Arquivo do Mês

junho 2017

Lançamentos

Facas Le Creuset

Quando se trata de utensílios de cozinha, não há dúvidas que a marca Le Creuset é padrão de qualidade. Todo mundo já tem sua cor preferida de Le Creuset e quem cozinha sempre quer ter uma panela da marca em seu fogão. Agora, além das cobiçadas panelas de ferro, a marca de utensílios de cozinha preferida dos cozinheiros expandiu recentemente sua coleção para incluir uma variedade de facas de cozinha Le Creuset deslumbrantes. Sem dúvida, uma nova adição absolutamente fabulosa para a família Le Creuset.

As facas chegam ao mercado brasileiro no verdadeiro estilo Le Creuset – são feitas com os melhores materiais e esbanjam elegância. As lâminas são feitas de 64 camadas de aço Damasco dobradas em torno de um núcleo de aço VG-10 e mantêm uma borda finamente afiada que permite que você realize qualquer tarefa de cozinha com facilidade. As alças são praticamente uma obra de arte e são criadas a partir de uma bela e durável madeira de oliveira italiana. A melhor parte de usar essa madeira para as alças, além da grande durabilidade, é que significa que nenhuma alça é igual a outra – cada manipulação tem um aspecto único.

Há também a opção de alça de aço inoxidável, que usa uma liga de aço inoxidável premium de alto carbono.

Ficou com vontade de ampliar sua coleção Le Creuset? Então clique aqui para conferir toda a linha e aproveite os preços especiais de lançamento.

Dicas

Horta em casa

Muitos cozinheiros adoram a conveniência de ervas frescas em casa – quem não gostaria de ter sempre manjericão fresco à mão para preparar um bom pesto? Pensando nisso,  o que poderia ser mais prático que um jardim de ervas? Mesmo quem mora em um apartamento pequeno  sem qualquer espaço ao ar livre pode cultivar ervas dentro de casa. O lugar ideal para uma horta caseira é a cozinha, onde você pode cortar ervas frescas enquanto cozinha e tirar o maior proveito de sua aromas e sabores. Porém, se você não tem um lugar na sua cozinha ainda pode cultivar ervas em qualquer cômodo ensolarado.
As ervas são relativamente fáceis de crescer dentro de casa e são uma ótima maneira de não apenas gerar seus próprios temperos saborosos, mas também começar a construir um estilo de vida mais sustentável e focado na saúde. Há algo quase mágico em observar o ciclo de vida das plantas cultivadas em casa – você acaba prestando mais atenção à sua alimentação e ao que vai dentro do seu prato.

Encontre o melhor local

Para crescer bem dentro de casa as ervas precisam de tanta luz natural quanto possível. Coloque-os em um local ensolarado perto de uma janela onde eles terão pelo menos 4 horas de sol por dia.

Escolha o que vai cultivar

Obviamente, você vai querer escolher ervas que usa comumente. Se você é amante de massas, a salsa, o orégano e o manjericão são boas escolhas. Se você gosta de cozinhar com aves, vai gostar de ter alecrim e tomilho por perto. Há também cebolinha, sálvia, hortelã e muitos outras que vão bem, tanto em receita, quanto no preparo de chás.

Dê uma boa drenagem às ervas

Seja qual for sua escolha, as ervas aromáticas tem necessidade de regas constantes e, ainda que você não tenha tempo, pode contar com a linha Plantar de vasos autoirrigáveis <OU>. Eles possuem um sistema simples de irrigação por cordões condutores. Você coloca a água no recipiente, fecha e o sistema trabalha sozinho para irrigar suas ervas. Além disso, o sistema é totalmente anti dengue, uma vez que a água fica em compartimento fechado e não exposta aos mosquitos.

Veja como é fácil:

Hora de colher

Colher regularmente ervas aromáticas não só deixa os pratos mais perfumados e gostosos, como também ajuda a manter as plantas produtivas e saudáveis. Para saber a melhor forma de colher, observe como elas crescem.

As plantas aromáticas, no geral, crescem de duas maneiras: ou produzem folhas ao longo do caule (tomilho, hortelã, poejo, louro) ou lançam folhas/caules a partir de uma base ou coroa (cebolinho, salsa, coentros).

As plantas que produzem folhas ao longo do caule deverão ser colhidas cortando apenas a folha e não o caule. As plantas de coroa deverão ser cortadas pela base utilizando uma tesoura ou faca – tal como uma poda em pequena escala. Desta forma a plantas produzirão mais e durarão mais tempo.

Também é importante saber qual a melhor altura para colher: no caso de folhas suculentas, como o manjericão, colha antes de se terem formado flores, pois uma vez iniciado este processo, toda a energia da planta se concentrará em produzir flores e sementes, tornando as folhas duras e amargas.
(fonte: Cidade das Hortas)


Então, que tal começar agora mesmo sua hortinha em casa?

Caldos e Cremes Receitas Sopas

Sopa de espinafre e brócolis

O inverno chega e a gente só pensa em comidas quentinhas e aconchegantes, e nesse quesito uma boa sopa é imbatível!
A palavra sopa tem a sua origem semântica no sânscrito sû (significa: bem) e em pô (significa: alimentar), ou seja, sopa significa “bem alimentar” . O consumo de sopa remonta à pré-história, existem registros que consideram a sopa como o prato mais antigo do mundo, anterior à descoberta do fogo (1,6 milhões de anos). A sopa é um alimento atemporal, atravessou séculos e civilizações, mantendo-se nos nossos dias com uma enorme importância social e nutricional. Os Portugueses têm, tradicionalmente, uma relação muito próxima com a sopa por se tratar de um legado cultural e gastronômico. Como prova disso, Portugal é o maior consumidor de sopa da Europa e segundo maior consumidor mundial, atrás somente da China e do Vietnã.

Então, que tal aproveitar a estação e fazer como os portugueses? Essa receita com espinafre e brócolis é fácil e super nutritiva.

INGREDIENTES

rende 4 porções

1 colher de sopa de azeite
1 cebola grande, picada
2 dentes de alho esmagados
500g de batatas descascadas, picadas
530g de brócolis, cortados em floretes
1 litro de caldo de frango ou legumes
1 maço pequeno de espinafre, desfolhado

MODO DE PREPARO

Aqueça o óleo em uma panela grande em fogo médio/alto. Adicione a cebola e o alho. Cozinhe mexendo por 3 minutos ou até a cebola começar a ficar transparente. Adicione o brócolis e as batatas. Cozinhe por 5 minutos.

Adicione o caldo. Tempere com sal e pimenta. Tampe, reduza o fogo para médio-baixo e cozinhe por 15 a 20 minutos ou até que a batata esteja macia. Adicione os espinafres nos últimos 2 minutos de cozimento. Retire do fogo, deixe esfriar por 5 minutos e bata no liquidificador ou use um mixer.

Quando estiver um creme homogêneo, volte para a panela em fogo baixo. Cozinhe, mexendo, durante 2 minutos ou até aquecer e está pronto para servir.

Na hora de servir uma sugestão é adicionar gorgonzola em pedaços pequenos e croutons.

Tendências

Fibras Naturais

O uso doméstico das fibras naturais é uma tendência que veio para ficar. Tanto na decoração quanto nos utensílios, as fibras deixaram de ser algo rústico utilizado apenas em fazendas e casas de campo ou praia e ganharam também o cenário urbano, trazendo a inspiração da natureza para os ambientes internos. Por ser um recurso sustentável, as fibras tem apelo ecológico pois são renováveis, biodegradáveis ​​e neutras em carbono e podem ser usadas ​​sem esgotar ou danificar o meio ambiente. Além disso, algodão, lã, seda e outras fibras de plantas são confortáveis ​​de usar e trazem sensação de aconchego aos ambientes.

Alinhas com essa tendência, a Utilplast tem investido cada vez mais em marcas com responsabilidade ecológica e em ítens que trazem conforto e excelente custo/benefício para seus clientes. Marcas como a Welf, com ítens confeccionados com a mais alta tecnologia em fibras de bambu, se somam ao incrível mix de produtos disponíveis em todas as lojas Utilplast, como versáteis cestas em fibras naturais que podem ser utilizados na casa toda, trazendo organização e charme.

Cestas de fibras podem ser espalhadas pelos ambientes e  não precisam combinar em tamanho, cor ou forma. O maior atrativo das cestas, principalmente as artesanais, é que eles não são apenas uma maneira de adicionar um bonito elemento natural em sua casa, elas também são versáteis como recipientes de armazenamento para manter organizados todos os tipos de objetos. Pequenas cestas com tampas são perfeitas para manter controles remotos, esconder brinquedos pequenos e organizar outros tantos ítens. Cestas de diferentes tamanhos colocadas em um canto adicionam um aspecto chique que pode passar do clássico ao contemporâneo e combinar com diversos estilos. Use cestas de tamanhos diferentes para adicionar espaço de armazenamento extra na sala de estar e nos quartos.

Além das cestas, objetos e utensílios em bambu, vime, algodão, ráfia e juta também trazem a natureza para perto e podem ser utilizados para contrapor estilos. Vale misturar e compôr de diversas maneiras – quem disse que talheres em bambu não podem ser utilizados com taças de cristal? Aposte nesta tendência!





Você Sabia?

As fibras naturais têm sido usadas desde o início da civilização. Durante milhares de anos, elas foram essenciais para isolar-nos contra o clima quente e frio, proteger nossos alimentos e até mesmo decorar o nosso ambiente. Elas foram utilizadas em roupas, habitação, tapetes e cestas para armazenar e transportar alimentos.

Até os últimos 100 anos, as únicas fibras usadas pela humanidade eram fibras naturais. A primeira fibra artificial foi descoberta em 1865, mas ganharam projeção comercial apenas em 1931, com o nylon.

Dicas

Gostosa tradição

As Festas Juninas hoje são uma das maiores comemorações brasileiras e se adaptaram ao longo de anos de história e influências de uma grande mistura de culturas. É a festa que tem a cara do Brasil e, mesmo ao ongo dos anos, mantém sua essência. As brincadeiras como a pescaria, a quadrilha com casamento caipira, os jogos e músicas como o forró; as comidas e bebidas típicas como o milho, o amendoim, a paçoca e o pé de moleque são tradições que continuam fortes e presentes em todas as festas juninas espalhadas pelo país.

Quer entrar no clima e organizar um arraiá tipicamente junino? Siga as dicas e boa festa!

1. Planejamento

Escolher a data e horário e determinar a quantidade máxima de participantes é o primeiro passo para organizar sua festa. Lembre-se que para cada faixa etária e perfil de seus convidados, diferentes horários serão mais atrativos. Com base no número de convidados, é possível escolher o local mais apropriado para a festa e a quantidade de comida e bebida. Com essas informações também é possível definir uma estimativa de orçamento, levando em conta não só o orçamento das comidas e bebidas, mas também da decoração da festa – ítem importantíssimo para produzir um verdadeiro arraiá.

2. Música

Não existe uma boa festa sem música! Nas festas juninas as atrações são o forró e as canções juninas para quadrilha. Invista em uma playlist com o tema, um DJ ou, se for para arrasar mesmo, contrate um trio de sanfonzeiros e forrozeiros. Sucesso garantido!

3. Comes e Bebes

Uma das características mais marcantes em festas juninas é o cardápio: abuse dos pratos típicos! Monte um cardápio variado e aproveite os alimentos da época, como o milho. Como o mês de junho é a época da colheita do cereal, muitos alimentos são feitos com ele. Nesse tipo de festa a ideia é petiscar – disponibilize saquinhos de papel ou pratinhos para que as pessoas se sirvam e possam circular pela festa e prefira servir os ítens do cardápio em porções individuais ou já porcionadas. Se estiver servindo um bolo de milho por exemplo, deixe-o já cortado. Nos doces, como canjica, sirva em pequenas xícaras ou canequinhas.

Outras sugestões:

Amendoim torrado;
Cachorro-quente;
Broa de fubá;
Pipoca doce e salgada;
Arroz doce;
Bolo (de milho, fubá, amendoim);
Canjica;
Maçã do amor;
Milho verde;
Pamonha;
Paçoca;
Pinhão;
Pé de moleque;
Pratos regionais, como cuscuz, tapioca;
Quentão;
Vinho quente,
Sucos e refrigerantes.

4. Decoração

Esse tipo de festa pede uma decoração característica e rural, então capriche nos adereços da época! Tecidos feitos com retalhos, chita, bandeirinhas, xadrez, chapéus de palha (que podem ser utilizados para servir pipocas e doces por exemplo), tags de bandeirinhas para a mesa de comida, fitinhas de cetim, imagens dos santos homenageados no mês… Vale misturar padrões como estampas florais e xadrez e criar uma festa colorida e divertida.
Uma outra ideia é acender uma fogueira – isto se a festa não for para crianças, claro. Ela esquenta os mais friorentos e ainda dá um super charme!

Não esqueça do correio elegante! Uma brincadeira simples e que faz os convidados entrarem ainda mais no clima da festa.




Dicas

Celebridade francesa

#EspecialDiaDosNamorados <3

Com notas de cogumelo e manteiga, o pequeno queijo de crosta branca aveludada e textura cremosa é um clássico francês perfeito para começar um jantar especial ou mesmo como protagonista, já que é possível serví-lo com diversos acompanhamentos, todos deliciosos. Pode até parecer um pouco retrô, mas assar um camembert é ser recompensado com um prato simples porém cheio de personalidade e sabor.

O primeiro passo é escolher um queijo de boa qualidade. Os melhores camemberts do mundo vem da França. Preste atenção à data de validade – especialistas dizem que o melhor do camembert é quando ele está completamente maduro, o que acontece nos últimos cinco dias antes do vencimento da validade, quando o sabor e o aroma estão no seu melhor. No entanto, se você aprecia um queijo mais suave, pode consumí-lo “jovem”, entre 25 a 30 dias contados a partir da data de fabricação.

Para assar o camembert pré aqueça o forno médio. Desembrulhe o queijo e faça uma pequena marcação em X com uma faca na parte de cima – isso serve para deixar o ar escapar. Neste momento você também pode incluir alguns sabores no seu queijo – colocar pequenos ramos de alecrim ou tomilho garantem ainda mais aroma, também é uma boa ideia adicionar pequenas gotas de azeite trufado ou zests de laranja, que deixarão o queijo ainda mais marcante. O tempo de cozimento pode variar entre 10 e 15 minutos, mas é preciso verificá-lo com freqüência. Você saberá que ele está no pronto certo quando apertá-lo ligeiramente e sentir seu interior macio.

Depois de assado, é usar os complementos de sua preferência e servir. Algumas sugestões inflalíveis:

camembert + mel + torradinhas
camembert + geleia + pão sueco
camembert + figos assados ao balsâmico
camembert + castanhas
camembert + mel + raspas de laranja
camembert + azeite de trufas
camembert + crips de bacon

Seja qual for a sua escolha, seu camembert ficará ainda mais perfeito acompanhado de um vinho tinto encorpado e frutado.

E não esqueça! A casca de mofo branco pode e deve ser consumida.

Você Sabia?
O artista Salvador Dali teve a ideia dos relógios derretendo em sua famosa obra “Persistência da memória” depois de comer um camembert para o jantar.

 

Dicas

Decantar ou não?

Servir um vinho parece ser bastante fácil: apenas abrir e despejar em uma taça. Mas qualquer um que já ouviu um debate sobre se o Cabernet que eles estão bebendo precisa “respirar” mais, sabe que às vezes não é tão simples.

A decantação é um desses elementos do serviço de vinho que permanece misterioso e intimidante para muitos bebedores: quais vinhos precisam? Quando fazê-lo? E como? É mesmo necessário ou apenas um pouco de pompa e circunstância do ritual do vinho?

Fundamentalmente a decantação tem dois propósitos: separar o vinho de qualquer sedimento que possa ter se formado e arejá-lo com a esperança de que seus aromas e sabores sejam mais vibrantes ao servir.

Os vinhos tintos mais antigos e os portos antigos produzem naturalmente sedimentos à medida que envelhecem (os vinhos brancos raramente fazem). Agitar o sedimento ao servir o vinho vai nublar sua aparência e pode transmitir sabores amargos e uma textura arenosa. Não é prejudicial, mas definitivamente menos agradável.

A decantação é simplesmente o processo de separação deste sedimento do vinho claro. É bastante seguro assumir que um tinto terá sedimento acumulado após cinco a dez anos na garrafa, mesmo que isso não possa ser verificado visualmente, por isso a decantação é o mais indicado. Veja como é simples fazer isso:

Coloque a garrafa na posição vertical durante 24 horas ou mais antes de beber, de modo que o sedimento possa deslizar para o fundo da garrafa, facilitando a separação.
Utilize um decanter ou outro recipiente limpo e limpo a partir do qual o vinho possa ser facilmente vertido.
Remova a cápsula e a cortiça e limpe o pescoço da garrafa.
Segure uma luz sob o pescoço da garrafa – uma vela ou lanterna funciona bem.
Despeje o vinho no decanter lentamente e de forma constante, sem parar. Quando chegar à metade inferior da garrafa, despeje ainda mais devagar.
Pare assim que você ver o sedimento alcançar o pescoço da garrafa. O sedimento nem sempre é grosso e óbvio. Pare se a cor do vinho ficar turva.
O vinho já está pronto para servir. Descarte o restante do líquido cheio de sedimento na garrafa.

A questão de saber se, ou por quanto tempo, arejar um vinho pode gerar um extenso debate entre os profissionais da área. Alguns acham que um aumento extra de oxigênio pode abrir um vinho e dar-lhe vida extra. Se você abriu um vinho e ele não parece muito expressivo no primeiro gole,  não custa nada tentar uma aeração moderada em um decanter para ver se isso o transforma. Outros acham que a decantação faz com que um vinho se desvaneça mais rápido.

De qualquer forma, pode ser divertido experimentar a evolução completa do vinho à medida que ele se abre no seu copo. Se você é curioso, pode experimentar com várias garrafas do mesmo vinho, uma decantada e uma não, ou garrafas decantadas por diferentes períodos de tempo e veja o que você prefere.

Um vinho particularmente frágil ou antigo (especialmente com 15 anos ou mais) só deve ser decantado 30 minutos antes de beber. Um vinho tinto mais jovem, mais vigoroso e cheio de corpo pode ser decantado uma hora ou mais antes de servir.

Massas Receitas

Ravioli aos Quatro Queijos

ravioli em formato de coração

#EspecialDiaDosNamorados <3

Massa combina com Dia dos Namorados. E se for em formato de coração recheada com muito queijo, aí não tem como resistir ❤️
Separe os ingredientes, capriche na dose de amor e prepare essa massa caseira que vai arrancar (ainda mais) suspiros do seu amado.

Para o recheio:

INGREDIENTES

½ xícara de ricota
½ xícara mussarela ralada
½ xícara de queijo fontina picado
½ xícara de parmesão ralado
1/4 colher chá de pimenta dedo de moça sem semente bem picadinha00
1 dente de alho finamente picado
2 colheres sopa de ervas bem picadinhas – salsa, manjericão, tomilho – faça um mix ou utilize apenas uma delas
¼ colher de chá de sal
Pimenta do reino moída a gosto

MODO DE PREPARO

Em uma tigela misture bem todos os ingredientes até que fique homogêneo.  Abra a massa caseira em folhas longas e finas. Para fazer o ravioli em forma de coração, use um cortador para massa. Coloque cerca de 2 colheres de chá do recheio no meio da metade das massas cortadas, deixando uma borda vazia ao redor.  Utilize um pincel pequeno ou mergulhe um dedo na água e passe levemente em torno das bordas do coração com o recheio. Coloque um dos corações de massa restantes por cima e pressione as bordas de massa para selar ao redor do recheio, tendo o cuidado de retirar qualquer excesso de ar. Repita com toda a massa cortada. Ferva uma panela grande com água e um punhado de sal. Cozinhe os ravioli até ficarem al dente, cerca de 5 minutos. Sirva com o molho de sua preferência.

Para a massa:

INGREDIENTES

3 xícaras (chá) de farinha de trigo (cerca de 400 g)
4 ovos
3 colheres (chá) de sal
farinha de trigo para polvilhar a bancada

MODO DE PREPARO

Numa tigela grande, misture a farinha de trigo com o sal e abra um buraco no centro.

Numa tigela pequena, quebre um ovo de cada vez e transfira para o centro da tigela com farinha – se um estiver estragado você não perde toda a receita. Com um garfo, mexa apenas os ovos para misturar as gemas com as claras. Aos poucos, misture os ovos com a farinha, fazendo movimentos circulares do centro para a borda da tigela, em sentido horário.

Assim que a farinha incorporar os ovos, misture e amasse com a mão até formar uma bolota. Transfira a massa para a bancada e amasse bem até ficar lisa e macia – isso leva cerca de 15 minutos. Embale a massa com filme e deixe descansar em temperatura ambiente por 30 minutos. Após esse descanso, abra a massa em espessura fina com um rolo de macarrão ou máquina.