Arquivo do Mês

novembro 2017

Dicas

Aposte na marinada

Começou a época dos assados e com ela o velho dilema: como preparar assados suculentos e macios?
Uma boa maneira de evitar assados ressecados e ainda adicionar sabor e umidade a uma ave grande, como o peru por exemplo, é lançar mão de uma boa marinada.
A marinada penetra melhor na carme do que um tempero seco, traz uma camada de umidade que ajuda a prevenir o ressecamento e ainda ajuda a produzir uma superfície dourada e saborosa.

Das mais básicas às mais temperadas, as marinadas dão vida aos assados e são simples de preparar. Aqui algumas receitas que com certeza garantirão o sucesso do Peru de Natal, mas antes disso algumas dicas valiosas:

Se a receita de marinada requer que você aqueça os ingredientes, certifique-se de deixá-la em temperatura ambiente antes de temperar a ave.

  • Prepare a marinada com horas de antecedência para que ela possa desenvolver seu sabor por completo.
  • Mantenha a carne marinada coberta e na geladeira.
  • Use um recipiente grande com bom fechamento ou um saco para marinar que seja grande o suficiente para posicionar o alimento em uma única camada – isso facilita na hora de virar a marinada.
  • Use ¼ a ½ xícara de marinada por cada 1 a 2 quilos de carne.
  • Em geral carnes ficam bem marinadas entre 2 a 8 horas. Quanto mais tempo você marinar, mais forte será o sabor.

Marinada Básica
1 1/2 xícaras / 360 ml de azeite
1/2 xícara / 120 mL de água
1/2 xícara / 120 mL de suco de limão
1/2 xícara / 120 ml de vinagre branco
1/2 xícara / 120 ml de molho inglês
1/4 de xícara / vinagre balsâmico
1 colher de sopa / 15 mL de orégano seco
1 colher de sopa / 15 mL de sal
1 colher de sopa / 15 mL de pimenta preta

Misture bem todos os ingredientes e adicione ao peru.
Esta receita é suficiente para uma ave grande.

Marinada Lemon Pepper
Esta receita de marinada leve e fácil usa o poder do suco de limão como o ácido para ajudar a dar sabor ao peru.

1/3 xícara de suco de limão
1/4 xícara de azeite ou outro óleo vegetal
1/2 colher de chá de pimenta preta
2 colheres de sopa de água
2 colheres de chá de endro (fresco e grosseiramente picado)
1 colher de chá de sal
1 dente de alho (amassado)

Adicione o suco de limão à tigela e bata lentamente com o azeite até ficar bem misturado. Adicione os ingredientes restantes e continue a bater por alguns segundos. Deixe a mistura repousar durante 10 minutos antes de usar.

Marine o peru nessa mistura por 6 a 8 horas.

Se estiver fazendo a marinada com antecedência, guarde em um recipiente fechado na geladeira até 3 dias antes da preparação.

Marinada Mostarde e Mel

2/3 xícara / 160 mL de azeite
1/4 xícara / 60 mL de suco de limão
1/4 xícara / 60 ml de mel
1/4 xícara / 60 mL de mostarda dijon
2 colheres (sopa) de mostarda em grão
2 dentes de alho (amassados)

Misture todos os ingredientes e bata até ficar homogêneo. Use na marinada, esfregando-a em toda a superfície da ave.

Marinada Chinesa
Se você deseja adicionar sabores chineses a qualquer coisa que esteja assando, então esta é uma excelente marinada. Faça-a um dia antes para tirar o máximo proveito dos sabores. É perfeita para carne e aves.

2/3 xícara de cebolinhas (picadas)
1/4 xícara de molho de soja
1/4 xícara de vinagre de Jerez
2 colheres de sopa de gengibre (fresco e ralado fino)
2 colheres de sopa de óleo de gergelim
2 colheres de chá de pó de 5 especiarias chinesas  (comprado pronto, vendido em mercearias orientais)

Combine todos os ingredientes, misture bem e use na marinada.

Dicas

Tomates sem pele e sem mistério

A pele do tomate, quando cozida lentamente em líquido ou molho, tende a se separar da polpa macia. Isso pode criar uma textura fibrosa e pouco atraente em um molho por exemplo. Por isso, são várias as receitas que levam tomates sem peles e sem sementes em seus ingredientes, o que garante molhos mais equilibrados e resultado final mais atraente.
Como nem sempre há uma lata de tomate pelado à mão, destacamos dois métodos super simples de tirar a pele dos tomates. 
Na chama do fogão
Usar a chama do fogão é uma maneira rápida de tirar a pele de um tomate, mas não é a melhor opção quando você precisa fazer isso em grandes quantidades.Tudo que você precisa é de um fogão a gás e um garfo.
Remova os caules dos tomates. Lave-os, enxague e seque. Espete o garfo no tomate na parte superior, onde o núcleo do caule é visível.
Acenda a chama do fogão alta/média. Segure pelo garfo e aproxime o tomate pertinho da chama. Vá girando lentamente, até que a pele comece a se separar e a enrolar. Deve demorar cerca de 30 segundos para que a pele se separe em todo o tomate. Não deixe o tomate sobre a chama por muito tempo ou começará a cozinhá-lo.
Coloque o tomate em uma superfície lisa e deixe esfriar o suficiente para que você possa tocá-lo confortavelmente. Comece a descascar a pele onde ela se separa, por todo o tomate até que toda a pele seja removida.


Em água fervente
O método da água fervente é muito útil para quando você tem uma grande quantidade de tomates para descascar. Você pode fazer o processo com 5 ou 6 tomates a cada vez, dependendo do tamanho deles e da panela que estiver usando.
Leve uma panela com água ao fogo até ferver. Coloque uma tigela de água gelada, ou com cubos de gelo, ao lado do fogão. Lave e remova as hastes dos tomates.
Usando uma faca afiada, corte um X raso no fundo do tomate (oposto ao lado da haste).
Coloque suavemente os tomates na água fervente.
Ferva os tomates até ver o X começar a se abrir, ou por 25 segundos, o que ocorrer primeiro. Não ferva por mais de 25-30 segundos ou eles começarão a cozinhar.
Retire os tomates imediatamente da água fervente. Coloque os tomates diretamente na tigela de água gelada e deixe esfriar. Isso ajudará a frear o processo de cozimento que possa ter começado e agilizará a retirada das peles.
Remova os tomates da água gelada. Comece a descascar a pele no X, puxando-a gentilmente.

Atenção: Não deve sair muita polpa do tomate com a pele. Se estiver saindo muito, significa que você cozinhou um pouco demais. Tente cozinhar por um período mais curto na próxima rodada.

Descarte a pele e continue com a sua receita.
Para retirar as sementes, parta o tomate ao meio e retire-as com a ajuda de uma colher de café.
Nossas Marcas

Um ícone da cozinha

A história da desejada marca KitchenAid começa quando Herbert Johnson, engenheiro da Hobart Corporation, observou o trabalho duro de um padeiro. Johnson o observou misturando seu pão à mão e decidiu que deveria haver uma maneira melhor. Ele começou a desenvolver um mixer automático e, em 1914, lançou o H5 industrial de 60 quartos. O H5 eventualmente abriu caminho para cada cozinha de navio na Marinha dos EUA.
A origem de um nome marcante

Em 1920 a empresa lançou a primeira versão do consumidor: um modelo de 10 litros que também foi o primeiro “KitchenAid”. Conta a história que a esposa de um dos executivos da empresa levou o misturador sem nome para testá-lo e voltou dizendo: “Não me importo como você o chama, tudo o que sei é que é a melhor ajuda de cozinha que já tive “. Nascia então a KitchenAid.

O misturador foi inicialmente comercializado para donas de casa de fazendas e vendido principalmente em lojas de ferragens. A KitchenAid finalmente construiu uma força de vendas feminina de porta a porta, mas o preço de US $ 200 (alto para a época) fez do mixer uma venda difícil que perdia mercado para opções mais baratas. Durante a próxima década, a empresa apresentou algumas versões atualizadas: cada vez menores e mais leves, mas não mais baratas.

A frente de seu tempo

Artista, designer e “humanista industrial”de renome mundial, Egmont Arens foi contratado para projetar um mixer de baixo custo. Arens era o Editor de Arte da Vanity Fair e bem conhecido por seu design de produtos e embalagens, sempre centrado no consumidor. Sua especialidade era projetar produtos que vendessem bem, desde uma jukebox até um isqueiro ou um carrinho de bebê. Sua lista de clientes incluiu G.E., Fairchild Aircraft e a General American Transportation Company. Ele também era um mestre em transformar dispositivos práticos em obras de arte.

O sucesso

Arens efetivamente transformou KitchenAid em um mixer tão bonito quanto irresistível, e o modelo K foi lançado em 1937 e fez um enorme sucesso. Seu misturador elegante e modernista estava muito à frente de seu tempo e definiu o padrão de design ainda empregado pela KitchenAid 80 anos depois. Até hoje, todos os componentes da batedeira KitchenAid são compatíveis com o hub de fixação frontal de cada mixer feito desde 1937.

O design clássico mudou pouco em 80 anos, com exceção da introdução da cor em 1955. A batedeira, já irresistível, tornou-se rapidamente um clássico já que a introdução das cores levava vantagem estética da KitchenAid sobre os concorrentes. A marca continua a apresentar novas cores e versões, mantendo design clássico.

Muito apreciada por chefs e celebridades, como Julia Child e Martha Stewart, KitchenAid passou a ser considerado um ítem must-have em todas as cozinhas modernas. Em 1997, o MOMA – Museu de Arte Moderna de Nova York escolheu a batedeira KitchenAid como um ícone do design americano.

Você pode conferir toda a linha da marca KitchenAid na Utilplast. Clique aqui para ver a linha completa.

Dicas

Lembranças de Verão

Os preparativos para as férias de verão já começaram? Planejando aquela viagem incrível que você vai querer lembrar pra sempre? Além das fotos, pequenos souvenirs e lembranças também criam essas memórias e podem ser expostos com muito charme.
Inspire-se nestes projetos e crie você também uma charmosa coleção de souvenirs de viagem que não ficarão perdidos em armários e gavetas e que, além de serem decorativos, trazem personalidade ao ambiente.

Conchas, pedras e areia do paraíso

Que tal capturar um pouco daquele lugar mágico? Conchas, areia e pedras podem se transformar em incríveis potes de memórias.
Tudo que você precisa são pequenos frascos, potes, etiquetas, fotos e imaginação!

Dicas

Dicionário de cozinha: Mirepoix

Mirepoix é o termo culinário francês para uma combinação de cenouras, cebolas e salsão cortados em cubos, salteados com manteiga e utilizados como base aromática para molhos, sopas e guisados. Não se engane com ingredientes tão singelos – mesmo uma pequena quantidade de mirepoix pode contribuir significativamente para o sabor final de um prato.

A receita padrão de mirepoix leva duas partes de cebola para uma parte de salsão e uma de cenoura. Se o mirepoix estiver sendo usado em um molho branco ou muito leve, alho-poró pode ser usado ​​no lugar das cenouras para formar o componente adocicado do trio, porém mantendo uma tonalidade mais neutra.

Dicas para fazer um Mirepoix

É importante cortar os vegetais tão uniformemente quanto possível para assegurar que cozinhem por igual. O tamanho dos cubos pode variar de acordo com o tempo total de cozimento do prato para o qual se destina. Quanto menor o tempo de cozimento, menor deve ser o corte do vegetal.
Comece com as cebolas e cenouras primeiro e cozinhe até ficarem levemente caramelizadas. Em seguida, acrescente o aipo. Se desejar, inclua uma pequena quantidade de extrato de tomate e cozinhe até que toda a mistura desenvolva uma cor marrom. O mirepoix está pronto para ser utilizado em qualquer receita!

Variações que você pode experimentar

O pouco tempo investido para produzir essa base de vegetais aromáticos em seus pratos faz uma grande diferença na profundidade total de sabor. É por isso que praticamente todas as culinárias têm alguma variação do mirepoix francês. Aqui estão algumas que podem trazer sabores extras a diversos pratos e são absolutamente fáceis de fazer:

Cajun: A trindade Cajun substitui a cenoura pela pimenta verde e é usada para dar mais sabor a pratos como gumbos e etouffees.
Italiano: Os italianos têm uma combinação similar chamada “soffritto”. Eles substituem a manteiga pelo azeite e muitas vezes adicionam alho e pancetta ou prosciutto à mistura.
Espanhol: Um “sofrito” espanhol consiste em cebolas, tomates, alho e salsa cozidos em azeite.
Indiano: Pratos indianos começam com uma combinação de cebola, alho, gengibre e uma variedade de pimenta.
Tailandês: Na Tailândia as pastas de curry começam com uma combinação de ervas, chalotas e chiles.

História ou lenda?

Perto da fronteira do sul da França há uma pequena cidade chamada Mirepoix. No século 18 nesta cidade vivia Gaston Pierre de Lévis, um homem bastante comum, também conhecido como o Duque de Mirepoix e um cozinheiro qualificado, e de nome desconhecido, que trabalhava para ele. Enquanto alguns historiadores tem certeza de que o chef do duque não inventou a mistura aromática, sabe-se que ele era bastante adepto ao seu uso. Supõe-se que ele seja mesmo o responsável por torná-la popular.
Como a história diz, o Duque em sua grande ordenança precisava deixar um legado, mas não tinha nada próprio para fornecer. Então ele fez uma coisa esperta: nomeou o trio de alimentos com o seu nome. Até hoje o nome da mistura permanece, enquanto seu chef de cozinha – e inventor – continua desconhecido.

Dicas

Para se fartar em São Paulo

Se há um item no cardápio de ofertas de São Paulo considerado unanimidade nacional é a Gastronomia. As mais variadas receitas e temperos do mundo inteiro se encontram na cidade, que possui cerca de 12,5 mil restaurantes, com 52 nacionalidades, etnias e regionalidades, representando as mais diversas tendências da cozinha brasileira e internacionais. Para se ter uma ideia, a metrópole abriga 600 restaurantes japoneses, 3,2 mil padarias, 6 mil pizzarias, 500 churrascarias e 15 mil bares. Aqui são feitos diariamente 10,4 milhões de pãezinhos (ou 7,2 mil por minuto), um milhão de pizzas (720/min) e 400 mil sushis (278/min).

Com números tão expressivos, fica difícil decidir onde comer em São Paulo. Para quem está cansado de comprar guias que só falam dos mesmos restaurantes badalados de São Paulo, André Barcinski elaborou o ‘Guia da culinária ogra – 195 lugares para comer até cair’. Com textos informativos e muito bem-humorados, ele revela que todas as regiões da cidade de São Paulo têm seus tesouros da “culinária ogra”: aquela em que os garçons são velhos e feios, e não modelos aspirantes a celebridade, ou em que a comida ocupa ao menos 85% da área do prato.

O livro é dividido nas categorias PF e Almoço, Carnes, Pizzarias e Italianos, Japoneses e Coreanos, Chineses, Nordestinos, Árabes e Similares, Lanches e Salgados, Petiscos e Étnicos e Variados. De forma bem humorada, André conta quais são os principais pratos dos lugares citados, além do endereço e outras características. Agora todos os paulistanos ou turistas, de todas as idades, poderão explorar a tão falada gastronomia da cidade de São Paulo de uma maneira diferente e inusitada.

Acontece

Nosso Instagram

Com três endereços físicos na cidade de São Paulo, a rotina de nossas lojas é agitada. Todos os dias recebemos produtos novos, lançamentos e coleções que chegam de todos os lugares do mundo direto para nossas prateleiras. Sabe aquela espátula que é sucesso no programa de tv da chef famosa? O novo modelo de batedeira que é frisson nas redes sociais? As cestas que são hit entre as personal organizers? Com certeza está tudo em nossas lojas.

Para acompanhar tudo que acontece no mundo Utilplast nosso perfil no Instagram está sempre atualizado. Mudou a vitrine? Tem post novo na timeline. Tem evento rolando? Nosso Stories mostra tudo. E tem as promoções, as inspirações que nossa equipe produz – e que são sucesso absoluto nas lojas físicas – as dicas dos clientes, as demonstrações que acontecem nas lojas, vídeos ao vivo passeando pelas lojas e mostrando o incrível mix de produtos, tudo isso acontece em nosso perfil e muito mais.

Então, nossa dica é: siga-nos e fique por dentro de tudo que acontece na loja de utensílios queridinha de São Paulo!
E para conferir nosso mix de produtos, nossa loja online é rápida, prática e segura e despacha para todo Brasil.

 

Você sabia?
A Utilplast é uma das mais tradicionais lojas de utensílios para a casa da cidade de São Paulo, com 45 anos de história.