida, como nozes, amêndoas, avelãs e outras. Depois de bem batido é só coar e utilizar no lugar do leite comum.

Para adoçar sem utilizar açucar

Se o objetivo é manter uma alimentação saudável, é possível fazer ótimas substituições para açucares e adoçantes, como por exemplo tâmaras sem caroço – elas são doces e macias e garantem o dulçor de forma natural, sem conservantes. No lugar do achocolatado que tal experimentar cacau em pó ou nibs de cacau? Bananas bem maduras também garantem smoothies doces sem adição nenhuma de açucar.

como fazer smoothies

DE OLHO NA TEXTURA

Combinar alguns cubos de gelo com seus ingredientes garante a refrescância mas você também pode congelar diretamente alguns dos seus ingredientes de seu smoothie.
Iogurte, café (com ou sem leite adicionado) e polpas de frutas podem ser congelados em formas de gelo e adicionados diretamente ao liquidificador. Uma textura perfeita para um smoothie é obtida utilizando dois terços de ingredientes congelados, quando possível. Vá testando suas combinações favoritas e congele-os previamente.

Experimente congelar bananas cortadas, frutas em fatias, frutas batidas em consistência de purê, uvas e muitas outras frutas congelam lindamente e ainda se misturam bem em um liquidificador – certifique-se de cortá-las em pedaços pequenos antes de congelar e não esqueça de adicionar líquido suficiente na hora de bater. Os liquidificadores de alta velocidade podem lidar com grandes pedaços de frutas congeladas sem muito problema, desde que haja algum líquido para ajudar a mistura.

Outros ingredientes que garantem ótimas texturas:

Abacate: é um ingredientes mágico de cremosidade para smoothies, e é, de longe, a melhor escolha para smoothies verdes. Você também pode até adicionar metade do abacate no último minuto para consertar a textura de um smoothie que simplesmente não está funcionando da maneira que você esperava. 

Aveia: algumas colheres de chá de aveia também adicionam textura cremosa.

Iogurte grego: em quase todos os tipos de smoothie um potinho de iogurte grego garante cremosidade e sabor.

Óleo de coco: em smoothies verdes onde seus ingredientes não estão muito frios, uma colher de sopa de óleo de coco adiciona boa cremosidade e um bom sabor de coco à mistura.

como fazer smoothies

SUGESTÃO: SMOOTHIE VERDE

Líquidos: água, chá verde, água de coco, sucos frescos que você acabou de fazer
Frutas: Maçãs, peras, abacaxis, melões de cor clara, pêssegos, nectarinas, uvas
Verdes: pepino, couve, espinafre, alface, acelga, rúcula, mostarda, folhas de beterraba, aipo
Para dar mais sabor: manjericão, coentro, hortelã, gengibre, manjerona, salsa, tomilho, alecrim

Para fazer a mistura, você pode utilizar liquidificadores, processadores, ou uma shakeira, que possibilita o preparo de uma porção individual e medida.

Não esqueça!

O smoothie prioriza o consumo pleno dos nutrientes contidos nos ingredientes, por isso, o ideal é que o preparo seja no momento de consumo, para que todas as propriedades sejam preservadas e melhor utilizadas pelo seu corpo.

Atente para a qualidade e condições das frutas e legumes, tente optar pelas mais preservadas, sem manchas escuras ou escoriações de armazenamento.

Não se esqueça de higienizar todos os ingredientes de seu smoothie.como fazer smoothies

Agora que você já sabe como preparar um delicioso smoothie, clique aqui e confira nossa seleção de itens indispensáveis.

Dicas Receitas

Como fazer Kombucha

Nem espumante, nem refrigerante, a febre do momento se chama Kombucha e é uma bebida produzida a partir de uma mistura de chá (geralmente chá preto ou chá verde), açúcar e uma espécie de cultura de levedura. O chá fermentado se transforma em uma bebida gaseificada, levemente ácida e pouco adocicada que pode ser preparada em casa com seus sabores favoritos e que, por ser um alimento probiótico, microbiológico, ajuda a regenerar a flora intestinal e é excelente para a saúde como um todo.

O elemento fundamental do preparo do Kombucha é a colônia ou levedura composta de microorganismos aglomerados em uma massa de celulose parecida com uma panqueca, que tem o nome de Scoby. Quando o Scoby entra em contato com a mistura do chá e do açúcar, transforma o líquido em uma bebida refrescante e  levemente borbulhante. A cultura do Kombucha se alimenta do açúcar e, na troca, produz outras substâncias valiosas que se formam na bebida: o ácido glucurônico, ácido glucônico, ácido láctico, vitaminas, aminoácidos, substâncias antibióticas. Dentre outras substâncias, o álcool de 0.5% a 1% também é produzido, o que o torna levemente alcóolico.

Além dos benefícios para a saúde, o kombucha pode ser produzido em casa, sem grandes mistérios. Tudo que você precisa é de uma parte de kombucha pronta (ou o Scoby), chá, açucar e paciência para aguardar a fermentação.

Dica: É possível encontrar na internet fóruns especializados e grupos em redes sociais de pessoas que doam a “panqueca” (scoby).

Como preparar?

Ingredientes
Rendimento: 2 litros

2 litros de água mineral
¾ de xícara de açúcar cristal orgânico (150 g)
4 ou 5 saquinhos de chá preto (ou 7 gramas de chá preto)
2 colheres de sopa de vinagre de maçã (ou 1 xícara de chá já fermentado)
1 “panqueca” de kombucha

Em uma panela, ferva 2 litros de água e assim que começar a borbulhar, desligue o fogo. Coloque o açúcar e mexa até dissolver.

Acrescente os sachês de chá. Deixe descansar de 10 a 15 minutos, descarte os sachês e espere o chá esfriar.

Coloque o líquido em um recipiente de vidro e acrescente o vinagre de maçã (ou o chá fermentado).

Coloque o scoby, ele é fundamental para o chá fermentar.

Cubra o recipiente com um pano limpo e prenda com um elástico. Deixe fermentar de 12 a 25 dias em um ambiente seco, arejado e sem incidência de luz direta.

A partir do 12.º dia, prove um pouco todos os dias até que chegue a um sabor azedinho e levemente adocicado que seja agradável ao paladar. Retire o scoby da jarra e guarde-o em outro recipiente com um pouco de kombucha para uma próxima fermentação. O líquido está pronto para beber, mas é possível fazer uma segunda fermentação.

Encha garrafinhas ou potes de vidro com o kombucha até um pouco mais da metade. Preencha o restante com o suco de sua preferência e feche bem. Coloque as garrafas fechadas em ambiente seco, fresco, longe da luz e deixe-as descansar de 3 a 5 dias. Refrigere antes de consumir.

Tempo: 30 minutos de preparo e no mínimo 15 dias de fermentação.

como fazer kombuchacomo fazer kombucha
Como conservar

Devidamente embalada e refrigerada, a bebida mantém as suas características por muito tempo. No entanto, é muito importante salientar alguns procedimentos fundamentais para a conservação da bebida independente do período de tempo planejado.

Algumas condições adequadas para a conservação:

  1. Utensílios: Garrafas ou outros vasilhames com tampa bem lacrada ou com rolha. A garrafa pode ser de vidro, cristal ou plástico.
  2. Refrigeração: Não é recomendado guardar a bebida em lugares quentes ou com temperatura muito variável, o ideal é mantê-la refrigerada.
  3. Ausência de ar: Por se tratar de um processo de fermentação aeróbica, isso é, que depende do ar, a bebida deve ser mantida o mais lacrada possível e com a menor quantidade possível de ar no interior da garrafa.

Dica: Deixar a bebida maturar em garrafa lacrada por pelo menos 5 dias em temperatura ambiente, aumenta a concentração de gás e a bebida tem o seu sabor acentuado. Após esse período pode-se abrir e voltar a lacrar a garrafa para ser armazenada em local refrigerado.como fazer Kombucha

Quanto consumir

A recomendação é começar o consumo de kombucha aos poucos, ingerindo pequenas quantidades, Orienta-se consumir 118 ml diariamente. Já a quantidade máxima de ingestão indicada, que não deve ser ultrapassada, é de 470 ml por dia.como fazer kombucha
fontes: Bom Gourmet, Kombucha Blog do Brasil e Mundo Boa Forma

Você Sabia?
Kombucha evoluiu aparentemente de organismos do gênero das plantas há 2.5 bilhões de anos atrás. Diversas pessoas tem preparado essa espécie de chá fermentado para beber durante séculos, há mais de 2000 anos.

Dicas

Dicas para o uso correto da faca de cozinha

uso correto facas de cozinha

Uma boa faca é essencial em toda cozinha e saber como manipulá-la e armazená-la ajuda a minimizar o risco de acidentes e prolonga a vida útil do utensílio.

Algumas dicas importantes:

1. Uma faca afiada é uma faca mais segura
Quando você usa uma faca cega para cortar você precisa aplicar mais força. Como resultado, a faca tem maior probabilidade de escorregar e aumenta o risco de lesões. Manter suas facas afiadas é uma das maneiras mais fáceis de mantê-las seguras. Para isso, basta usar um afiador ou chaira.

2. A faca certa para cada função
Selecionar corretamente uma faca para a tarefa em questão também é uma dica de segurança. No entanto, nem sempre é fácil fazer a escolha certa devido a grande variedade de facas disponíveis no mercado. Na hora da compra, leve em consideração o tipo sugerido pelo fabricante – facas para legumes, para pão, para peixe, etc e prefira usar a faca sempre para a mesma finalidade.

Além disso, ao escolher sua faca um bom ponto de partida é considerar o tamanho da lâmina. Por exemplo, uma pequena faca de aparar não será muito útil para usar em um grande corte de carne. Bem como uma faca com lâmina grande não é adequado para cortar legumes pequenos. Considere também o tipo de lâmina que você precisa – as facas serrilhadas são excelentes para cortar alimentos com centros macios, como o pão por exemplo. Utilizar a faca certa para o ingrediente certo além de facilitar o trabalho na cozinha, preserva a durabilidade das lâminas, que são projetadas de acordo com o uso de cada modelo. Ou seja, não adianta exigir de uma faca aquilo que ela não foi projetada para fazer – uma faca de queijo jamais cortará um tomate!

Lembre-se! Uma faca de cozinha não é abridor de lata, chave de fenda ou cortador de caixa! Usar sua faca para tarefas fora do seu uso pretendido não só poderia colocar sua segurança em risco, mas também danificar sua faca.

3. Limpe suas facas com freqüência
Para evitar a contaminação é importante limpar sua faca assim que terminar de usá-la. Deixar sua faca em uma tábua de corte ou em uma pia cheia de água com sabão cria oportunidades de contaminação e risco de lesões. Lavar sua faca imediatamente após o uso e levá-la de volta para o espaço de armazenamento ajuda a manter sua cozinha mais segura.

Uma faca limpa também é mais fácil de manusear. Resíduos de alimentos podem tornar a sua faca escorregadia e prejudicar a eficácia do corte. Resíduos se acumulam com facilidade na junção do cabo com a lâmina – dê atenção especial a esse local.

Para garantir a higienização correta e manter a durabilidade da sua faca, certifique-se de lava-la adequadamente, verificando sempre a indicação do fabricante sobre o uso de lava louças.

4. Armazene suas facas corretamente
Quando não estiverem em uso suas facas devem ser armazenadas em local seguro. Simplesmente colocá-las soltas em uma gaveta não é seguro. Prefira sempre soluções melhores de armazenamento, como um cepo ou barra magnética que, além de mais seguros, aumentam a longevidade de suas facas.

5. Durante o uso
Use sempre uma tábua de corte ao preparar ingredientes com uma faca. Isso permitirá que você corte consistentemente e proteja suas mãos no processo.

A mão que segura a faca deve ter um aperto seguro no cabo. Mantenha a outra mão fora do caminho da lâmina e os dedos sempre recolhidos na hora de segurar o ingrediente a ser cortado.
Para quem tem pouca habilidade na cozinha, a cautela é o principal conselho. Manuseie a faca com cuidado e devagar até que ganhe confiança e prática. Cortes menores exigem mais precisão e por isso mesmo devem ser feitos com atenção e sem distração.
Uma boa dica é fazer o mise en place de todos os ingredientes antes de começar o preparo da receita e isso inclui o corte de todos itens que serão utilizados. Assim, você faz todo o trabalho mais cauteloso antes de começar a cozinhar propriamente, otimiza o tempo e deixa sua cozinha mais organizada na hora do preparo.

Uma dica de ouro: crianças e facas na cozinha não combinam! Além de mantê-las fora da cozinha durante o corte de ingredientes, atente também em armazenar suas facas longe do alcance delas.

E finalmente, um conselho. Quando uma faca cai seu instinto natural pode ser segurá-la. Para sua segurança, deixe-a cair! Nunca tente agarrá-la durante a queda.

Agora que você já conferiu algumas dicas para o uso das facas, que tal conhecer nossa seleção especial de facas e acessórios e escolher seus modelos preferidos?Facas Zwilling
Veja os modelos de facas da marca Zwilling

Facas Kyocera
Veja os modelos de facas da marca Kyocera

Dicas

A terapia das cores

terapia das cores

Cada uma das cores do espectro está associada a propriedades curativas específicas. Assim, ao usar diferentes cores do espectro na casa, pode-se desencadear mudanças para melhorar a saúde e o bem-estar de um modo geral. As cores afetam nosso humor, nossa interatividade e promovem sensações que vão da euforia a melancolia, em menor ou maior escala. Um ambiente todo em tons de vermelho pode ser estimulante demais, enquanto que alguns pontos da cor, combinados com outras, trazem a mesma sensação mas de maneira mais equilibrada.

As cores e suas propriedades

Vermelho
Energia. Afeta o coração aumentando a freqüência do pulso e os músculos, aumentando a tensão. Influencia a vitalidade e aumenta a temperatura corporal. Pode ser usado para desenvolver emoção e sensualidade. Traz calor, energia e estimulação, portanto, bom para energia, fadiga, resfriados e para pessoas com temperamento passivo. O vermelho energiza todos os órgãos e os sentidos. Produtos na cor vermelha
Azul
Calma. Estimula o sistema parassimpático, reduz a pressão sanguínea e acalma a respiração e a taxa de calor. Tem efeito antiinflamatório e relaxante muscular. Pode ser usado para desenvolver expressão pessoal, comunicação clara, confiança em falar, relaxamento mental e conhecimento. O azul  acalma emoções fortes como raiva, agressão ou histeria e é ótimo em ambientes que pedem relaxamento.produtos na cor zul

Verde
Equilibrar. Paz, amor e harmonia. É útil para acalmar o sistema nervoso, combate irritabilidade, insônia e pode ser usado para ajudar na recuperação de crises nervosas. É usado para redução de estresse. produtos na cor verde
Laranja
Prazer. Associado com engenhosidade, entusiasmo. sociabilidade, felicidade, sucesso, estimulação sexual. Pode beneficiar a confiança social, alegria, relacionamentos divertidos, interesses e atividades expandidas. Também pode ser útil para aliviar os desconfortos do sistema digestivo.produtos na cor laranja
Roxo
Fortalecimento. Promove a iluminação, a revelação, a paz, a limpeza e o despertar espiritual. Os profissionais de saúde holísticos usam violeta para acalmar os órgãos, relaxar os músculos e coagular o sistema nervoso. Muitas vezes usado terapeuticamente para melhorar a imunidade, artrite e aliviar dores de cabeça.produtos na cor roxa

Amarelo
Alegria. Claridade mental, inspiração, curiosidade estimulante e interesse. Ajuda a digestão e tem um efeito de limpeza. Estimula fortemente a felicidade, traz uma sensação de segurança, bem como um forte sentimento de bem-estar. Usado para aliviar a depressão, aumentar a auto-estima, o empoderamento e a confiança. Uma cor que não pode faltar em nenhuma casa.PRODUTOS NA COR AMARELA

Bolos e Tortas Café da manhã Dicas Receitas

Segredos do bolo perfeito

Segredos do bolo perfeito

Cozinheiros inexperientes podem ter um pouco de medo da confeitaria, mas quem nunca se aventurou em uma receita de bolo? Pode ser um bolo simples para acompanhar o café ou um elegante bolo para festa, seguindo algumas dicas básicas o sucesso é garantido.

Use uma boa receita

Para obter um bom resultado é importante seguir cuidadosamente uma boa receita. Um bolo sempre leva medidas exatas e por isso é importante que a receita tenha sido testada diversas vezes para garantir a precisão dos ingredientes e do tempo de cozimento.

Certifique-se de que os ingredientes estão na temperatura certa

A maioria das receitas exige que a gordura e os ovos estejam à temperatura ambiente. Manteiga e ovos gelados não emulsionaram adequadamente.

Se ambos estiverem em geladeira e sua vontade de bolo for grande demais para esperar, tem alguns truques. Leve a manteiga gelada ao microondas em intervalos baixos de 5 segundos, verificando sempre se ela já está em ponto de pomada (sem derreter). Para os ovos, basta colocá-los em um tigela com água morna por 10 a 15 minutos.

Seja preciso com pesos e ingredientes

Certifique-se de usar as medidas e ingredientes exatos como indicado na receita. Use colheres e xícaras medidoras para garantir a precisão.

Meça adequadamente a farinha
Coloque a farinha em xícara medidora, depois remova o excesso e alinhe com uma faca. Não aperte ou prense a farinha na xícara ou ela ficará compactada e você terá mais farinha do que pede a receita.

Unte!

Antes de começar o preparo do bolo, o primeiro passo é preparar a forma e em muitos casos será preciso untá-la e enfarinhá-la. Manteiga em ponto de pomada ou óleo com farinha, são alternativas. Seja qual for sua escolha, não abuse da gordura – ela deve ser colocada em uma camada fina e homogênea, de preferência com o auxílio de um pincel. Depois de finalizar a camada de gordura, polvilhe farinha peneirada e vá girando a forma até que a farinha cubra toda a superfície untada. Vire a forma de cabeça para baixo e dê uma leve batidinha para retirar o excesso de farinha.
Também é possível cobrir o fundo e as laterais da forma com papel manteiga, que funciona bem para garantir que o bolo desenforme perfeitamente. Neste caso, meça o fundo da forma e corte o papel manteiga. Unte a forma com manteiga, encaixe o papel manteiga no fundo e unte novamente com manteiga por cima do papel.

Pré-aqueça o forno

Outra coisa que você fará assim que começar o preparo da receita: pré aquecer o forno. Se você colocar um bolo em um forno que não está quente o suficiente, isso afetará a forma como ele cresce. Use a temperatura baixa (180ºC) por pelo menos 10 minutos.

Direto para o forno

O fermento começará a trabalhar assim que entrar em contato com qualquer um dos ingredientes úmidos. Então, para garantir que seu bolo cresça do jeito certo, assim que a mistura de bolo estiver pronta, coloque na forma e leve imediatamente ao forno pré aquecido.

Prefira a grade do meio do forno – nem muito perto da parte de baixo e nem encostando na de cima.

Quando o bolo estiver no forno, evite abrir a porta até que ele esteja assado. Sabemos que a tentação de abrir para conferir o resultado é grande, mas ao abrir a porta do forno durante o cozimento, você deixa que o ar frio entre, alterando a temperatura interna do forno. Espero pelos menos que o bolo esteja crescido e começando a dourar para abrir a porta.

Respeite o tempo de cozimento

Os fornos variam, por isso você deve ficar atento no final do tempo de cozimento. Quando o bolo já cresceu, está dourando e próximo dos minutos finais você pode checar se ele está pronto. A técnica para isso não poderia ser mais antiga e mais eficiente: o bom e velho palito. Abra o forno com cuidado (não precisa abrir totalmente a porta), espete um palito no centro do bolo e retire-o. Ele deve sair limpo – sinal de que seu bolo está perfeitamente assado.

Grand finale

Agora que o bolo está perfeitamente assado você não vai querer quebrá-lo justamente na hora de desenformar, certo? Ele deve estar pelo menos morno para que desenforme com perfeição. Para ajudar, passe com cuidado uma faquinha sem serra nas laterais da forma para desgrudar o bolo. Um prato de bolo é o lugar perfeito para servi-lo.

Pronto! Agora que os segredos foram revelados, que tal bater um bolinho? Confira nossa seleção de pâtisserie e uma receita infalível de bolo de laranja.

Bolo de laranja
BOLO DE LARANJA

4 ovos
2 xícaras (chá) de açúcar
1 xícara (chá) de óleo
suco de 2 laranjas
casca fina de 1 laranja pequena (sem pegar a parte branca)
2 xícaras (chá) de farinha de trigo peneirada
1 colher (sopa) de fermento em pó

Bata no liquidificador os ovos, o açúcar, o óleo, o suco e a casca da laranja.

Passe para uma tigela e acrescente a farinha de trigo e o fermento em pó.

Leve para assar em uma forma com furo central, untada e enfarinhada, por mais ou menos 30 minutos em forno médio.

Quando estiver morno, desenforme o bolo, faça furinhos com um palito ou garfo e regue com o suco de laranja.

Dicas Receitas Saladas

7 Molhos para Saladas

O sucesso de uma salada está na escolha dos ingredientes – quanto mais frescos e diversificados, mais refrescante, saborosa e nutritiva ela será. No entanto, vale lembrar que, além dos ingredientes, o pulo do gato para garantir saladas surpreendentes está na escolha do molho que vai temperá-la.

É claro que a fórmula mais conhecida (e rápida) funciona sempre: 1 medida de cítrico para 2 medidas de azeite extra virgem + sal + pimenta. Com ela você já tem uma salada bem temperada, é verdade, mas existe um vasto universo de variações que podem elevar o nível da sua saladinha e transformá-la em uma deliciosa entrada.

Antes das receitas, uma dica preciosa: que tal utilizar potinhos de vidro para preparar o molho da salada? A ideia não poderia ser mais prática – basta juntar no pote todos os ingredientes, fechá-lo, agitar bem e voilà! Molho homogêneo e emulsionado para usar na salada.
Gostou da dica? Então confira nossa seleção de potes 🙂Molho para saladas
Para os molhos, aqui vai um conselho: ouse! Misturas inusitadas podem render molhos dignos de chef e muitos elogios.

1. Vinagrete Básico
Misture 2 colheres de sopa de vinagre de vinho tinto, 2 colheres de sopa de mostarda dijon, 1/2 colher de chá de sal e pimenta a gosto e 1/3 xícara de azeite extra virgem.

2. Vinho Branco com Cebolas
Faça o vinagrete básico (nº 1), substituindo o vinagre de vinho tinto por vinagre de vinho branco e adicione 1 cebola pequena ralada.

3. Alho assado
Corte o topo de 1 cabeça de alho; chuvisque com azeite, envolva em papel alumínio e asse em forno médio por 35 minutos ou até ficar macio, 35 minutos. Em seguida esprema os dentes de alho assados e leve ao liquidificador com os ingredientes do vinagrete básico (n° 1) +  3 colheres de sopa de parmesão ralado. Bata bem até ficar homogêneo.

4. Mediterrâneo
Faça o vinagrete básico (nº 1) e misture 1/2 xícara de queijo feta em pedaços, 1 colher de sopa de salsa picada, 1 colher de chá de orégano seco e 1 tomate cereja em cubos. Misture bem.

5. Dijon
Misture 3 colheres de sopa de mostarda de dijon, 1/2 colher de chá de sal, pimenta a gosto e 1/2 xícara de azeite extra virgem.

6. Vegano
Misture no liquidificador 2 colheres de chá de mostarda dijon, 1 colher de chá de sal, 1/4 xícara de azeite e 1/2 xícara de tofu macio até ficar homogêneo. Adicione 1/2 xícara de cebolinha picada e salsinha a gosto.

7. Picante
Misture 2 colheres de chá mel, 2 colheres de chá de mostarda dijon, 2 colheres de sopa de suco de limão, 1/2 colher de chá de zestes de limão, sal, 1/4 de xícara de azeite extra virgem, 2 colheres de chá de tomilho fresco e 1/2 pimenta dedo de moça sem semente picada em cubos miúdos.

Na hora de servir a salada, se a quantidade for pequena vale a pena temperá-la direto na saladeira. Já saladas para muitas pessoas podem ser servidas em bowls individuais com o molho à parte, em uma molheira.

A maioria dos molhos podem ser feitos com antecedência, bastando apenas misturá-los novamente na hora de servir.

Molho para Saladas

Dicas

#Organização – Como conservar maquiagem

organizar maquiagem

Quem adora maquiagem nunca se contenta com pouco, certo? E aí vive aquele dilema: onde guardar e como conservar melhor os itens tão queridos?
Separamos algumas dicas para te ajudar na organização e conservação dos cosméticos.

A primeira coisa a fazer é separar os itens que você mais usa e mantê-los em uma necessaire. Além de poder levá-los com você, terá sempre a mão os produtos que mais usa na maquiagem do dia a dia. Já os produtos que não são usados constantemente devem ser organizados em nichos e guardados. Preste atenção nas dicas:

Nada de umidade!

Um lugar com umidade já tem a condição perfeita para a proliferação de fungos e ninguém quer fungos no seu kit de sombra, certo? Por isso, nada de deixar a maquiagem no banheiro ou em qualquer lugar mais úmido. O ideal é que elas estejam em um ambiente seco, fresco e longe da luz do sol. Um cantinho no guarda roupas ou no closet pode ser ideal.

Limpeza

A regra é clara: pincéis e esponjinhas precisam ser lavados regularmente – o ideal é que seja a cada 15 dias ou semanalmente,  se você usa muito. Na hora de lavá-los, use xampu ou sabão neutro ou mesmo produtos específicos para esse fim. E nem pense em guardá-los úmidos! Deixe secar ao sol ou em lugar arejado – também vale utilizar o secador morno para isso.

Tudo bem fechado

Para cosméticos cremosos e líquidos, lembre-se de fechá-los muito bem após o uso para evitar que ressequem. E não esqueça de limpar o excesso de líquido que se acumula no bocal, para que seja possível rosquear a tampa perfeitamente.

Organize!

Nada de ficar perdendo tempo procurando aquele batom! Organize toda a maguiagem junta, agrupada por tipos – isso facilita muito na hora do make. Use organizadores, cestas plásticas ou caixas de acrílico para guardá-los. Os pincéis devem ser guardados em estojo ou em recipiente com as cerdas para cima, para evitar que se deformem.

De olho na validade! Cosméticos vencidos podem ser um caminho livre para proliferação de microorganismos. Lembre-se que a funcionalidade e integridade dos produtos só são garantidas pelo fabricante até a sua data de validade. Se você descartar a embalagem onde consta a validade, lembre-se de colocar uma etiqueta no produto com a data.

organizar maquiagem organizar maquiagem organizar maquiagem
Quer manter o closet organizado? Confira AQUI uma seleção de itens indispensáveis.

Dicas Receitas Saladas

Salada no Pote

Salada no Pote

O Verão chegou com tudo e a estação calorosa pede uma alimentação mais leve, equilibrada e prática e a salada no pote preenche todos estes requisitos, além de ser uma delícia.
A ideia é simples: montar potinhos com saladas caprichadas e saborosas, armazenar em geladeira e ter sempre a mão uma refeição prontinha, que você ainda pode levar para onde quiser, transportando com segurança em uma bolsa térmica.

O segredo para conseguir conservar a salada no pote por mais tempo está na disposição das camadas de ingredientes, que podem variar de acordo com suas preferências e, para que fiquem equilibradas e nutritivas, podem incluir legumes, folhas, ervas, oleaginosas, grãos e proteína, além do molho.

Confira algumas dicas para preparar sua salada no pote:

A primeira coisa é se certificar de que o pote que será utilizado foi lavado e esteja completamente seco antes de iniciar a montagem – o excesso de umidade no pote fará com que as folhas murchem rapidamente. Também é preciso utilizar um pote com tampa, de preferência com bom fechamento hermético.

Higienize todos os ingredientes, corte o que for preciso e faça um mise en place para começar a montagem. Ingredientes como vegetais e folhas devem estar completamente secos antes de irem para o pote. Ingredientes que necessitem cozimento devem ser cozidos e incluídos no pote apenas quando atingirem a temperatura ambiente.

Para garantir que sua salada se conserve por mais tempo e esteja sempre saborosa, tenha em mente que itens como massas, grãos pesados (como grão de bico, feijão branco, etc), carboidratos, tubérculos e ingredientes mais “pesados” devem compôr as primeiras camadas do pote pois estarão em contato com o molho, que não deve estar próximo dos ingredientes mais leves, como hortaliças.

Para o molho:
Você pode incluir o molho de sua preferência, certificando-se que haja uma quantidade razoável para temperar todos os ingredientes do pote. Uma boa sugestão é composta de 1 medida de limão (ou vinagre balsâmico) para 2 medidas de azeite extra virgem. Não esqueça de temperar com  sal e pimenta.

As camadas do meio podem incluir itens com mais umidade como cenoura ralada, abobrinha, tomates cereja, ervilha, milho, frutas e proteínas.

Nas últimas camadas entram os ingredientes como grãos mais leves e sementes (quinoa, gergelim, linhaça, etc), castanhas (amêndoas laminadas, nozes ligeiramente trituradas), hortaliças e ervas frescas.

Lembre-se de não preencher o pote até o topo porque é preciso um pouco de espaço para que você possa agitar a salada e misturar tudo de um jeito bem prático. Se o pote estiver cheio demais os ingredientes não vão se misturar com o molho de forma homogênea.

Agora que você já sabe as dicas, inspire-se e prepare suas receitas favoritas de salada no pote!Salada no POte Salada no pote Salada no pote
Clique aqui para conferir uma seleção de potes.

Dicas

Salada de chef em 7 passos

Se você é do time que não dá muita importância para a salada e acha difícil reproduzir em casa aquelas versões incríveis do restaurante, aqui vão algumas dicas que podem transformar sua salada do dia a dia em pratos especiais e, por que não, únicos para dias de verão.

1. Capriche no molho
Você ficaria surpreso com a rapidez com que um molho para salada pode ser feito, sem nenhuma complicação. Ingredientes frescos dão ao molho sabor extra, você terá dificuldade em encontrar em uma versão pronta. A proporção clássica para o vinagrete caseiro é de três partes de óleo para uma parte de vinagre. No entanto, você pode inclinar-se mais para dois para um se você gosta de seus molhos um pouco mais ácidos. Uma vez que você conhece a relação, pode misturar e combinar com muitos ingredientes, como por exemplo bater com mostarda para um molho emulsionado, adicionar flocos de pimenta, ervas – as possibilidades são infinitas.salada
2. Tempere as folhas
Folhas frescas brilham com um pouco de sal e pimenta. Às vezes o mais simples é o mais gostoso.

3. Misture
A mistura de verduras em uma salada também a eleva. Hoje em dia, você pode encontrar diversas opções para saladas já misturadas e higienizadas. No entanto, é simples fazer você mesmo. Mantenha a textura e o sabor em mente quando você mistura. Alface americana é mais crocantes do que espinafre ou rúcula, portanto combiná-los traz o equilíbrio perfeito. Agrião e rúcula adicionam uma mordida de pimenta em comparação com alface simples, que é mais suave no sabor. As combinações são muitas e explorar esses sabores e texturas já é um grande passo para uma salada perfeita.

salada
4. Adicione ervas
As saladas são o lugar perfeito para usar todas as ervas que você tem na sua geladeira – coentro ou salsa frescos transformam qualquer salada! Misture o coentro em uma vinagrete refrescante, manjericão em uma salada de tomate e mussarela e hortelã com salada de queijo feta e azeitonas. Teste as opções e encontre seus sabores favoritos.

5. Pense além da folha
Aposto que o primeiro ingrediente que aparece em sua mente quando você ouve a palavra “salada” é algum tipo de alface, mas nem sempre eles não precisam ser a estrela. Há um mundo de possibilidades para saladas além da alface. Experimente uma combinação de outros vegetais, frutas frescas e secas, nozes, grãos cozidos e pão.salada
6. Tamanho perfeito
Uma salada torna-se instantaneamente melhor quando é fácil de comer. Sim, demora mais alguns minutos para preparar ingredientes em pedaços de tamanho médio, mas você vai agradecer mais tarde, quando tudo se encaixar perfeitamente em seu garfo. Além disso, pedaços menores significam que você pode pegar mais ingredientes em seu garfo ao mesmo tempo, tornando cada mordida mais interessante.

7. Garanta o frescor
Se a intenção é preparar salada para várias refeições higienize tudo, seque muito bem com uma centrífuga e armazene em potes na geladeira. O molho também pode ser preparado com antecedência e servido à parte, em uma molheira. A salada ganha vida em uma bonita saladeira – afinal, os olhos desfrutam primeiro! salada

Dicas

As minhas receitas de bacalhau

A inspiração que o bacalhau proporciona aos portugueses será compartilhada com os brasileiros em As minhas receitas de bacalhau: 500 receitas, escrito pelo chef Vítor Sobral. Lançado pela Editora Senac São Paulo, a publicação transpõe a magia que envolve o peixe preferido de Portugal. Além das 500 receitas, conta a história do pescado, descreve a variedade da espécie e discute a pesca sustentável.

O livro inicia-se pela história da primeira comercialização de bacalhau que inaugurou a indústria de transformação na Noruega. O autor detalha como a pesca é realizada de maneira sustentável, preservando os recursos naturais.

O bacalhau da Noruega, rico em vitamina D e em proteínas, chega a Portugal de diferentes formas: inteiro e salgado, verde e inteiro, salgado e seco.

Em Portugal foi considerado por muitos anos como um alimento barato. Depois da Segunda Guerra, o preço do bacalhau aumentou devido à escassez de alimentos em toda Europa, restringindo o consumo popular.

A escolha do bacalhau

O livro chama a atenção para a importância na escolha do autêntico bacalhau da Noruega, comercializado como de primeira ou segunda categoria. O chef ressalta que a qualidade influencia diretamente no resultado da refeição e explicaquais são os sabores dos diferentes tipos de bacalhau: fresco, skrel, salgado verde, semisseco, salgado seco. Os tipos de cortes e a melhor forma de preparo também são abordados.

Receitas

Vitor ensina que as receitas-base, como caldo de bacalhau, azeite de manjericão, tomatada são importantes para o preparo do prato final. No capítulo dedicado a sopas, cremes e canjas, o autor apresenta uma gama de opções, tais como sopa seca de bacalhau com grão-de-bico.

Na sequência, receitas de saladas & petiscos; receitas de família. As receitas do autor completam o conteúdo, proporcionado ao leitor a experiência de preparar, cozinhar, saborear a variedade de refeições que Vitor Sobral testou ao longo de anos de trabalho.

Sobre o autor:

Vitor Sobral é uma grande referência na gastronomia portuguesa. Conhecido por sua forma única de interpretar e modernizar pratos tradicionais. É um mestre em conservar temperos e sabores tipicamente lusitanos. Nascido em 1967, na margem sul do rio Tejo, enraizou sua matriz de sabores nos paladares de alentejano. Hoje é proprietário do Tasca da Esquina e Cervejaria da Esquina, em Lisboa, onde Portugal é servido à mesa com dose generosa de inovação e inspiração. A sua Tasca da Esquina faz a ponte com o Brasil, tendo portas abertas em São Paulo, e recentemente em Luanda.

Clique aqui para adquirir o livro na Utilplast.